Consultor Jurídico

Comentários de leitores

51 comentários

Joaquim Barbosa e o anunciado conluio

Lauro Soares de Souza Neto, advogado em Marília-SP (Advogado Autônomo - Criminal)

Não sei porque tanta indignação. Até as pedras sabem da existência desse relacionamento promíscuo entre alguns juízes e advogados. Que bom que ele tocou no assunto. Quem sabe assim alguém toma alguma providência. O MP fica preocupado com picuinhas e quando constata um Juiz corrupto ou mal intencionado não faz nada: finge que não enxerga, não ouve e não vê. Estão preocupados com salários e benefícios próprios. Podiam trabalhar mais um pouco, como fiscais da Lei.

\"conluio"

Robson Santos (Advogado Sócio de Escritório - Administrativa)

Realmente todo e qualquer conluio corrói a postura ética que se deve ter, em qualquer profissão. Contudo, em um regime republicano e democrático de direito, não poderá haver "conluio" entre quem quer que seja, e não apenas o referido e possível "conluio" juiz/advogado. É preciso que também não haja conluio entre os agentes políticos do Estado (magistrado com magistrado; promotor/procurador com juiz), ou mesmo entre promotor e advogado; e advogado com advogado adverso. Enfim, é preciso que haja isenção total dos participantes da relação jurídica, em especial de quem tem o poder-dever de julgar com isenção; de quem tem o poder-dever de proteger o ordenamento jurídico e defender a sociedade; e de quem tem o poder-dever de bem representar seu constituinte, mas respeitando ao ordenamento jurídico.

Uma realidade, pura mas real

claudenir (Outros)

Boa tarde a todos.
Só vi o prefácio da noticia, ainda não li o conteúdo todo.
Mas não é só em brasilia esse conluio, aqui no fórum de são vicente ( litoral de são paulo ), é a mesma coisa.
Ta cheio de advogados picaretas, que uma causa perdida eles conseguem ganhar. ( como, como ).
Eu mesmo sou um exemplo desse conluio, fui condenado pelo dr. Euripedes gomes faim filho em um processo de investigação de paternidade, sem ter dna, sem ter sido citado para a audiência, sem ter um advogado legalmente autorizado.
Entrei com o pedido de anulação a pedido de defensor público, a juiza que recebeu o pedido dra. Vanessa alfieru da rocha extinguiu o pedido por falta de interesse processual. ( com certeza da parte dela ).
Fui executado, preso pelo dr. Marco antonio barboza de freitas em 2008, esse juiz extinguiu o processo de execução com julgamento do mérito, agora em 2012 esse mesmo juiz reabre o mesmo processo que ele havia extinto e o mas engraçado é que quando ele extinguiu o advogado da outra parte entrou com o mesmo processo na 2ª vara de familia. ( agora eu fui preso em dois processos identicos ), mesmas partes, mesmo pedido ou seja ( litispência ).
Em 2008 eu entrei com o pedido de exoneração de pensão, o dr. Guilherme da costa manso vasconcelos negou dizendo que a criança estava ingressando na faculdade e tinha que terminar os estudos dele, só que até hoje ele nunca passou na porta de uma faculdade e o mas engraçado é que não apresentou provas nenhuma, uma matricula, uma mensalidade da faculdade nada.
Por isso eu digo existe sim um conluio entre juizes e advogados e o fórum de são vicente ( uma perseguição para com minha pessoa )
att. Claudenir

Prestenção doutores e juizes comentando

Gilberto Serodio Silva (Bacharel - Civil)

Os Srs não se dão conta da autofagia e desnudamento que se depreendem desses comentários? Diria que o Ministro Joaquim Barbosa atingiu os objetivos desejados, muito esquisito que somente o debate entre o Des. Tourinho Neto que se aposenta compulsoriamente e do presidente do STF tenha sido divulgada na Globo, o ministro parecia saber o que stava fazendo. Hoje no Bom dia Brasil quando o Des. Tourinho faz alusão a viagem do Dias Toffoli foi cortada. Com o julgamento do Mensalão, condenação e apenamento fica dificil de dizer que essa cena espetaculoza favoreça ou prejudique o PT. Está me curso plano de poder com muita Inteligencias e contra informação.

In dubio pau no réu

Eduardo R. (Procurador da República de 1ª. Instância)

Vejam que as decisões mais drásticas são tomadas com um mínimo de evidências (a mera repetição de liberações, sem uma investigação patrimonial), que num sistema jurídico sério seriam suficientes apenas para instauração de processo, mas que para os juízes-do-terceiro-milênio são prova cabal e irrefutável, apenas porque eles são contrários ao tipo de situação de que o sujeito é acusado, sem uma prova mais robusta. "Elianacalmonização", totalitarização e restrição das liberdades é que nos espera daqui pra frente se a mentalidade hiperpunitivista prevalecer em detrimento da velha prudência que deve inspirar a toda atividade judicial. Talvez seja a política mesmo o lugar desses novos juristas, que querem fazer do direito-regra instrumento de atropelamento do direito-princípio (=prudência).

Generalização

Observador.. (Economista)

De fato é ruim. Mas, por exemplo, são notórios em Brasília os advogados bem relacionados e os "nem tanto". Ou de filhos de magistrados que trabalham para grandes escritórios, logo após se formar, e já lidam com grandes causas.
Tudo isto pode ser fruto do brilhantismo de tais pessoas. Não sei. O que sei, é que um debate sobre tais temas, acabe por inibir os que do sistema se aproveitam. Se acontecer, será salutar a Elianacalmonizaçao do judiciário.

Acusar sem provas...

Vanusa de Melo Costa Santos (Advogado Sócio de Escritório - Trabalhista)

As acusaçoes proferidas pelo Min. Joaquim Barbosa são gravíssimas e não deveriam ser desferidas sem provas, sobretudo por um Ministro do STF. O ministro Joaquim Barbosa, só vem comprovando, dia a dia, sua incapacidade para ocupar o cargo que possui. Seu destempero e despreparo estão evidentes. De fato ninguem consegue enganar a todos por muito tempo... Infelizmente Lula carragará nas costas esse erro por muito tempo.

Joaquim Barbosa - conluio entre Juizes e advogados

IracemaOJAF (Oficial de Justiça)

Barbosa tem razão quanto ao conteúdo mas como disserem outros, há também a "promiscuidade" da relação com os membros do MP (haja isonomia e quiparação de vantagens e $$$). Barbosa, aproveite e proponha emenda ao CPC e CPP. Suspeição já! e também para Delegados, que são infinitamente, de regra, parciais nas investigações

tudo como dantes

Prætor (Outros)

E a "elianacalmonização" do CNJ continua: ofende-se a todos, acusa-se a todos, não se aponta ninguém específico, não se toma nenhuma providência específica e fica tudo por isto mesmo. O importante é jogar para a plateia.
Eliana já foi convidada por um partido político para concorrer às próximas eleições. Barbosa deve também ser em breve.

Ao Jose Antonio Dias (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Isso sem falar em leiloeiros e figuras afins, profissões desempenhadas por filhos de magistrados. A "credencial familiar" cuida de garantir nomeação por outras autoridades judiciárias.
Em São Paulo há vários auxiliares do Juízo bem prósperos. Em tempos de alta dos preços dos imóveis, imagine o lucro...

Joaquim Barbosa - conluio entre Juizes e advogados

Jose Antonio Dias (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Tem razão o Ministro Joaquim Barbosa. O conluio não é apenas entre juizes e advogados. É o conluio entre juizes e as pessoas por estes nomeadas para auxiliares da Justiça, tais como sindicos dativos. inventariantes dativos, peritos, interventores judiciais, administradores judiciais, Curadores, Depositários, etc. São nomeados por determinados Juizes, com salários ou honorários altissimos os quais são divididos entre nomeante e nomeado. Isto sem falar em depósitos judiciais que somente são liberados mediante acerto prévio. Leilões e arrematações feitas ao arrepio da lei e liberadas pelos Juizes com uma penada.
Tudo isso existe, ilustre Ministro, e na Justiça paulista, tida como a mais digna. Imagine nos outros Estados...

Perigosa Generalização

Orlando Maluf (Advogado Sócio de Escritório)

Há conluios de inúmeras naturezas, cada qual com seu grau maior ou menor de depreciativa qualificação. É muito grave o presidente da Suprema Corte afirmar que há conluios entre juizes e advogados, sem nomear e especificar quem são os protagonistas. A intemperança e imprudencia vão acabar manchando a até aqui brilhante trajetoria do presidente.

O assunto não é novo

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

"A opinião pública vai discutir mais uma pauta levantada pelo Conselho Nacional de Justiça: o filhotismo. Com a alcunha pejorativa, trata-se da advocacia de filhos de julgadores, nos tribunais dos quais os pais são desembargadores ou ministros. Disse a Ministra Eliana Calmon que “eles vendem a possibilidade de influenciar nos processos aqui dentro”, referindo-se ao Superior Tribunal de Justiça. E arremata a denúncia, apontando uma acumulação patrimonial espantosa, comparando-se à modéstia das condições da própria magistratura. Diz o atual Presidente do CNJ que a advocacia de filhos de julgadores “fere o princípio do equilíbrio de forças que deve haver no processo judicial”." (fonte: http://www.conjur.com.br/2013-fev-18/eduardo-mahon-higidez-judiciario-nao-estar-suspeicao-previa).

E mais fácil apedrejar do que orientar o caminho

HERMAN (Outros)

Tanto é ruinoso o “conluio” entre juízes e advogados como igualmente ruinoso o “conluio” entre os julgadores e ministério público. Ocorre com muito mais frequência na segunda hipótese por uma questão lógica, o MP convive diariamente com os julgadores e, é normal que mantenham amizade pessoal e assim convirjam às ideias para um mesmo rumo. O que não pode é existir uma conivência maquiavélica, onde ferrar é o que importa. Numa sociedade complexa, como a de hoje, sensato é ter equilíbrio espiritual e julgar com consciência. Se as pessoas não tivessem uma chance de se redimir ou alterar o rumo de sua vida, nem mesmo o incrível Ministro Barbosa estaria no alto da justiça.

tráfico de influência

Ricardo (Outros)

esse sempre foi o mal das Cortes Superiores.
que fique bem claro que nem todos aceitam essa prática, acredito que só uma minoria, mas que existe existe.
é igual cabeça de bacalhau: todo mundo sabe que existe, mas ninguém nunca viu.
é prática odiosa, pois leva ao desequilíbrio no processo.
de um lado, um profissional do direito tecnicamente bom mas pouco afamado. de outro lado, um profissional do direito mediano, mas bem relacionado. e o direito e a justiça vão para as calendas, pois a amizade é tudo nessa vida.
já ouvi alguns comentários da atuação pífia de "medalhões" em processos nos quais a exposição se tornou inevitável (júri, por exemplo). nos bastidores, porém, é mais fácil trabalhar.
por outro lado, defender que advogado não possa ter amizade com juiz é absurdo. uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. o que não pode é essa amizade resultar em privilégios ou benefícios.

Sei....

Brecailo (Advogado Autônomo - Consumidor)

Handra Meira Amorim: este é o nome do momento. Trata-se de uma advogada de 24 anos, formada pela Faculdade de Direito de Balnerário Camboriú. E é a namorada do ministro JB. "JB diz que juiz não pode ser amigo de advogado. E namorar pode ?"

André (Professor Universitário)

Observador.. (Economista)

Desconhecia o equilíbrio, entre o tratamento dado à um Juiz e a um empregado qualquer da iniciativa privada, quando ambos são pegos em algum ilícito.
Deve ser o exagero da imprensa, que o senhor comentou, que faz o cidadão comum ter a impressão de que não é assim.De que os juízes, geralmente, só vão para casa mais cedo.Com salários e direitos integrais.Ponto.Nada mais.Com as raríssimas exceções que só confirmam a regra.O que acaba sendo um estímulo aos que usam de suas prerrogativas para obter alguma vantagem.
Bom saber que é diferente do que eu imaginava.
Há países onde os juízes, quando punidos, são tratados de forma mais rigorosa do que o cidadão comum.Pois há a preocupação com o exemplo.Com o fato da pessoa ser aquela que julga as outras, que tem um conhecimento mais profundo das leis o que, portanto, torna mais debochado e pérfido o seu desvio.

Complementando

Ricardo Cubas (Advogado Autônomo - Administrativa)

Que existem sentenças Judiciais teratológicas oriundas de relacionamento de amizade entre juízes e advogados, isso é de clareza solar. O duro é quando a sentença é oriunda de mala cheia de propina, e isso faltou ser dito por Barbosa. Gostaria muito de ver esse grande ministro como Presidente da República algum dia. Lamentavelmente, a classe corruptolis nunca deixaria isso acontecer.

passando ao largo...

Luiz Gustavo Guazzelli (Advogado Sócio de Escritório - Criminal)

Passando ao largo desse embate que não assisti, de modo que não posso tecer opiniões a respeito de qualquer assunto com base em informações de terceiros - o famoso "ouvi falar" -, tenho para mim que, no mínimo, deixar a entender que juízes não podem ter amizade com advogado é, com a devida vênia, um absurdo!
Com a devida vênia, novamente, essa opinião desconsidera, por completo, a independência da magistratura, colocando sob suspeita qualquer Juiz que tenha um mínimo de vínculo com um advogado. Ora, daqui a pouco vão procurar estabelecer nos concursos para a magistratura que o candidato não pode advir de família de advogados, ou que juízes não podem ter familiares advogando.
Aliás, imaginem, ainda, a situação dos magistrados advindos do 5º Constitucional!
E me permitam, ainda, a seguinte ponderação: A mesma regra não se aplica aos membros dos MPs Estaduais e Federais?
Ora, se é perniciosa a aproximação dos advogados, por qual razão não o é a aproximação dos Promotores/Procuradores?
Quantas e quantas vezes nós, operadores do direito, não vimos advogados, juízes e integrantes dos MPs amigos, que digladiam, cada um em sua alçada, nas lides forenses, com muita cordialidade e respeito, e, acima de qualquer coisa, de forma íntegra, legítima e lícita.
Aliás, que me seja permitido, ainda, lembrar que o Exmo. Ministro advém do "Parquet", logo, não é magistrado de carreira, mas nem por isso questiona-se ao seu modo de pensar, julgar e lidar com as partes.
Desculpem-me quem pensa o contrário, mas, a despeito das famosas piadas envolvendo advogados, nem todos são corruptos e corruptíveis.
Que se puna, nos termos da lei, o corrupto, mas que não se generalize e propague, jamais, que todos o são.

passando ao largo...

Luiz Gustavo Guazzelli (Advogado Sócio de Escritório - Criminal)

Passando ao largo desse embate que não assisti, de modo que não posso tecer opiniões a respeito de qualquer assunto com base em informações de terceiros - o famoso "ouvi falar" -, tenho para mim que, no mínimo, deixar a entender que juízes não podem ter amizade com advogado é, com a devida vênia, um absurdo!
Com a devida vênia, novamente, essa opinião desconsidera, por completo, a independência da magistratura, colocando sob suspeita qualquer Juiz que tenha um mínimo de vínculo com um advogado. Ora, daqui a pouco vão procurar estabelecer nos concursos para a magistratura que o candidato não pode advir de família de advogados, ou que juízes não podem ter familiares advogando.
Aliás, imaginem, ainda, a situação dos magistrados advindos do 5º Constitucional!
E me permitam, ainda, a seguinte ponderação: A mesma regra não se aplica aos membros dos MPs Estaduais e Federais?
Ora, se é perniciosa a aproximação dos advogados, por qual razão não o é a aproximação dos Promotores/Procuradores?
Quantas e quantas vezes nós, operadores do direito, não vimos advogados, juízes e integrantes dos MPs amigos, que digladiam, cada um em sua alçada, nas lides forenses, com muita cordialidade e respeito, e, acima de qualquer coisa, de forma íntegra, legítima e lícita.
Aliás, que me seja permitido, ainda, lembrar que o Exmo. Ministro advém do "Parquet", logo, não é magistrado de carreira, mas nem por isso questiona-se ao seu modo de pensar, julgar e lidar com as partes.
Desculpem-me quem pensa o contrário, mas, a despeito das famosas piadas envolvendo advogados, nem todos são corruptos e corruptíveis.
Que se puna, nos termos da lei, o corrupto, mas que não se generalize e propague, jamais, que todos o são.

Comentar

Comentários encerrados em 27/03/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.