Consultor Jurídico

Entrevistas

Testemunha da história

"Primeira coisa que advogado deve fazer é estudar fora"

Comentários de leitores

10 comentários

Não vá para o exterior!

Fernanda Ferreira Fernandes (Advogado Autônomo)

Com a devida vênia, não caia no mesmo erro que o meu, fique no Brasil e estude as leis daqui. Na prática vc coloca no currículo e sequer dão importância para isso.

Não vá para o exterior!

Fernanda Ferreira Fernandes (Advogado Autônomo)

Com a devida vênia, discordo com o q foi dito por este Advogado e recomendo não ir para o exterior e investir em cursos aqui no Brasil.
Sinceramente, não sei em qual mundo ele vive, mas não é o mesmo que o da maioria.
Tenho experiencia internacional de 2 anos nos EUA em uma boa universidade e foi em uma entrevista no escritório DEMAREST E ALMEIDA que tiveram a falta de consideração de nem responderem. A bem da verdade fiz entrevistas em vários escritórios em São Paulo, o Demarest foi mais um!
Na prática vc coloca no currículo q tem experiência internacional e se quer olham. Acaba q não é quesito para qq contratação ou progressão na carreira.
Para quem reclama q não consegue nada na Advocacia, existe a opção de sentar e estudar para um concurso.
Abraços

Gostei

Eduardo (Advogado Autônomo - Civil)

Muito inspiradora a entrevista, entretanto, o mercado não é nada fácil. Muita concorrência e, por mais que se especialize, se não contar com um amigo ou um bom relacionamento comercial, dança. Captar cliente, atualmente, é muito difícil. E, viajar pra fora, infelizmente não é para qualquer um.

Naum Não!

Rômulo Macêdo. (Advogado Autônomo)

"Ele falou: 'Naum, escreve um pouco mais, você não escreveu nada'"
E a revisão do texto?!

dicas importantes

Eduardo A. Ribeiro (Advogado Autônomo - Ambiental)

Importante as dicas, principalmente no tocante ao relacionamento cliente advogado, que hoje realmente está mais complexa.

Não é fácil!

sGFREITTAS (Outros - Empresarial)

Me formei em Direito 2008 fui aprovado no exame de ordem 2009, até o momento não encontrei um jeito de entrar no mercado jurídico, ou seja, de exercer a advocacia. Os compromissos assumidos por um Pai de família não permite a troca, por exemplo, de uma empresa (com salário razoável) por um escritório de advocacia, a menos que essa pessoa tenha condições de trabalhar a troca de comida e transporte (pois é isso que os escritórios de advocacia oferecem até hoje)... Se fosse para escolher uma área de atuação, escolheria D.PENAL, iria focar principalmente no tribunal do Júri.
De fato a advocacia não é para qualquer um, tem que ter alguém por trás dando todo aporte, ou não ter compromissos (não ser casado, sem filhos, etc...), do contrário a entrada neste mercado é algo muito difícil, quase impossível....
Também concordo com a (analucia (Bacharel - Família)!

Que viva até 120 !

Barchilón, R H (Advogado Autônomo - Civil)

Excelente a entrevista com o patrício. Uma visão empresarial do advogado empresarial de sucesso. Não sei se temos algo semelhante - um escritório tão antigo quanto - que não tenha trilhado o mesmo caminho: atender ao crescente poder das corporações. Quando cheguei na cena, em 1983, esses grandes escritórios já eram alvo de dezenas de estudantes de direito, mas havia uma grande quantidade de escritórios médios no Rio de Janeiro, onde me criei, e que, desde então, diminuíram drasticamente, estreitando a porta de entrada da iniciação. A concentração verificada em outros setores da economia aconteceu também na advocacia, onde os grandes ficaram gigantes e a classe média achatada.

dados os resultados do exame da guilda...

Celsopin (Economista)

antes de estudar "fora", seria interessante os aspirantes estudarem "dentro"...

Estudar fora!

Hilton R C Costa (Advogado Assalariado - Administrativa)

Estudar fora não é pra todo advogado em começo de carreira, só se for filho de rico.

muito interessante

analucia (Bacharel - Família)

boa entrevista

Comentar

Comentários encerrados em 13/05/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.