Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Casos não resolvidos

Brasil é 10º em impunidade em crime contra jornalista

O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) divulgou na segunda-feira (2/5) o Índice de Impunidade 2013. O Brasil ocupa o 10º lugar na lista de 12 países com elevado índice de impunidade para casos de jornalistas assassinados. O Iraque é o pior país no Índice, com mais de 90 assassinatos de jornalistas não resolvidos durante a última década. Além da impunidade, a análise do CPJ apurou um aumento da violência contra a imprensa na Somália, Paquistão e Brasil.  

O Brasil havia deixado o ranking em 2010, porém voltou ao aparecer em 2011 na 11ª posição. Em 2012 subiu para a 10ª posição, com nove casos não resolvidos. Apesar de compromissos expressados com a Justiça, o país não registrou nenhuma nova condenação desde 2010. Segundo o CPJ, uma onda de três anos de assassinatos — muitos tendo como alvos blogueiros e jornalistas online do interior, e todos não resolvidos — mostra que os avanços foram ilusórios.

"Policiais e membros do Poder Judiciário, especialmente em cidades pequenas, são altamente vulneráveis ​​à pressão de poderosos grupos locais", disse Veridiana Sedeh da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji). "Há ainda casos em que as próprias autoridades policiais cometem os crimes e, posteriormente, dificultam a investigação", completou.

Em 2012, quatro jornalistas foram assassinados no Brasil. Destes, três trabalhavam em publicações digitais. Segundo o CPJ, repórteres do interior, trabalhando longe dos holofotes da mídia nacional e em áreas onde a aplicação da lei é fraca ou sujeita à corrupção, têm sido especialmente vulneráveis no Brasil.

O Índice de Impunidade, publicado anualmente, identifica os países onde jornalistas são assassinados com regularidade e os governos não conseguem resolver os crimes. O índice de 2013 examina assassinatos de jornalistas ocorridos a partir de 1º de janeiro de 2003 até 31 de dezembro de 2012, e que permanecem sem solução. Apenas países com cinco ou mais casos não resolvidos são listados. Os casos são considerados não resolvidos quando não ocorrem condenações. Com informações da Assessoria de Imprensa do CPJ.

Veja abaixo o ranking completo:

      Índice de Impunidade 2013
 PosiçãoPaís Casos não
solucionados 
População
(em milhões)
CálculoPontuação 
1Iraque933393/332.818 
2Somália239,623/9,62.396
3Filipinas5594,955/94,90.580
4Sri Lanka920,99/20,90.431 
5Colômbia846,98/46,90.171 
6Afeganistão535,35/35,30.142 
7México15114,815/114,80.131 
8Paquistão23176,723/176,70.130 
9Rússia14141,914/141,90.099 
10Brasil9196,79/196,7 0.046 
11Nigéria5162,55/162,50.031 
12Índia61.241,06/1.2410.005 

 

Revista Consultor Jurídico, 3 de maio de 2013, 15h31

Comentários de leitores

1 comentário

Brasil é 10º com maior impunidade em crimes contra jornalist

radiocunha (Outros)

Qaundo se publicam estas estatisticas, os autores muitas vezes deixam de fora outros atores que também atuam no ramo das comunicações, como por exemplo os radialistas. Por esta razão o Deputado Federal Protogenes Queiróz, através do PL 1.078/2011 inclui os Radialistas e demais profissionais de imprensa, na Lei que federaliza crimes apenas contra jornalistas. O Conselho de Comunicação Social, do Congresso Nacional também aprovou a moção do referido deputado. O CCS também solicitou celeridade e prioridade na tramitação do projeto de lei.
Fica aqui o apelo, quando este assunto for pautado novamente, não esqueçam que não são apenas os jornalistas que fazem parte da imprensa.

Comentários encerrados em 11/05/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.