Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Críticas ao método

Dilma recebe OAB e STF para falar sobre Constituinte

Nesta terça-feira (25/6), a presidente Dilma Rousseff se reúne com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, e com o presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, Marcus Vinícius Furtado Coêlho, no Palácio do Planalto. O presidente da OAB apresentará três motivos para justificar a posição contrária da entidade à proposta apresentada na última segunda-feira pela presidenta da República, de convocação de uma Constituinte exclusiva para aprovar a reforma política no país.

Segundo Marcus Vinícius, é tecnicamente impossível convocar uma Constituinte parcial. Além disso, é desnecessária a convocação porque a proposta de reforma política apresentada nesta segunda-feira pela OAB e pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil não precisa emendar a Constituição, pois trata-se de um projeto de lei popular.

Ele diz que é muito perigoso para uma democracia uma Constituinte que poderia vir a dispor, por exemplo, sobre liberdade de imprensa e garantias do cidadão. "É uma regra básica, isto é, os futuros integrantes da Constituinte é que vão definir qual a abrangência e os limites da Constituinte".

No ano em que a Constituição com completa 25 o que precisamos é garantir essa atividade e não por em risco as garantias conquistadas, afirma o presidente nacional da OAB

Revista Consultor Jurídico, 25 de junho de 2013, 10h46

Comentários de leitores

3 comentários

Constituição

Ricardo T. (Outros)

A Constituição é aquilo que o STF, A OAB e A Dilma dezem que é. Parabéns a Dilma pela iniciativa.

E o defensor do regime democratico?

Roxin Hungria de Calamandrei (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

E o PGR (127 CF)? - Que tem legitimidade para questionar a constitucionalidade da constituinte almejada pela presidenta.

Barbosa

Observador.. (Economista)

Nestes momentos é sempre reconfortante termos, como autoridade maior do Judiciário, alguém que conhece bem nossa CF e o manejo da leis e sabe se portar de forma firme, sem se abalar com intimidações de qualquer espécie ou lado.

Comentários encerrados em 03/07/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.