Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Momentos de tensão

Ivan Sartori sofre perseguição no trânsito de Santos

Por 

O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Ivan Sartori, foi vítima de uma perseguição no trânsito na última segunda-feira (17/6), em Santos (SP). Sartori estava no carro oficial do TJ acompanhado de dois policiais militares quando um veículo particular começou a persegui-lo. Quando os dois carros pararam, o homem que iniciou a perseguição desceu de seu carro empunhando uma pistola. Não houve troca de tiros e o homem, identificado como médico legista, até então desconhecia a identidade dos ocupantes do carro oficial.

Os policiais José Carlos Teixeira Moreira e José Paulo da Lavra, que estavam à paisana, anunciaram que faziam a segurança do presidente do TJ-SP. Eles relatam que o médico Guilherme Zanutto Cardillo identificou-se como policial civil, lotado no Instituto Médico-Legal de Santos.  A conduta do médico, nas esferas criminal e civil, será investigada pela 6ª Corregedoria Auxiliar da Polícia Civil.

O desembargador Ivan Sartori comentou o assunto na sexta (21/6). “Foi um incidente no qual, mesmo depois que os policiais do Tribunal de Justiça se identificaram, o médico permaneceu, por um bom tempo, apontando sua arma para eles. As providências necessárias foram tomadas pela polícia. O caso não guarda qualquer relação com os atos de vandalismo e violência dos últimos dias”, disse

Irritação
Os policiais da segurança do presidente do TJ-SP relataram ao delegado corregedor Eduardo Assagra Ribas de Mello que chegaram a cogitar “potencial risco” ao desembargador Ivan Sartori. Eles contaram que, após o sistema de sirene e alerta do carro ter sido acionado, o médico demonstrou irritação, dificultando uma ultrapassagem. Os policiais acrescentam que o motorista, então, começou a perseguição ao automóvel da presidência, chegando a cruzar dois sinais vermelhos.

Após pararem, o médico demonstrou ignorar que se tratava de um carro oficial, relataram os policiais. Eles contam que o legista questionou os PMS sobre o uso supostamente indevido das luzes de alerta. Segundo o médico, ele pensou tratar-se de carro particular, porque o automóvel a serviço do TJ não tinha nenhuma identificação de uso oficial. Ele argumentou que tentou, apenas, se aproximar para anotar a placa e informar a polícia — para comprovar isso, o médico mostrou o registro em seu celular de uma ligação para o 190 momentos antes de os carros pararem.

A arma do legista foi retida como medida cautelar, disse o delegado Ribas Mello. O médico também foi submetido, consensualmente, ao teste do bafômetro e toxicológico — somente o primeiro ficou pronto e o resultado foi negativo. No entanto, ele se queixou de o mesmo tratamento não ter sido dispensado aos policiais a serviço da presidência do TJ-SP.

A carteira de habilitação do médico legista está vencida desde o dia 2 de abril. Sua conduta no trânsito ainda será analisada e o delegado diz aguardar as provas das irregularidades cometidas.

 é jornalista.

Revista Consultor Jurídico, 22 de junho de 2013, 17h10

Comentários de leitores

13 comentários

Delegado Ari Carlos

Observador.. (Economista)

Agradeço a gentileza para comigo, através dos seus esclarecimentos.
Tenho noção de que CNH vencida é uma infração administrativa. Em meu comentário, estava me reportando aos exemplos que as pessoas não dão, apesar de cobrarem posturas corretas dos outros.
É um esporte nacional que muito contribui para o país ter dificuldades em deixar de ser uma promessa; o eterno país do futuro...

Ao Paulo R.B. (Servidor da Secretaria de Segurança Pública)

Eduardo.Oliveira (Advogado Autônomo)

Ainda bem que o Dr. deparou-se com alguém que, digamos, late mais alto.
Se fosse com um vira-lata qualquer, o dito Dr., repito, teria barbarizado o infrator policial de araque (motorista de carro equipado com sirene).
Lamentável, mas servidores da segurança pública acostumaram-se a extrapolar desmedida e escancaradamente os seus limites. Tudo é justificado...

Desembargador Robocop

Paulo R.B. (Servidor da Secretaria de Segurança Pública)

Engraçado, Azera? TJ-SP??? Duvido que esse carro fosse mesmo do TJ. E o pior, instalado o quite giroflex. Só carros POLICIAIS E AMBULANCIAS, conforme o artigo 29 do CTB: VII - os veículos destinados a socorro de incêndio e salvamento, os de polícia,... de prioridade de trânsito, gozam de livre circulação, estacionamento e parada, quando em serviço de urgência e devidamente identificados por dispositivos regulamentares de alarme sonoro e iluminação vermelha intermitente, observadas as seguintes disposições:
a) quando os dispositivos estiverem acionados, indicando a proximidade dos veículos,(...) indo para a direita da via e parando, se necessário;c) o uso de dispositivos de alarme sonoro e de iluminação vermelha intermitente só poderá ocorrer quando da efetiva prestação de serviço de urgência...Pergunto: O Sr Desembargador estava em serviço ou caráter de urgência, já que TAMBÉM estava ao destino de sua residência? Sr Desembargador, DURA LEX, SED LEX!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 30/06/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.