Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Onda de protestos

Dilma promete discutir pacto para melhorar serviços

Em cadeia nacional de rádio e TV, a presidente Dilma Rousseff prometeu chamar os governadores e prefeitos das principais cidades do país e os líderes das manifestações populares para um grande pacto em torno da melhoria dos serviços públicos. Dilma anunciou que as ações do governo terão três focos.

O primeiro será a elaboração do Plano Nacional de Mobilidade Urbana, que privilegie o transporte coletivo. O segundo é a destinação de 100% dos royalties do petróleo para a educação, proposta que está em discussão no Congresso. Para melhorar a saúde, Dilma prometeu trazer mais médicos do exterior para ampliar o atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS).

De acordo com a presidente, o vigor das manifestações pode ser aproveitado para que sejam tomadas medidas que beneficiem a população e já começaram a produzir resultados, como a redução das tarifas de ônibus em diversas cidades brasileiras.

“As manifestações desta semana trouxeram importantes lições. As tarifas baixaram e as pautas dos manifestantes ganharam prioridade nacional. Temos que aproveitar o vigor das manifestações para produzir mais mudanças que beneficiem o conjunto da população brasileira”, declarou.

A presidente citou a trajetória de defesa da democracia durante a ditadura como motivo para levar as reivindicações em consideração. “A minha geração lutou muito para que a voz das ruas fosse ouvida. Muitos foram perseguidos, torturados e morreram por isso. A voz das ruas precisa ser ouvida e respeitada e não pode ser confundida com o barulho e a truculência de alguns arruaceiros”.

Dilma prometeu ainda conversar, nos próximos dias, com os chefes dos outros poderes, governadores e os prefeitos das principais cidades do país para um grande pacto em torno da melhoria dos serviços públicos. Ela anunciou ainda que pretende receber os líderes das manifestações pacíficas, representantes de organizações de jovens, das entidades sindicais, dos movimentos de trabalhadores e das associações populares.

A mensagem foi ao ar em cadeia nacional de rádio e TV. Dilma passou o dia discutindo os protestos e manifestações que ocorrem no país e que nesta quinta-feira (20/6) reuniram  quase 2 milhões de pessoas em 438 cidades. De manhã, a presidente se reuniu com ministros, entre eles o da Justiça, José Eduardo Cardozo. Também recebeu o presidente do Senado, Renan Calheiros, e o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Raymundo Damasceno.

A onda de manifestações pelo país começou em São Paulo, reivindicando a revogação do reajuste da tarifa de ônibus de R$ 3 para R$ 3,20. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o prefeito da capital, Fernando Haddad, voltaram atrás no reajuste, mas os protestos continuaram e se ampliaram pelo país. Com informações da Agência Brasil.

Revista Consultor Jurídico, 21 de junho de 2013, 21h42

Comentários de leitores

8 comentários

Que venha o mvn!!!

Mariel Lamarca (Outros)

Movimento voto nulo!
Antes que os petralhas criem e oficializem outros poderes da república! Parece-me que agora está em curso o quarto poder, o policial... Então teríamos,como poderes: o policial, o executivo, legislativo e o judiciário... (de fato já temos seis! Aí incluídos, o mp e o poder midiático) mas somos todos reféns do primeiro!!!

Depois...

Richard Smith (Consultor)

Cadê o foguetório quando terminou o belo e convincente jogo da Seleção?!!! Huuum, a coisa vai "maus"!

Desejos...Desejos...

Richard Smith (Consultor)

Resta podermos ver, logo, logo, D. Presidenta, Competenta e Inocenta, mais toda a sua trupe em CADEIA FEDERAL!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 29/06/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.