Consultor Jurídico

Comentários de leitores

6 comentários

Falta colisão com realidade

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

Existem mitos criados no meio academico totalmente divorciados da verdade, um deles é que a cadeia é escola de criminoso. Nã é verdade. Após o nascimento de facções criminosas o recrutamento, o compromisso é feito na rua, com o individuo em liberdade. Preso sem camisa, como els dizem têm que pagar pelos servilos prestados, um absurdo possível pela leniência das prisões brasileiras, e pelo desrespeito à LEP. Zaffaroni é um grande penalista, mas é abolicionista, doutrina ainda, infelizmente distante da realidade mundial. Não há seletividade, como apregoam, é lógico que pessoa de posse, representada por um bom advogado, obterá melhores resultados na Justiça, mas a mairia é de pobres, porque o país tem maioria pobre. Impossível ter no Brasil, por exemplo, uma massa carceraria rica e asiática, quando o Brasil é país com maior número de negros fora do continente americano. Estas questões academicas fundadas tão somente na entrevista de presos é inexata e conduz a erros. a violência no páis é grande, pois somos um povo violento. A mídia não tem como inventar a estatistica policial, apenas divulgá-la e critica-la ferozmente como fazem anualmente. A violência vem aumentando coma leniência da legislação! É fato!

Preciosas análises

NARDO ALCEU FERNANDES MARQUES (Advogado Autônomo)

O Doutor Zaffaroni é uma distinta pessoa no critério criminal. Isto faz com que suas colocações soem como “impunidade” o que é natural para os despreparados no assunto. Toma uma complexidade maior quando convivemos com a “mídia do pânico social” (datenas e marcelos Rezende etc..) aqui reside um problema. Estas televisões que são concessões públicas, criminalizam e colocam os juízes em saias justas em decisões de não encarcerar o culpado, por vezes, di menor, em “emergências sociais” ou midiática, causando uma sensação de impunidade na sociedade. A questão de falta de investimento em “POLÍTICAS PÚBLICAS VIÁVEIS” . A criação de mais criminosos esta no Estado que constrói depósitos de seres humanos “cadeias”. “Prisões são sempre reprodutoras”. - precisa o Zaffaroni vir dizer esta realidade massacrante ”Maquina de reprodução de condutas desviantes” Nada mais realista e cruel sobre a criminalidade, basta vontade política e, não, se preocupar em reformar o código penal e as leis extravagantes no rumo que esta.

Ne sutor ultra crepidam

wilhmann (Advogado Assalariado - Criminal)

Deveria o acadêmico, antes de colar grau, fazer um périplo à obra de KANT, Kritik der reinen Vernunft, já que desinformado se encontra da distorção do juízo analítico e juízo sintético, aquele bem dilucidado pelo medico C. Lombroso, in criminoso nato, que hodiernamente incha a sociedade brasileira, sendo comum na politica, principalmente, na ruas, até nas academias, inclusive nos sodalícios, muito bem concebidos por E. Calmon. Não será unicamente um programa de moralidade sociológica-psicológica que redundará em arrefecimento da criminalidade, despojando-se do estatuto repressivo tupiniquim, que é a ultima racio, mais por ele necessariamente deve perpassar as condutas mais aviltantes ao ser humano: parricídios, matricídios fatricidios... deixemos os exemplos. Com certeza Lombroso tinha razão, ao identificar o “ criminoso nato”, malgrado seu exagero, mas lúcido em sua proposição, alias, fundada em estudos de medicina criminal, já que imantado de domínios sobre antropologia, psicologia, filosofia, já que medico conceituado, sem demérito ao Zafarroni que sequer conhece os efeitos do crack, o que não invalidade seus conhecimentos, mas não se poder entroniza-lo só por seus livros, que já os li:v.g., Manual de Direito Penal Brasileiro - Parte Geral - 1 - 9ª 2011 - J. Pierangeli e E.R.Zaffaroni . Só acho que tapa com luva de ouro não resolve nihil... nichts..

Wilhmann, acho que é o vc quem precisa estudar criminologia

Vitor Veiga (Estudante de Direito - Criminal)

1º - A imprensa não inventa nada? Me desculpe, mas acreditar nisso é muita ingenuidade, afinal imprensa vive da invenção! O exagero também é invenção! Distorcer fatos também é invenção!
2º - A criminalidade entre menores existe e infelizmente tem aumentado sim, entretanto não é uma legislação mais rígida que os fará não delinquir e sim políticas públicas e etc.
3º - Sim, a redução se dirige à pobreza! Apesar de lei ser abstrata e genérica existe o fenômeno da seletividade. Já ouviu falar? Não existe a possibilidade de desvincular a lei do sistema, logo, ao legislar deve-se pensar no todo. Inclusive na seletividade do direito penal.
4º - Acho que o Sr. não leu a entrevista. Em momento algum o Prof. Zaffaroni afirma que o menor PODE cometer crimes por não estar emocionalmente apto a entender tal fato. E sim que o tratamento deve ser diferente.
5º - Eugenio Raul Zaffaroni deveria estudar um pouco de criminologia? O Sr. sabe que está falando de um dos maiores criminólogos da América latina? Já leu as obras deste autor? Informe-se mais um pouco antes de falar tal bobagem. Não concordar com Zaffaroni tudo bem, mas mandá-lo estudar um pouco de criminologia já é muita pretensão (e muita desonestidade intelectual, como disse o _Eduardo_)! A não ser que o Sr. tenha mais estudos na área do que ele (e ainda assim seria muita pretensão).
6º - A mídia tem um papel fundamental na sociedade sim, entretanto, tal papel foi completamente distorcido pelo capitalismo. O importante hoje é vender.
7º - A lei 12403 foi um grande avanço no direito penal e processual penal brasileiro, principalmente no que diz respeito à sua constitucionalização. Seria muito bom se nossos juízes e promotores não fizessem mal uso dela.

Não é fácil ler certos comentários

_Eduardo_ (Outro)

Independente de concordar ou não com Zaffaroni, dizer que ele não entende nada é muita desonestidade intelectual.

A louca também vem de fora!

wilhmann (Advogado Assalariado - Criminal)

É irretorquível o arcabouço de conhecimentos penais que povoa os neurônios do professor, contudo me parece que o mesmo encontra-se atacado do alzheimer referente ao Br.
Se o mesmo residisse nestas terra, sua opinião seria outra!
O douto olvida que a imprensa não inventa nada, apesar de seus exageros, são fatos incontestáveis o que se passa aqui. A criminalidade dos menores avança qual furacão sem previsão climática aliás, jurídica. Se os miseráveis serão os únicos apenados isso pode acontecer, mas isso não é culpa do crime não do sistema. È difícil conter a criminalidade de que já tem o DNA estagnado... não existe cura pra tanto. A redução não se dirige a pobreza, isso ele comete erro crasso: a lex é abstrata e genérica, não voltada para nobres ou fariseus. Segundo o entrevistado o “menor” pode cometer crimes que porque não está ainda emocionalmente aptos a entende isso! A vitima está apta a entende que deve ser despojada, estuprada, seviciada? Este juiz deveria estudar um pouco de criminologia. Aliás, seu livro com Gomes esta em desacordo com seu lado messiânico do estatuo penal.
O mesmo esquece que a mídia, em parte deve ser execrada, mas ela faz parte dos “fatores de poder”, segundo Lassale, por isso deve ser prestigiada .O juiz no 3º grau não julga fatos só o direito, por isso o mesmo não se comove com a marginalidade da ora e do lugar do Br. O mesmo deve ter sido co-autor da Le, 12.403, pois acha que ninguém dever ficar recluso. Sua desinformação é planetária, como poder isso!. Não conhecer o clássico Clack demonstra que não está preparado para seu ouvido!

Comentar

Comentários encerrados em 7/08/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.