Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

Sociedade o

Observadordejuris (Defensor Público Estadual)

Esse projeto de Estatuto do Nascituro é mais uma das várias trapalhadas levadas a efeito por nossos "representantes" parlamentares, que, ao fim e ao cabo, não têm discernimento suficiente para representarem-se. E nós, aonde vamos parar com essa gente? Respondo: No mundo da mediocridade!

De volta ao passado

Bruno Kussler Marques (Advogado Autônomo - Internet e Tecnologia)

O Brasil aos poucos está voltando para a Idade Média e se tornando uma espécie de Irã Cristão. Daqui a pouco vão tentar instituir o tribunal da santa inquisição com poderes absolutos por aqui.

Secularismo x estado confessional

_Eduardo_ (Outro)

Cada vez mais me convenço que gradativamente estamos nos aproximando de um combate do estado laico com o estado confessional.
Os grandes grupos religiosos gradativamente se infiltraram na vida política do país e tentam a todo custo colocar goela abaixo seus pontos de vistas, baseados em argumentos não institucionalizáveis, ou seja, não passíveis de análise racional.
Na verdade, creio que sequer se importem com as consequências de suas nefastas opções. Trata-se apenas de deixar marcado sua posição no jogo político e não permitir que a sociedade evolua.

Retrocesso

Rogério Alvarez (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

Concordo plenamente com o texto ora apresentado sobre o projeto de Estatuto do Nascituro. Se aprovado, representará grande retrocesso científico e jurídico. A tese mais aceita atualmente é a de que o início da vida se dá com a nidação, ou seja, quando o embrião adere à parede do útero da mulher. Logo, os embriões congelados ou não implantados não podem ser considerados nascituros. Também não há como obrigar a implantação de todos os embriões gerados, pois alguns deles são invíaveis, defeituosos ou apresentam possibilidade de desenvolver alguma doença. Enfim, trata-se de mais um projeto elaborado por gente que não entende do assunto.

Comentar

Comentários encerrados em 1/08/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.