Consultor Jurídico

Comentários de leitores

21 comentários

Denúncia contra carta capital

Joacil da Silva Cambuim (Procurador da República de 1ª. Instância)

Os Procuradores da República pediram urgência na tramitação do processo, cuja vítima é o ministro Gilmar Mendes, alegando que um dos réus - Mino Carta - tem mais de setenta anos (isso porque o prazo prescricional é reduzido à metade, art. 115 do CP). pergunto: por que não pedem a agilização do "mensalão" tucano ou mineiro, já que o principal acusado, EDUARDO AZEREDO, tem mais de setenta anos? É por isso que, na condição de Promotor de Justiça (cargo equivalente ao de Procurador da República), nunca peço agilização de processo em que os réus têm o benefício da redução do prazo prescricional. Assim, evito ser acusado de promover julgamento de exceção.

Dos delitos e das penas.

Jânia A. Paula (Estudante de Direito)

Estou optando por falar sobre o aspecto humano porque repercuti essa notícia da Carta Capital. Dessa forma, se pudesse dar uma sugestão iria solicitar ao ministro Gilmar Mendes que pensasse na possibilidade e viabilidade de trabalhar para amenizar sua imagem, pois creio que sua imagem de blasé ao povo não corresponde a realidade. Acho que o ministro possui capacidade e energia para dar respostas mais efetivas se utilizar um estilo diferente ao exposto nessa reportagem. Não estou aqui, no entanto, defendendo que sua excelência perca sua conhecida pegada, só estou dizendo que penso que há diferença entre defesa e ataque e que muita “agressividade” pode produzir efeitos contrários aos pretendidos... Talvez não baste que sua excelência demonstre a força de um homem público e ministro do Supremo para tentar evitar esse tipo de situação... Talvez seja suficiente que sua excelência nós lembre que é uma pessoa humana, que sente dor, frustrações e angustias como todos nós... Sei não... Não se pode perder a ternura jamais: "Nesta margem do mundo o que não é represa é baldio..."

A imagem não muda -

JTN (Jornalista)

A Lista de Furnas está vivinha e andando na Justiça.É verdadeira, e outra foi montada para desacreditá-la.Os documentos originais foram registrados em Cartório pelo então Presidente de Furnas há anos.Relacionada a ela existia um Processo em que Aécio é réu, e que sumiu na Justiça mineira, furtado, a exemplo do que sumiu condenando a Globo.A Lista de Furnas explica porque Kassab ficou do dia para a noite tão importante na vida política paulista.Já Gilmar Mendes, quando apontado ao Supremo gerou uma reação de vários juristas renomados, que inclusive publicaram textos contra a indicação de Gilmar e explicando o porque. Quanto a desaboná-lo, temos uma informação de que dos pouco mais de 600 mil reais que as esposas dos Ministros do Supremo gastaram em dois anos em passagens de avião, cerca de 430 mil reais foram gastos pela esposa de Gilmar Mendes.Os dados são públicos.Tanto faz a postura do Poder Judiciário, sempre corporativista. A imagem de Gilmar não muda.

Não vi a representação

Jaderbal (Advogado Autônomo)

Mas parece que não houve a representação ou pelo menos ela não foi exibida no link colocado na reportagem.

É...

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Lógico que o "mote" será a ofensa pessoal em razão função. Comprometimento da figura de Gilmar na condição de Ministro...
E quem vai decidir que não foi???

Publica condicionada

mat (Outros)

Ao contrário do alegado por um dos comentaristas, é evidente que o crime foi cometido em razão da função exercida pelo Min. Portanto, competência do MP, bastando representação.

De vez em quando é bom ler a esquecida lei

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

"Art. 145 - Nos crimes previstos neste Capítulo somente se procede mediante queixa, salvo quando, no caso do art. 140, § 2º, da violência resulta lesão corporal.
Parágrafo único. Procede-se mediante requisição do Ministro da Justiça, no caso do inciso I do caput do art. 141 deste Código, e mediante representação do ofendido, no caso do inciso II do mesmo artigo, bem como no caso do § 3o do art. 140 deste Código."

Ministério Público ?????

Igor Lodi Marchetti (Advogado Autônomo - Civil)

Li a denúncia e trata-se de crime de calúnia ou seja ação penal privada. Não é caso nem de representação, mas sim de queixa-crime.
Li a denúncia e não fica claro o interesse público do MPF no caso.
Achei muito estranho, pois apesar de falar da falsidade dos documentos, não foi a Carta Capital quem falsificou, mas sim publicou.
A denúncia trata só do crime do artigo 138 do Còdigo Penal com as agravantes.
Estranho é pouco.

E viva a LIBERDADE.....

Ademilson Pereira Diniz (Advogado Autônomo - Civil)

Infelizmente, é o preço que pagamos para bradar aos quatro cantos que TEMOS UMA IMPRENSA LIVRE, qual seja, admitirmos como IMPRENSA, tais sujeiras postas em papel e vendidas em bancas de jornais. por trás delas, não há dúvida, HÁ SEMPRE UM DEDO SUJO norteando seus ataques visando benefícios quase sempre ilegítimos. O lamentável é quando o JUDICIÁRIO se curva a tais interesses e 'chancela' a canalhice condenando inocentes com base no clamor público provocado pelo rufar de tambores dessa mesma IMPRENSA dessa forma contaminada, seja por escusos interesses da própria máquina estatal, seja por interesses ditos políticos (grupos minoritários que se agitam como lebres) ou interesses privados deletérios. Sim, lamentamos que uma pessoa como o Min. Gilmar Mendes (tenho o mais profundo respeito pela sua obra, que me serve de guia em estudos constitucionais) precise valer-se do PODER do qual é agente para defender-se de aleivosias aventureiras de detratores venais; mas é preferível que se coarte tais investidas por meio de processos judiciais, legítimos, a que tenhamos um 'controle' da imprensa pelo PODER PÚBLICO que, no BRASIL, anda enredado a interesses partidários obscuros e de segunda natureza.

Ministério Público?

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Mas não é calúnia contra a pessoa do Gilmar Mendes???

Resp. ao Rodrigo

ANS (Advogado Autônomo - Previdenciária)

(rss)

Fábula da Cotia e do Macaco

Rodrigo  (Advogado Autônomo)

ANS (Advogado Autônomo - Previdenciária), o teu comentário foi com precisão cirurgica das opiniões emitidas neste espaço. Huahuahuahua

Bom...

João Ricardo 1 (Outros)

Apareceram dois que pelo jeito leem e acreditam: museusp e ans.

Ao JCláudio

ANS (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Revista boa é a VEJA!(Sem interesses e totalmente imparcial.(rss))
Vivemos em um país sem ideologia, onde pegamos emprestado dos outros, por não ter.

Diário Oficial

Ricardo (Outros)

A liberdade de imprensa e um mal necessário? O engraçado e que o partido atualmente no poder e os seus membros desejam a todo custo controlar a imprensa e usam a mesma estratégia do que denominam PIG. O poder de influencia da imprensa e limitado. Ásia ver que o povo só saiu as ruas para protestar quando o quilo do feijão custava R$ 7,00.

... tudo é possível ...

Luiz Eduardo Osse (Outros)

... a partir de pessoas que possuem capangas sob suas ordens ...

Patrocínio

Raphael Luiz Piaia (Advogado Autônomo)

Prezado Pintar, alguns poucos ainda devem ler a tal revista (e esses poucos, infelizmente, são os que mais fazem barulho, baderna e se julgam moralmente íntegros), mas imagino que a maior fonte de sustento dessas revistas seja a própria publicidade estatal que elas veiculam - não necessariamente suas vendas.

Notícia ou "opinião"?

Museusp (Consultor)

“A tal lista apresentada por ele como prova à CartaCapital é sabidamente falsa. É a famosa Lista de Furnas, tida como forjada já desde 2002 pela CPI dos Correios, e que foi produzida no computador de Nilton Monteiro.”
Só para esclarecer. O Conjur está informando uma notícia ou expressando a opinião do jornalista? Como ele mesmo diz essa lista é antiga e já foi submetida a perícia da PF, ou não?

A denúncia foi feita pelo Gilmar Mendes

Kaue Oliveira (Cartorário)

Engraçado, o Gilmar Mendes não tomou a mesma providência quando o Joaquim Barbosa afirmou no plenário do STF: "Vossa Excelência está destruindo a credibilidade do Poder Judiciário neste país; vossa excelência não está falando com os seus capangas no Mato Grosso, ministro Gilmar".
Ora, tendenciosa é a revista Veja!
http://www.youtube.com/watch?v=1Vp_gp2F_-U

Panfleto publicitário

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Sinceramente, revistas da espécie de citada na reportagem são tão reconhecidamente parciais que pode-se falar até mesmo em ausência de potencialidade, tamanha a falta de credibilidade. Não sei porque existe ainda quem compra ou lê esses verdadeiros panfletos publicitários, que publicam qualquer coisa se alguém pagar bem.

Comentar

Comentários encerrados em 23/07/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.