Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Desvio de verba

Ex-governador de AL é condenado a 13 anos de prisão

A Justiça Federal em Alagoas condenou o ex-governador Ronaldo Lessa (PDT) e o empresário Zuleido Soares de Veras, dono da construtora Gautama, pelo desvio de mais de R$ 5 milhões da obra de macrodrenagem, no Tabuleiro dos Martins, em Maceió.

Lessa foi condenado a 13 anos e 4 meses de prisão, e Veras, a oito, ambos por peculato. A denúncia foi proposta pelo Ministério Público Federal em Alagoas em 2009, e teve como base investigações do próprio MPF e o relatório final da operação navalha, encaminhado pela Polícia Federal.

“A conduta do réu (a respeito de ambos) apresenta grau máximo de reprovabilidade tendo em vista que na trama criminosa engendrada pelo mesmo e por seus comparsas aproveita-se de valores transferidos de convênios e contrato para realização de obra fundamental para o estado de Alagoas e o município de Maceió”, disse o juiz.

Também foram condenados quatro funcionários da gestão Lessa (1999-2006): Ademir Pereira Cabral (então secretário de Estado de Infraestrutura), José Jailson Rocha (também exerceu o cargo de secretário de Infraestrutura), Fernando Souza (outro titular da pasta) e Denison Luna Tenório (diretor de obras, contratos e convênios da Secretaria de Infraestrutura). Os réus foram absolvidos dos crimes de dispensa ilegal de licitação e formação de quadrilha. O Ministério Público Federal irá recorrer dessa decisão. Com informações da Assessoria de Imprensa do MPF.

Ação Penal: 0006151-47.2009.4.05.8000

Revista Consultor Jurídico, 11 de julho de 2013, 21h55

Comentários de leitores

3 comentários

Dever de ofício e liberdade de imprensa, salve, salve!

Observadordejuris (Defensor Público Estadual)

Qualquer cargo na Administração Pública só é perigoso para quem é mal intencionado. Por outro lado, compete ao MP agir, quando as ações desses agentes públicos são contrárias aos ditames legais e é o papel principal da imprensa livre e sem peias informar a população acerca dessas ocorrências. Ora, pois, pois!

Uma vez o mp será sempre o mp e bandidos sempre bandidos

Silva Leite (Estudante de Direito)

Justificada a preocupação daqueles que defendiam o amordaçamento do MP com a proposta da PEC 37. Como cidadão, parabenizo mais uma vez o brilhante trabalho do MP, porém, creio que a pena mais justa seria O SEQUESTRO E LEILÃO DOS BENS DESTES LADRÕES, para que os recursos fossem aplicados, de fato, naquelas carências apontadas pela sociedade nas diversas manifestações ocorridas recentemente em todo o país.

Profissão perigo

José R (Advogado Autônomo)

Você, que trabalhou arduamente na iniciativa privada, que deu duro, que conseguiu algum patrimônio mercê de seus méritos, que formou um conceito e que obteve conceito e reputação, você mesmo, que tem conhecimentos que poderia oferecer como
Contribuição o Pais,se arriscaria a exercer função publica no Brasil de hoje? Não mesmo, né ? Então, fica tudo para o MP e para quem não tem nada mesmo a perder.
Uma situação surrealista, para qual a imprensa medíocre ( que se faz imensamente majoritária) contribuiu muito! Viva !

Comentários encerrados em 19/07/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.