Consultor Jurídico

Preservação da segurança

No Egito, exército poderá intervir em protestos civis

O governo do Egito propôs nesta segunda-feira (28/1) projeto de lei que permite ao presidente do país, Mouhamed Mursi, utilizar as Forças Armadas na "preservação" da segurança no país sempre que achar necessário. A medida ainda precisa ser ratificada pelo Parlamento.

A aprovação aconteceu em meio a protestos violentos contra o presidente Mursi nas cidades de Port Said, Suez e Ismailiya — as três províncias que registraram os atos de violência mais graves desde a sua eleição. O presidente decretou estado de urgência nas cidades, com duração de 30 dias.

Grupos e partidos políticos de oposição convocaram para esta segunda-feira uma marcha pacífica em protesto contra os atos de violência no país. Com informações da Agência Brasil.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 28 de janeiro de 2013, 21h06

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 05/02/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.