Consultor Jurídico

Notícias

Cantora absolvida

Hostilidade faz parte do trabalho de policial militar

Comentários de leitores

8 comentários

Decisão equivocada!!!

Luiz Carlos adv (Advogado Associado a Escritório)

Não conheço os detalhes do processo, mas pelo que ouvi em programas de rádio (o áudio com as ofensas), não posso acreditar numa sentença dessas. Os policiais foram pessoalmente ofendidos e desacatados por pessoa determinada. Pessoa essa que fazia apologia ao crime. Terrível, terrível. Inacreditável. Rita Lee agora vai achar que pode tudo isso e mais um pouco.

hostilizar PM não significa nada

ACUSO (Advogado Autônomo - Dano Moral)

E se as ofensas tivessem sido assacadas contra um, ou contra varios juizes de Direito ? Que sentença seria prolatada ? O tacante seria defendido por um outro juiz ? Essa sentença que livra Rita Lee de reparar os danos que causou a autoridades policiais, é uma verdadeira peça de defesa. Não são as leis que permitem a impunidade e sim interpretações criadas por magistrados!

Muitos pesos e inúmeras medidas

Le Roy Soleil (Outros)

Se fosse um juiz o ofendido, teríamos aqui mais uma polpuda indenização concedida pelo Judiciário, a ensejar até mesmo o enriquecimento ilícito da parte.
Mas é de conhecimento público, no Judiciário brasileiro há vários pesos e inúmeras medidas ...

Absurdo

João Vitor Correia (Outros)

É clara, nítida e precisa a ofensa aos policiais.
Será que essa decisão é realmente justa?
Como ficam os artigos 186, 187, 927 do Código Civil.
Ainda bem que existe o duplo grau de jurisdição!

graves equívocos

Pablo Batista de Souza (Oficial da Polícia Militar)

A decisão que absolve a cantora Rita Lee tem vários equívocos.
Primeiro, comparar neste caso em concreto os policiais a juízes de futebol não tem lógica. É claro que os juízes de futebol são ofendidos o tempo todo nos estádios, mas é praticamente impossível identificar os autores das ofensas, o que inviabilizaria uma ação indenizatória. No caso Pms x Rita Lee, temos o autor das ofensas plenamente identificado. Então, aquela regra básica para se responsabilizar alguém, pela teoria da responsabilidade subjetiva, está concretizada, pois há a conduta, o resultado, o nexo causal, o dano, o ato ilícito e o dolo.
O outro raciocínio é o seguinte, o fato de o policial ter preparo para suportar ofensas é simplesmente para que ele não extrapole no uso de seu poder. No entanto, isto não significa que ele não venha a sentir ofendido, humilhado com tais ações. O que é preocupante em tal decisão é que o Juiz desconsiderou o caráter preventivo da punição, pois se os fundamentos da decisão prevalecerem está liberada a prática de ofensas, sem que isto implique em algum tipo de responsabilidade.
Analisando a questão pelo lado da Rita Lee, a responsabilidade dela é ainda maior pois é pessoa, pública, tinha o microfone em mãos e com grande poder de influcia sobre a massa. O dever dela era o de acalmar os ânimos e não inflamá-los, e pior criar um ambiente ainda mais tenso, dificultando a resolução do problema para quem estava agindo por dever de ofício.
Enfim, quando se pensa que as decisões devem ter um fim social, nesta, vemos que não atingiu nem de longe.

Fã de Rita Lee

Saulo Henrique S Caldas (Advogado Sócio de Escritório)

O magistrado sentenciante deve ser fã de Rita Lee. Quem viu o vídeo da cantora execrando a PMSE jamais enveredaria por uma raciocínio estapafúrdio deste. Infelizmente, a senhora Lee estará encorajada a (em nome de uma FALSA IDEIA do que seja liberdade de expressão) hostilizar policiais que - pasmem! - forem "truculentos" com pessoas que cometem crimes durante a execução de seus shows. Sugestão aos policiais: Ao verem cidadãos fumando maconha nos shows dela, sorriam e diga que "o Estado ama" eles; mandem flores ou convidem para jantar.

Poderosos e não tão poderosos.

Diogo Duarte Valverde (Advogado Associado a Escritório)

Sem entrar no mérito da questão -aliás, se sentir ofendido dá tanto dinheiro neste país que imagino que alguns sejam profissionais em se sentirem ofendidos- duvido muito que a decisão teria sido idêntica se as ofensas tivessem sido proferidas contra qualquer poderoso em geral (lembro aqui da bolada de R$50,000 que Collor faturou recentemente. Uma verdadeira Mega-Sena!). Em tal caso, fatalmente teria sido feita uma defesa implacável, xiita, do direito à honra.
.
Lembrando os ensinamentos do Prof. Lênio Streck, eis aí a "katchanga" sendo jogada. O poder sempre ganha neste carteado, os subordinados e contribuintes que vão às favas.

Uns e outros

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Queria ver se a Rita Lee tivesse feito o mesmo com juízes. Certamente a indenização iniciaria em 500 mil para cada um deles.

Comentar

Comentários encerrados em 7/03/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.