Consultor Jurídico

Notícias

Pagamentos inflados

CNJ suspende benefício pago a juízes trabalhistas

Comentários de leitores

7 comentários

CNJ proíbe pagamento de benefício a magistrados da J. Trab

Renato Adv. (Advogado Autônomo - Civil)

O Brasil parece que anda aos trancos, igual a veículos velhos caindo aos pedaços, acham meios de tomarem nosso dinheiro de todas as formas.
Exemplos:
Auxilio paletó, auxilio família, auxilio aluguel, auxilio remoção, carro, motorista, segurança, contratação de familiares em gabinetes de amigos, e se formos anotar vão aparecer mais uma centena de acertos e quebra galhos legalizados.
Por essa razão e outras razões do tipo, que o Brasil Não Prestou Ontem, Não Presta Hoje e com absoluta certeza não vai Prestar amanha, não vai Prestar no futuro.
Culpa de quem? Do cidadão que não sabe exigir seriedade e honestidade daqueles que tem o DEVER de serem os primeiros a dar bons exemplos.
Renato.

Cnj averigue mais ainda

themistocles.br (Advogado Sócio de Escritório - Administrativa)

Há comentários de que a suspensão desses pagamentos deveriam abranger não apenas os juízes trabalhistas, mas também os juízes federais, pois também receberiam ou teriam recebido as mesmas diferenças.
Caberia ao CNJ verificar se apenas juízes trabalhistas iriam receber essas diferenças. Está ai uma sugestão para o CNJ averiguar.
Aliás, entre nós, essa Associação Anamatra deve ser recordista em derrotas para sua categoria.

Renda extra

boan (Contabilista)

E os trabalhadores e sociedade civil acreditando na correção de atuação de inumeros magistrados -estaduais e federais. Sabem do erro, deixam passar o tempo depois cobram atrazados e incluem indices indevidos e elevados. Estamos perdidos. A maracutaia abraçou de vez o poder. Salvo poucas excessões, estamos perdidos.

Jeitinho desajeitado

Zé Machado (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Falam muito da primazia da realidade, mas dão um jeitinho para figir dela, quando se trata de interesses corporativos. É uma baita vergonha isso vindo da magistratura trabalhista, que tinha um pouquinho de credibilidade. Aos honorários de sucumb|ência nada de primazia da realidade. É podridão após podridão e não tem fim. São esses os poderes da república que mais parece a corte portuguesa no Brasil.

A raposa cuidando do galinheiro

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

É de fato espantoso a forma e a habitualidade com que os juízes desrespeitam as leis. Ora, a notícia sob comento afirma que os magistrados trabalhistas pretendiam recebem mais de 1 bilhão de reais dos cofres públicos, ao passo que a notícia anterior dá contra de que, sem qualquer previsão legal, os mesmos magistrados trabalhistas querem cobrar da OAB pelo uso da sala. Todos esse magistrados sabem melhor do que ninguém que o Judiciário NÃO PODE cobrar sem que exista previsão legal, ao passo que o mesmo Poder Judiciário NÃO PODE distribuir dinheiro aos juízes, e mesmo assim eles violam a lei sem se importar com as consequências, sempre em benefício próprio ou visando perseguir seus históricos desafetos. E, o mais grave de tudo, é que a essa classe de cidadãos (para não dizer outra coisa) é conferida a prerrogativa de nos julgar a todo momento.

O governo não gostou!

brasileiro cidadão (Oficial de Justiça)

Parece que o Executivo não gostou de ter sido denunciado pela ANAMATRA na CIDH!
Trata-se de mais uma retaliação contra quem exerceu seu legítimo direito!

Cada vez mais este país revela não ser sério!

Paulo Jorge Andrade Trinchão (Advogado Autônomo)

Estão fazendo da republiqueta de bananas verdadeiras capitanias hereditárias, com o Poder Judiciário imprimindo as regras do jogo. Sem a salutar intervenção do CNJ este país se transformaria rapidamente em um sissômico império da magistratura!

Comentar

Comentários encerrados em 1/03/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.