Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Disputa acirrada

Cardozo recebe candidatos a vaga de Ayres Britto no STF

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, tem recebido em seu gabinete os candidatos à vaga do ministro Ayres Britto, que deixou o Supremo Tribunal Federal em novembro do ano passado ao completar 70 anos. As informações são do jornal Valor Econômico.

Segundo o jornal, Cardozo recebeu na quinta-feira (31/1) o advogado e professor Humberto Avila. Na sexta-feira (1º/2) seria a vez do advogado e colunista da ConJur Heleno Torres. Os dois são especialistas em Direito Tributário. A presidente Dilma Rousseff, de acordo com a reportagem, pretende escolher o novo ministro até março.

O pernambucano Heleno Torres tem apoio de governadores do nordeste, como Eduardo Campos (PSB), e do deputado federal Gabriel Chalita (PMDB-SP). Já o gaúcho Humberto Avila vem com a chancela do ministro aposentado do STF Eros Grau. O aspecto regional conta a favor de Heleno, uma vez que o último pernambucano nomeado para o STF foi no governo Getúlio Vargas, em 1939, com Frederico de Barros Neto. Já pelo lado de Avila a indicação de Eros Grau foi fundamental para Cardozo decidir conhecê-lo.

Os dois tributaristas já disputaram um cargo público: o de professor titular de Direito Tributário da USP. Na ocasião, o professor da Universidade de Coimbra Diogo Leite de Campos desempatou o certame a favor do gaúcho, fato contestado pelo pernambucano. O concurso acabou anulado. Atualmente,  Humberto Ávila é professor titular de Direito Tributário na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Heleno Torres é professor da USP.

Revista Consultor Jurídico, 2 de fevereiro de 2013, 17h52

Comentários de leitores

12 comentários

Deus meu, tudo como d´antes no quartel de Abrantes?

Mauro Abramvezt advogados (Advogado Autônomo - Comercial)

Quem já conhecia, ou quem ficou ciente do "imbroglio" através da já famosa entrevista do ministro Fux à Folha, diga-se de passagem, imprópria por excelência, a deslustrar qualidades do próprio entrevistado,aí está a verificar que nada mudou, lamentavel e tristemente...
Há erro no nascedouro!
O ministro da Justiça é PT, e PT é todo o arcabouço por onde deve desfilar um pretendente ao STF... O que deseja o PT ao fazer ouvir tal figura, em autêntico balcão de negócios? Tranquilizar-se com a declaração de que tal nóvel figura, introduzida no STF, votará em seu favor?
Emporcalha-se a Nação e se busca garantir que outros "mensalões", de qualquer jaez, não sofram o crivo da Justiça, ora, ora...
Longe de se garantir o saneamento da classe politica, colocam-se "pontas-de-lança" na Câmara, no Senado, nos ministérios e na Justiça, tapando a boca do povo com as míseras "bolsas-esmolas" e tudo restará à espreita do mais que pretende o PT em relação ao pobre Brasil.

Candidatos à cadeira de Ayres Britto no STF no Planalto

Renato Adv. (Advogado Autônomo - Civil)

José Eduardo Cardozo recebe candidatos à cadeira de Ayres Britto no STF.
Pelo jeito, já começou os pedidos, os favores, passagem do chapeu, conchavos e mutretas em busca das bondades do governo federal.
É urgente e necessário, que escolhas para preencher cargos no judiciário seja tão somente por votação direta de ministros, de juízes e uma banca da OAB do Brasil com os representantes de cada estado da união em votação direta e aberta.
Creio, que com esse tipo de procedimento, riscos serão reduzidos em todos os sentidos.
Renato.

Mundo despótico

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A simples ideia da eleição direta faz com que os déspotas brasileiros sintam o próprio sangue congelar nas veias. A República brasileira é conduzia por conchaves e troca de favores a portas fechadas, sendo que toda a estrutura do poder está montada por sobre esse alicerce. Não há espaço para que qualquer ideia de democratização frutifique, nem mesmo junto a entidades que historicamente são defensoras das liberdades democráticas, como a moribunda Ordem dos Advogados do Brasil. E os anos vão se passando e o País continua na berlinda. Enquanto outros nações tradicionalmente atrasadas crescem e se modernizam, o Brasil vê a cada dia piorar seus históricos problemas, enquanto a tão festejada Constituição Federal de 1988 vai sendo dia a dia dilapidada em seus princípios mais elementares. O crime domina o País de Oiapoque ao Chui, enquanto a única coisa que efetivamente progride são os mecanismos de submissão e subjugação do povo e as armas ideológicas de dominação do homem pelo homem.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 10/02/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.