Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Cinco dias

Semana de Conciliação em SP tem acordos de R$ 30 milhões

A Justiça de São Paulo registrou R$ 29,6 milhões em acordos durante a 8ª Semana Nacional de Conciliação. Ao todo foram atendidas 42,5 mil pessoas. O mutirão, que durou cinco dias, foi organizado pelo Tribunal de Justiça estadual e pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região, e coordenado pelo Conselho Nacional de Justiça.

O coordenador do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos do TJ-SP, desembargador Vanderci Álvares, falou da importância do mutirão e afirmou que a conciliação "é uma verdadeira atividade de pacificação de conflitos". Ele agradeceu os colaboradores e os parceiros que contribuíram para tornar possível a realização de um evento desse porte. "Muitas pessoas foram atendidas, saindo daqui felizes e com as questões resolvidas por eles próprios. Quero agradecer especialmente aos advogados, conciliadores, defensores públicos, promotores e aos funcionários do TJ-SP que entenderam a magnitude desse evento e o alcance de respeitabilidade do cidadão".

Participaram do mutirão 2,1 mil magistrados, 3 mil conciliadores e 4 mil colaboradores. Na capital paulista, o evento contou com a parceria da Fiesp/Sesi, Eletropaulo, Sabesp, Vivo, Metrô, Prefeitura, Procon e Polícia Militar. Atuaram também integrantes do Ministério Público e da Defensoria Pública.

O juiz coordenador do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc), Ricardo Pereira Júnior, disse que a Semana Nacional da Conciliação foi bem sucedida não somente pelo grande número de atendimentos, como também pelas orientações oferecidas no serviço de cidadania que tirou dúvidas da população. Ele lembrou que os interessados podem procurar o Cejusc mais próximo de sua residência para resolver os conflitos de forma mais rápida e sem custo.

O valor movimentado de R$ 29,6 milhões refere-se a 6,6 mil acordos concretizados e 15,1 mil audiências, contabilizando 1ª e 2ª instâncias. Em 2ª instância, foram 332 audiências e, em 1º instância, 14,8 mil. Desse total, 12 mil eram processuais e 2,8 mil pré-processuais. Foram feitas ainda 2.021 audiências criminais. Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-SP. 

Revista Consultor Jurídico, 11 de dezembro de 2013, 19h31

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 19/12/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.