Consultor Jurídico

Notícias

Salva de prata

Aos 70 anos, Aasp recebe homenagens e relembra histórias

Comentários de leitores

5 comentários

Nossa querida aasp

Jose Benedito Neves (Advogado Sócio de Escritório)

Li, revivi, emocionei-me! A merecida homenagem prestada para a querida e insubstituível AASP é, para nós advogados, a expressão de um justo reconhecimento por tudo o que devemos a essa Entidade. Sou advogado militante desde 1973. - Lembro-me, como se fosse hoje, daquelas perguntas diárias, ao chegar ao escritório: "chegaram as publicações ?" e "que novidades trouxe-nos o Boletim ?". Era como se fosse um rito. Fazia parte do próprio exercício da advocacia. Concordo que nós, Paulistas, tivemos a sorte e o privilégio de contar com a AASP - a infalível. Nesses 40 anos de exercício efetivo, posso testemunhar que NUNCA houve uma falha na entrega dos recortes das publicações. Certa vez, intrigado com a tamanha precisão, fiz uma visita à Seção de Recortes da AASP, ainda no Largo de São Francisco. Não havia computadores. Era tudo no "manual", na memória dos inúmeros funcionários, com dedicação inspirada no "estado de espírito" que era a AASP, já naquela época. A AASP teve a felicidade de ser, sempre, dirigida pelos melhores advogados, desde então, como é até hoje. Sobre nossas prerrogativas, recorríamos à AASP, quando necessitávamos defendê-las. E, sempre, encontramos guarida e apoio. Hoje, já na era da informática, a AASP se mantém à frente. O meu Certificado Digital é expedido pela AASP - e sempre será - até quando isso seja disponível. É tudo uma questão de confiança, já impregnada pelos anos de associado satisfeito, como a grande maioria. Parabéns AASP ! Parabéns Advogados Paulistas que a tem, também, na vanguarda e na retaguarda de seus direitos e prerrogativas.
JOSÉ BENEDITO NEVES
OAB.SP. 29.559
AASP 7695

Ausente

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Conforme foi amplamente divulgado pela imprensa, ingressei no CNJ com um pedido de providências que culminou com o afastamento do Desembargador Ivan Sartori das eleições a se realizarem amanhã no TJSP. Ontem a liminar foi submetida ao Plenário do Conselho e confirmada, sendo que agora a pouco me chegou em mãos a certidão de julgamento. Assim consta:
.
(...)
Ausente, justificadamente, o Presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil.
.
Brasília, 2 de dezembro de 2013."

Opção ruim

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Tentar optar entre "pagar a OAB e pagar a AASP" é o mesmo que decidir se você vai comprar um Gol ou um Palio: ambos são carroças ambulantes praticamente iguais, que custam 5 vezes mais do que valem. Em 11 anos de advocacia nem a OAB nem a AASP fizeram algo em meu favor. Muito pelo contrário. Apenas como exemplo, acabei de preparar um mandado de segurança contra o Presidente do Tribunal de Ética, que depois da luta para se promover a carga dos autos agora determina que o advogado deve ficar esperando a digitalização dos autos antes de promover a carga. Se essas Entidade simplesmente não existissem, não faria a mínima diferença, com a vantagem de que eu teria economizado um bom dinheiro. Obviamente que eu estou criticando o grupo que domina a OAB (não teria como criticar a gestão da AASP, porque não sou associado), e não a Ordem dos Advogados do Brasil nos termos do que é prevista em lei. O problema aqui está em quem administra, não da Entidade prevista abstratamente.

Não sei, não...

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Dr. Marcos,
Sinceramente?
Se pudesse escolher entre pagar OAB e AASP, não pensaria duas vezes: pagaria AASP!
Pena que para a OAB, o desperdício é inevitável, compulsório. Ao contrário da Ordem, a AASP recepciona e, efetivamente, leva adiante os pleitos formulados. Só não concordei com a postura de alguns dirigentes da ASSP que, na última eleição da OAB, resolveram barganhar e apoiar alpinista jurídico como se fosse ação institucional (da AASP) e não pessoal.
Também me incomoda a "carona" que a Ordem pega - sem qualquer oposição da AASP - nas iniciativas da Associação...

Perdeu sua razão de ser, por omissão

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

É uma pena que a Associação é hoje apenas história.

Comentar

Comentários encerrados em 11/12/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.