Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Asas de anjo

TJ-RJ condena Hypermarcas a indenizar Victoria's Secret

Por 

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro condenou a Hypermarcas, dona da Monange, a pagar R$ 100 mil em indenização à Victoria’s Secret por concorrência parasitária. O julgamento foi na última quarta-feira (14/8), na 14ª Câmara Cível. A maioria dos desembargadores acompanhou o relator, Cleber Ghelfenstein.

“O precedente é inédito, pois envolve a discussão sobre concorrência parasitária na área da moda e proteção de trade dress não convencional”, disse o advogado Marcelo Mazzola, sócio do escritório Dannemann Siemsen, que representa a Victoria's Secret.

A grife americana processou a Hypermarcas por concorrência desleal, com alegação de uso de símbolos distintivos da marca. Segundo a Victoria’s Secret, o evento "Monange Dream Fashion Tour", em 2011, foi feito nos mesmos moldes do "Victoria’s Secret Fashion Show".

Entre os elementos característicos de seu evento, a gigante da moda feminina citou o uso de asas de anjos, plumas e penas, que fazem parte da estética da Victoria’s Secret há mais de dez anos, além da contratação de modelos que desfilaram para a Monange exatamente como as chamadas angels da grife multinacional.

“Os elementos distintivos que compõem o desfiles da marca de lingerie são mundialmente famosos”, disse o advogado Mazzola. Ainda cabe recurso de ambas as partes, no Superior Tribunal de Justiça. 

Na primeira instância, a sentença condenatória da Hypermarcas já havia considerado, em março do ano passado, o caráter parasitário do evento da Monange. “O sinal distintivo em questão — 'asas de anjo' —, portanto, merece a proteção legal, como forma de impedir a concorrência desleal, só assim evitando-se a possibilidade de confusão passível de acarretar desvio de clientela e locupletamento com o esforço alheio”, diz a sentença.

0121544-64.2011.8.19.0001

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 19 de agosto de 2013, 20h49

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 27/08/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.