Consultor Jurídico

Artigos

Tensão no Supremo

Joaquim Barbosa deve desculpas a Ricardo Lewandowski

Comentários de leitores

16 comentários

Julga-se com paixão, ou com desprezo

Sander Fridman - Juspsiquiatria (Psquiatra)

Quem acredita que o julgamento é desapaixonado, que a razão não é instrumento dos instintos e do caráter, poderá estranhar a emotividade envolvida nos debates do STF. Mas a retórica emocional tem ganho o coração dos brasileiros, pois apela adequadamente te pela indignação geral, contra o corpo mole dos julgamentos contra o crime político organizado, sua razão ética é irretorquí el: pretende retomar decisão votada por unanimidade, inclusive por ele mesmo!?!
Da Wikipédia: "As chicanas tem por finalidade suportar os tubos, evitando os problemas causados pelas vibrações, e garantir o fluxo cruzado do fluido do casco, aumentando a convecção forçada sobre os tubos." Em linguagem sindical chamaríamos de pelegos. Como discordar de tal leitura que é mais uma de única do que uma ofensa?

Falta de postura ou de paciência?

Carmem Lílian (Advogado Associado a Escritório)

É sabido que uma boa educação e sempre importante, em especial, em uma Alta Corte do Judiciário.
Contudo,até a nós, advogados pobres e mortais, temos no ímpeto de muitos andamentos e julgamentos a vontade de dizer aos magistrados e aos serventuários da justiça: "isso mais parece uma chicana" - não dizemos, porque não podemos...rs. Essa é a verdade!
E de hipócrita, cada um tem um pouco. Não somente JB e toda a Corte.
Talvez o que falte a JB é a gentilidade do conformismo e da aceitação, característica tipicamente brasileira.
Ainda bem que alguém AINDA tem reações de inconformismo em nosso país. Tomara que não caia, também, na comodidade e deixe tudo "ir indo".
Admiro quem tem CORAGEM.
E para mim o Brasil quem tem que agradecer a postura de JB e à sua atitude de coragem. Não se acovardando ou se vendendo, como muitos o fazem.
Parabéns Ministro Joaquim Barbosa.

Negação de justiça!

Marcio Luciano Menezes Leal (Administrador)

Data vênia, mas que o Lewandoviski desde o início do julgamento tem feito corpo mole com os mensaleiros, tem, e nisso como diz alguns companheiros, o Barbosão está cheio de razão, pois a nação não aguenta mais tantos recursos dos recursos dos recursos, repetitivos, de coisas superadas nos julgamentos unânimes procedidos anteriormente. A nação não aguenta mais a justiça lenta para os pobres e poderosa/protetora em sua lerdeza de julgamento repetitivo, para os ricos/poderosos.
Marcio Leal
(Copacabana-Rio)

JB para Presidente ?

MARCELO-ADV-SE (Advogado Associado a Escritório)

Até andei meio simpático com a tese de ver JB na Presidência da República; seria ótimo para o Poder Judiciário livrar-se de alguém que não preenche o mínimo requisito para ser magistrado, que é a serenidade.
Só não a defendo abertamente porque seria péssimo para o país ser comandado por outro falso Messias, desses que de quando em quando aparecem e seduzem a opinião pública desavisada com um discurso moralista hipócrita, posando de última reserva moral do planeta.
No entanto, não concordo com a tese de Lewandovski, porque os embargos de declaração não se prestam para a modificação do julgado.
Ou seja: para JB, um pouquinho de Voltaire:
"Não concordo com uma palavra do que dizes, mas defenderei até o último instante seu direito de dizê-la".

Futuro presidente do judiciário

Antonio Carlos Novaes (Outros)

Acredito que em uma votação popular a maioria desaprovariam o nome do Lewandowski para exercer a função de Ministro e muito menos a de Presidente do STJ.

Nada de pedir desculpas...

Ademilson Pereira Diniz (Advogado Autônomo - Civil)

Sim,é certo que o Min. Barbosa não se houve com a elegância esperada por ocasião do debate em questão. Mas é certo que alguém devia ter o caráter necessário para dizer ao Min. Ricardo L. que sua ladainha estava fora de tom e se tratava de um abuso a sua alegação de 'arrependimento' por seu voto anterior. Não se tratava tão só de uma 'posição', como diz o articulista, mas de uma teratológica e indevida mudança do curso do processo, algo, aliás, bem próximo do que o Min. Barbosa designou como 'chicana', sem, todavia, ter acusado especificamente o Min. Ricardo L. de estar chicaneando. Falar que alguém está cometendo uma 'burrice' não é o mesmo que dizer que esse alguém é 'burro', está claro. Mas, já está na hora de alguém dar um 'chega' no Min. Ricardo L. Ele está abusando da civilidade dos demais Ministros que o ouvem por mera educação e elegância, mas, na verdade, já não suportam seus pretensos argumentos a fim de reverter as condenações muito a bom tempo lavradas pelos réus do mensalão. Aliás, está na hora de o BRASIL retomar as rédeas do bom caminho e deixar de tanta leniência com canalhas e bandidos, como se uma força imensa, baseada num sentimento de extremada culpa, nos causasse horror em dar o nome aos bois e punir delinquentes e que tais. Hoje, somos assaltados e vilipendiados o tempo todo e só faltamos pedir desculpas aos ladrões e assassinos! O 'furto' vai deixar de ser crime, é claro, porque, se depender de representação da vítima, esta vai deixar prá lá por evidente medo de represália. A legítima defesa não mais existe, pois sempre a vítima poderá vir a ser castigada.Espero que o Min. Barbosa não peça desculpas ao Min. Ricardo L. Se se trata de desculpas, quem as deve é o Min. Ricardo L., não ao Min. BARBOSA, mas ao POVO BRASILEIRO.

jb jb

Radar (Bacharel)

Tem que ser muito macho para reconhecer o próprio erro.

Ação Penal 470

boan (Contabilista)

Dentro de alguns meses quem tomará assento na cadeira alta será o Ministro Lewandowski. Como será sua atuação como Presidente da Côrte. Terá revide ou tapa de luvas. Quanto a pedir desculpas cada julga a si próprio. Fica-se no subjetivo.

Joaquim Barbosa x Lewandowski

J. Cordeiro (Advogado Autônomo - Civil)

Élio Gaspari que me perdoe, mas o erro esta em citar exemplos em língua estranha ao idioma original do ministro Joaquim Barbosa. Nisto, também peca o ministro Lewandowski. Onde já se viu falar portugês em julgamento de tamanho vulto? Sabemos que o ministro Joaquim e altamente versado nas "Deutsche Gesetze", alem de fã incondicional do príncipe Von Bismark. Então, por quê provocá-lo com com menção de Corte norteamericana ou indagações usando a "última flor do Lácio, inculta e bela"? Se alguém lhe perguntar: "tudo bem, ministro?" ele, germanicamente, há de responder: "Es it in Ordnung, danke". Esta no "sangue". E não fosse o atraso cultural da Corte, haveria de ser o mensalão em muito superior o Julgamento de Nüremberg. Êta povo ingrato...

Tem que ter postura!

Neli (Procurador do Município)

Penso que juiz tem que ter postura.Os dois estão errados.E quem perde é o Judiciário.

Quem deve pedir desculpa ao brasil é lewandoswki

Chiquinho (Estudante de Direito)

QUEM DEVE PEDIR DESCULPA AO BRASIL É LEWANDOSWKI, QUE TENTA JOGAR A SUJEIRA PARA DEBAIXO DO TAPETE DO JUDICIÁRIO!
Os brasileiros estamos cansados de conchavos na esfera público-administrativa, de acordo escusos, de malversação do dinheiro público, da improbidade administrativa, do enriquecimento ilícito de políticos sujos. Isso é o que deveria nos indignar, sempre, e não um debate-boca dessa magnitude suprema. Será que o Brasil é exceção à regra, ou a Suprema Corte Americana e outras quejendas passam por esse mesmo comportamento entre seus pares quando estão em discussão "eventos escabrosos de proporções tais?"
O que está sendo pior para o Brasil e os brasileiros: os saques feitos pela maioria dos seus administradores que elegemos para nos respeitar e não serem punidos, ou a indignação do ministro presidente do STF, Joaquim Barbosa, que ficar de mãos atadas sem poder pôr esses ladrões na cadeia e por cima confiscar-lhes os bens que roubaram da Nação?

Incógnita

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Barbosa já disse que não vai pedir desculpas, e a crise institucional está criada. O povo, que gosta do "estilo Big Brother" e nem sabe exatamente o que estava sendo discutido, ficará do lado de Barbosa, ao passo que a comunidade jurídica tende a apoiar Lewandowski (mesmo não gostando dele). O futuro da querela é uma incógnita, e só o tempo dirá o que realmente vai acontecer.

Câmara dos Lordes, gentleman speaking.

Balboa (Advogado Autônomo)

A impressão que dá é que quem gritar e agredir mais levará a peleja! Nunca imaginei que debates no STF seriam compostos com falta de educação, respeito e civilidade. Discutir idéias é ótimo, discutir teses é construtivo, mas falta de educação é outra coisa. A impressão que dá é que Ministros do STF estão amedrontados com certas atitudes agressivas.

Perdoado

RT1780 (Outros)

Sr. Barbosa
Talvez pecou.....um pouco! Mas vamos ser sincero o homem eh um straight shooter, nao temos tempo a perder. E o SR. Autor citou...a elegancia da Suprema Corte Norte Americana, cordial e etc.....correto! Mas o Justice Scalia, maioria das vezes nao eh nada cordial com reus e demais advogados.....e ele nao pede desculpa para ninguem o sequer se retrata com respeito o seus proprios argumentos em publico ou em corte!
A mim o Sr. Barbosa nao deve nenhuma desculpa....apenas deve a justica, e eh isso que importa! Lewandowski put your big man pants on....seja homem cara, ethos, logos, e pathos!
E pra quem se sentiu ofendido......cresca! Nem no Golfe tudo eh cordial! :-)
(erros de portugues e gramatica ...culpa do tablet)

Comentário do magistrado

Observador.. (Economista)

Tenho (ou tinha, não sei) ótimas expectativas à respeito do Min.Joaquim Barbosa.
Tem uma história de vida com a marca da superação, da dedicação, dos estudos e da vitória em seu caminho.
Mas tenho que concordar com o magistrado que comentou antes de mim.Um país que está se acostumando a resolver questões no grito,na agressividade, na violência, no poder adquirido(por quem quer que seja) é um país fadado ao insucesso.
O Min.Barbosa, pelo visto, não consegue controlar seu comportamento que tem um vezo agressivo e ditatorial.
Precisamos de exemplos.Precisamos de pessoas mais completas.O Brasil está carente de líderes e já namora o abismo há um bom tempo.O dia em que o abismo se encantar com o Brasil pode ser tarde demais.
A impressão que tenho é que a sociedade se acostumou com o papel de "Alice", aquela mesma do país das maravilhas, e não está percebendo o fato de que, de pequenos detalhes se fazem grandes tropeços históricos.E estamos cheios de "detalhes" a corrigir, em todas as áreas.
Acho preocupante.

Joaquim Barbosa deve desculpas ao Brasil

Iorio D'Alessandri (Juiz Federal de 1ª. Instância)

O debate entre juízes de órgãos colegiados é mais proveitoso que a mera leitura de votos. Às vezes, a temperatura dos debates sobe, e faz parte da liberdade de decisão/discussão adjetivar negativa e duramente os ARGUMENTOS lançados em voto discordante.
O choque deve se dar entre idéias/argumentos, não entre pessoas. Um Ministro, durante sessão pública e televisionada, não pode agredir a honra da PESSOA que profere seu voto: se não bastam as regras de educação, é dever de qualquer servidor público tratar os outros com urbanidade.
O Ministro Joaquim Barbosa é livre para discordar veementemente do voto do Ministro Ricardo Lewandowski, de achar que os embargos de declaração não se prestam a oportunizar arrependimento, de apontar incoerências ou desconformidade com a lei. Entretanto, ao afirmar que Lewandowski fazia chicana, acusou-o de valer-se de sua função para votar de forma deliberada contra a lei (deixando implícita acusação de interesse pessoal em assumir comportamento ilegal).
Chamado pelo ofendido a retratar-se ou a aprofundar a acusação, o Ministro Joaquim disse que não se retrataria e encerrou a sessão. Ponto final. A última palavra foi a dele.
Não se trata da briga entre dois anônimos num bar, situação em que caberia apenas ao envolvido levar ou não adiante a tentativa de responsabilização do ofensor: são dois Ministros do STF, em plena sessão de julgamento televisionada. Sou e continuo sendo a favor da transmissão ao vivo das sessões do STF - porque esse é o melhor controle popular - mas é teratológica a assunção desses comportamentos.
Who cares? We care!
O Ministro Joaquim deve respeito aos seus pares, aos jurisdicionados e a todos os brasileiros. O Ministro Joaquim deve desculpas ao Brasil.

Comentar

Comentários encerrados em 26/08/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.