Consultor Jurídico

Artigos

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Aprendizado constante

Trigueiro Fontes Advogados completa 20 anos

Por 

O Trigueiro Fontes Advogados foi fundado há 20 anos. O dia foi precisamente 5 de janeiro de 1993 (uma semana depois de haver retornado à minha cidade, após quase uma década fora). Por volta das 13h, entrei em uma pequena sala de 28 metros quadrados no centro velho de Natal (RN). Lembro-me perfeitamente que trajava um terno cinza, camisa azul clara de mangas curtas (imagine o calor em pleno verão nordestino!) e gravata na cor vinho.

Passei todo o mês de janeiro sem receber qualquer cliente, sequer um telefonema. Apenas minha mãe e minha mulher me ligavam para saber como estavam as coisas. Como não tinha secretária (esta só começou o trabalho em fevereiro), praticamente chegava a dormir sobre os livros que tentava ler, tal o marasmo que me assolava. Esses telefonemas serviam como despertador. Mas não desisti. Fui todas as tardes, das 13h às 18h para o meu escritório. Em fevereiro, comecei a dar aulas na Faculdade de Direito da Universidade Potiguar. Meu querido amigo e professor Paulo Lopo Saraiva tinha indicado o meu nome para assumir aquela missão.  Eu era professor de Ciência Política e de Direito Constitucional. Adorava a tribuna, um verdadeiro palco. Também dava aulas de História em um colégio particular, graças ao meu inestimável e eterno mestre, Luís Eduardo Suassuna (vulgo Coquinho). Até hoje agradeço sinceramente aos dois pela oportunidade que me deram para retornar à cena em Natal, cidade da qual estava afastado havia oito anos (tinha morado em Brasília durante esse período, quando me formei na Universidade de Brasília e trabalhei no Pinheiro Neto Advogados).

No mês de fevereiro, já circulando um pouco mais na cidade, recebi os dois primeiros clientes no escritório. Aliás, eram duas mulheres. A primeira estava com um problema relacionado à regularização de um imóvel de sua irmã. A segunda tinha sofrido um acidente de trânsito e buscava indenização.

Encontrei a solução para a questão imobiliária e contei entusiasmado para minha cliente o que iríamos fazer. Disse quanto seriam os honorários e ela ficou de acertar tudo no dia seguinte, após conversar com a irmã. Já a questão da segunda cliente, resolvi mandar uma carta, na qualidade de advogado da parte, para o causador do acidente, lembrando que se fosse necessário ingressar em juízo certamente os custos com o processo, além dos meus honorários, iriam elevar-se bastante, razão pela qual sugeria uma solução amigável. Nenhuma das duas clientes retornou até hoje ao meu escritório. Desconfio que falei demais antes do tempo. Aprendi aí minha primeira lição como profissional liberal. O trabalho enobrece o homem, mas são os honorários que lhe permitem comprar a comida, as roupas e pagar contas de água, luz e telefone.

Muito tempo se passou daquele momento até hoje. Conheci pessoas fantásticas, outras nem tanto. Algumas estão comigo até hoje, outras decidiram trilhar outros caminhos, mas continuam ligadas a mim, seja pelo respeito mútuo compartilhado, seja por carinho mesmo.

Daqueles 28 metros quadrados no centro velho de Natal, hoje estamos em onze capitais brasileiras com quase 2.500 metros quadrados, 350 integrantes, sendo 180 advogados (dos quais 32 são sócios). A caminhada foi árdua em certos momentos, mas o aprendizado constante me permitiu enfrentar diariamente os desafios, mantendo sempre o meu foco em fazer o melhor possível para atender à demanda dos clientes e propiciar um ambiente de trabalho digno para todos os que compõem o escritório.

Estrategicamente decidimos atuar nos três segmentos de negócios que entendemos fazerem parte de nosso mundo, quais sejam: advocacia tradicional/especializada contenciosa, gestão jurídica (também conhecida como advocacia de massa ou volume) e  advocacia não contenciosa/consultiva.

Espalhados em onze capitais (Natal/1993, Recife/1995, Salvador/1997, Fortaleza/1999, Curitiba/2001, Brasília/2002, Porto Alegre/2005, São Paulo/2006, Rio de Janeiro/2007, Belo Horizonte/2009 e Manaus/2010), continuamos trabalhando com determinação e perseverança. As áreas de atuação do escritório diversificam a cada instante e hoje atendemos questões no contencioso cível (contratos, coisas, comercial), tributário, administrativo e trabalhista; causas previdenciárias, direito econômico, arbitragem, regulatório (vigilância sanitária, energia elétrica), direito imobiliário, societário (constituição e encerramento de empresas, atos societários), fusões e aquisições, propriedade intelectual, compra e venda de empresas, auditoria legal, investimento estrangeiro, meio-ambiente, criminal empresarial, planejamento patrimonial e sucessório, consumidor, licitações e comércio exterior.

As equipes de trabalho, estruturadas em regiões que praticamente cobrem 90% de onde se encontra o PIB nacional, refletem o fato de havermos conseguido desenvolver a logística de se trabalhar de maneira harmônica entre esses vários lugares. Não é à toa que muitos de nossos integrantes são transferidos para outras unidades regionais por períodos determinados (três a cinco anos), aprendendo novas experiências e ensinando as suas próprias. Em suma, aprimoramos cada vez mais o trabalho iniciado e investimos também no desenvolvimento técnico e científico de nossos integrantes, inclusive além das fronteiras.

Tudo decorre evidentemente da necessidade de um escritório com perfil para atender empresas de grande porte, sejam nacionais ou multinacionais. Graças ao permanente esforço em prestar um atendimento de modo eficiente, nossa atuação se expandiu nesses tempos em que as sociedades de advogados assumiram papel bastante representativo na defesa dos interesses de seus clientes. Tudo isso é possível porque sempre acreditamos na força dos brasileiros de todos os cantos, que celebram a vida com esperança e entusiasmo contagiantes.

Daí podermos comemorar nossos 20 anos.

Roberto Trigueiro Fontes é sócio fundador de Trigueiro Fontes Advogados, 1993, responsável pela política geral do Escritório.

Revista Consultor Jurídico, 8 de agosto de 2013, 7h26

Comentários de leitores

2 comentários

Conheci o Roberto em Recife, também numa pequena sala!

Citoyen (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

Sim, o Roberto estava iniciando as atividades em Recife.
Eu estava buscando um correspondente que atendesse às necessidades da empresa da qual era supervisor jurídico.
A sala era, inicialmente, pequena. Depois as instalações foram se ampliando.
Tempos passados, voltei a contratar o escritório para o patrocínio de outro dos meus Clientes, na região de Recife e, eventualmente outras do Nordeste.
Eu admiro seu esforço e coerência. Dou testemunho de que trabalhou para construir o que hoje efetiva seu esforço.
E seu PADRAO de CONDUTA ÉTICA sempre foi o líder do Esc. Pinheiro Neto, a que ele acima se refere.
Dou testemunho de que sempre foi um lutador com opiniões que, em muitas ocasiões, foram postas sobre a mesa, para que fossem debatidas com as minhas ou com a de Terceiros, Colegas também, e que, na época, mereciam a minha atenção e respeito.
Se alguns desses Colegas ficaram pelo caminho, a verdade é que Roberto Trigueiro pode comemorar os seus vinte anos, e com muita honra e qualidade.
Parabéns, portanto.
E que possa comemorar outros muitos vinte anos, com lutas, vitórias e, porque é inevitável, sabendo superar as decepções que sempre encontrará!

Parabéns Trigueiro Fontes

Hudson Resedá (Advogado Sócio de Escritório - Trabalhista)

Parabenizo Roberto Trigueiro e demais integrantes da equipe, pois sei bem o quanto é penoso conseguir local de destaque e manter-se ao longo dos anos. Que a experiência vivida pelo n. colega sirva de lição e estímulo aos jovens integrantes da equipe.

Comentários encerrados em 16/08/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.