Consultor Jurídico

Notícias

Decisão com o Senado

Deputados uruguaios aprovam legalização da maconha

Comentários de leitores

6 comentários

continuação do comentário anterior

O. Filho (Funcionário público)

Eu nunca ouvi falar em desabastecimento de substâncias ilícitas. A polícia captura um carregamento, passam dois. São presos milhares de “mulas do tráfico” e lotamos os nossos presídios, mas o grande traficante fica impune. Portanto permitir que a maconha seja vendida legalmente não irá aumentar e nem diminuir a oferta. Fatalmente acarretará na diminuição do poder financeiro do traficante. O dinheiro do tráfico compra muito arma. E estas armas por vezes são alugadas a bandidos para grandes assaltos. E diminuirá a oferta de dinheiro para a corrupção policial. Porém a venda tem que ser feita pelo Estado. Não pode ser iniciativa privada. Do contrário teremos incentivo ao consumo. Portanto, vamos observar o que acontece no Uruguai. Será uma experiência interessante.

O termo correto "GUERRA PERDIDA"

O. Filho (Funcionário público)

Tem toda a razão quanto ao termo "GUERRA PERDIDA". Uma guerra que já estava perdida a muito tempo. A proibição ao uso da maconha é um tema muito complexo. Especialistas dizem que compromete a capacidade de aprendizagem das pessoas. Mas, apesar de qualquer malefício, elas continuam usando. O maior problema na liberação será o aumento da facilidade de acesso de jovens e adolescentes ao consumo. Porém, a repressão a droga, como é feita hoje, não dá resultados. Ela só serve para a polícia se apoderar de grandes somas de dinheiro, sendo corrompida de todas as maneiras. E ficou ainda mais difícil quando consideramos que o usuário não comete crime quando usa a substância. Pois, sabemos todos que o maior traficante é “o nosso amigo”. É uma pessoa muito próxima. É ele que vai nos oferecer a droga pela primeira vez. Por isto é que há tantos viciados no meio artístico. Imaginem um jovem numa reunião onde está o artista que ele admira. Se este artista oferecer drogas a este jovem, é provável que ele aceite, ou fique muito embaraçado em recusar. Ele pensa logo, se eu não aceitar eu vou ficar fora do grupo. Portanto, contra as drogas só a educação. A repressão é inútil.

Guerra perdida

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A guerra contra as drogas está perdida. No Brasil, segundo alguns dados, 22 milhões de pessoas fazem uso regular da maconha, não sendo incomum apreensões que vão muito além de uma tonelada (lembrando que a maconha é uma "palha", e uma tonelada tá para fazer um bom fumaceiro). Para efeito de consumo da droga não faz mais diferença se é proibida ou não.

Trocadalho

Laercio Doalcei Henning (Advogado Autônomo - Criminal)

Sem trocadilho, mas o resultado da votação foi ''apertada''!

Adivinhem

Zé Machado (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Adivinhem qual será o maior mercado consumidor da "bosta" uruguaia!

Desejo da sociedade

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

sou radicalmente contra em razão da minha experiência com traficantes e dependentes, mas sinto que a maioria da sociedade é a favor da liberação das drogas. A doutrina e a jurisprudência apontam que quem fuma maconha não faz mal a ninguém, portanto, seria um direito individual garantido pela CF. Toda tentativa de endurecer a lei de drogas naufraga e o tratamento éw cada vez mais leniente, de forma que, seria melhor para a sociedade que legalizassem, pois, ao menos terminaria o conflito entre a polícia e os traficantes e, por conseguinte, com os usuários. O tratamento seria mais brando, comoó que é dado ao contrabandista de cigarros.

Comentar

Comentários encerrados em 9/08/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.