Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Medidas de segurança

Contra celulares, Alagoas reforça segurança em presídios

Os presídios de Alagoas devem ter vigilância aumentada após busca que identificou 1.286 celulares em funcionamento nas unidades. A entrada de aparelhos é proibida até para funcionários. Além da decisão judicial de bloquear os telefones, serão adquiridos pelo menos 25 equipamentos para detectar a presença de celulares nas oito unidades prisionais do estado. As informações são do portal G1.

O sistema ganhou 14 detectores de metal e dois aparelhos de raios-X da Polícia Rodoviária Federal, que ainda serão instalados. Já foi aberto o processo para aquisição de outros cinco equipamentos de raios-X e 20 detectores. O governo alagoano ainda pretende fechar uma parceria com empresas de segurança especializada a partir de agosto.

A superintendência de administração penitenciária do estado alega que o risco de falhas humanas cresce com a superlotação das cadeias. As prisões alagoanas abrigam mais que o dobro da capacidade prevista. Outra queixa é o déficit de agentes penitenciários. Existem 760 e o adequado seriam cerca de 1,2 mil.

Os celulares foram detectados após rastreamento feito pelo Departamento Penitenciário do Ministério da Justiça, a pedido das varas de execuções penais do estado. Os funcionários usaram um aparelho que permite apontar a quantidade de aparelhos, além dos números e das operadoras.

Revista Consultor Jurídico, 11 de abril de 2013, 19h17

Comentários de leitores

1 comentário

Pura loróta

Francisco Lobo da Costa Ruiz - advocacia criminal (Advogado Autônomo - Criminal)

Sem celular em cadeia o sistema de inteligência da administração penitenciária não tem informação.

Comentários encerrados em 19/04/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.