Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Suco alcalino

Gerente é preso por vender lotes proibidos de Ades

O gerente de um supermercado do grupo Walmart foi preso em flagrante, em São Paulo, por vender lotes proibidos de produtos Ades, da Unilever. A venda foi suspensa pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), após contaminação de um lote do produto com soda cáustica. A prisão foi feita nessa quarta-feira (3/4) pela Polícia Civil, que recebeu denúncia do pai de uma cliente hospitalizada depois de ingerir a bebida comprada no supermercado. Segundo a Polícia, o gerente foi solto após pagamento de fiança.

A Polícia apreendeu várias caixas do produto cuja venda está suspensa pela Anvisa desde o dia 18 de março. A interdição de lotes do produto ocorreu após ter sido constatada falha no processo de higienização das máquinas da linha de produção, o que resultou em contaminação por soda cáustica. Na terça-feira (2/4), a Anvisa decidiu manter suspensa a fabricação, distribuição, comercialização e o consumo de todos os lotes de alimentos com soja da marca Ades identificados pelas iniciais AG, tanto nas embalagens de um litro quanto nas embalagens de 1,5 litro.

O supermercado afirmou ter retirado os produtos Ades de suas lojas desde o dia 18 de março, data da resolução publicada pela Anvisa. “Em relação ao caso ocorrido na loja de Itaquera, de acordo com a própria Polícia, um cliente adquiriu no dia 16 de março o produto, que foi consumido por sua filha no dia 17 de março, datas anteriores à resolução da Anvisa. Quanto à ação da Polícia nesta loja, a empresa iniciou imediatamente um processo de investigação interna, está colaborando com a Polícia e em contato com a família da cliente para o esclarecimento do caso”, informa a rede.

A Unilever, fabricante do Ades, disse que após ter confirmado o problema registrado com 96 unidades do produto, sabor maçã, que foram envasadas com solução de limpeza, fez um recall do produto e mobilizou funcionários para apoiar redes varejistas a recolher as unidades impróprias dos produtos. “No dia 18 de março de 2013, a Anvisa reforçou o recall da Unilever e decidiu, de forma preventiva, suspender a distribuição e comercialização de todos os lotes identificados com as iniciais AG, fabricados na linha TBA3G, uma das 11 linhas que produzem Ades na fábrica em Pouso Alegre”, afirmou a empresa. Com informações da Agência Brasil.

Revista Consultor Jurídico, 5 de abril de 2013, 10h12

Comentários de leitores

1 comentário

Controle da Anvisa

Denis Acioli (Industrial)

Sejamos coerentes - Chega a ANVISA por meio do DOU e comunica que o lote tal está proibido sua venda.(Se virem para atender) Ora se grandes redes não tem condições de controlar este fluxo pelos métodos atuais, como fica o mercadinho da esquina? Terá que assinar o DOU e todo dia, perder tempo a procura de possível publicação?
Que os gênios de informática da Anvisa troquem aquele selinho do lote por um código de barra confiável que também seja impresso nas caixas e não só na embalagem, senão a burocracia acaba mais rápido este País.

Comentários encerrados em 13/04/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.