Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Recálculo do benefício

Comissão do Senado aprova desaposentadoria

Por 

A Comissão de Assuntos Sociais do Senado aprovou o projeto de lei que permite a chamada desaposentação. Se aprovado, o aposentado pelo Regime Geral de Previdência Social, tanto por tempo de contribuição, como por idade ou aposentadoria especial, poderá renunciar ao benefício, voltar a trabalhar e requerer nova aposentadoria quando achar conveniente. Como foi aprovada na forma de substitutivo apresentado pelo senador Paulo Davim (PV-RN), a matéria ainda será examinada pela CAS, em turno suplementar de votação.

De acordo com o projeto de lei, é assegurada a contagem do tempo de contribuição e recálculo do benefício para uma nova aposentadoria. Pelo substitutivo, ao renunciar à aposentadoria, o segurado não precisa devolver os valores recebidos, uma vez que teve direito aos valores recebidos. 

A medida já é assegurada aos servidores públicos pelo Regime Jurídico Único (lei 8112/90), afirma o senador Paulo Paim (PT-RS) autor do projeto, ao justificar a proposta. Assim, o senador explica que foi preciso alterar a lei que trata dos Planos de Benefícios da Previdência Social (lei 8.213/1991) para permitir a renúncia à aposentadoria também aos demais trabalhadores.

Como a atual legislação previdenciária não prevê tal possibilidade e o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) não processa os pedidos de renúncia de aposentadoria, observou o relator, os segurados precisam recorrer à Justiça. De acordo com dados do Conselho Nacional de Justiça 70 mil aposentados procuraram a Justiça para solicitar a desaposentação. A jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça reconhece que é possível a renúncia e a concessão de outro benefício mais vantajoso.

Paulo Davim disse que a desaposentadoria é buscada tanto pelos trabalhadores que se aposentam mais jovens por terem começado a contribuir cedo, como pelos que optaram pela aposentadoria proporcional. A renúncia à aposentadoria, observou o senador, aumentou depois de 1999, em razão da implementação do fator previdenciário, criado para inibir aposentadorias precoces ao reduzir o valor do benefício de quem se aposenta com menos idade.

“Sendo a aposentadoria um direito patrimonial disponível, é possível a renúncia desse benefício, não havendo, ainda, impedimento para que o segurado que continue a contribuir para o sistema formule requerimento de nova aposentadoria, que lhe seja mais vantajosa”, disse Paulo Davim.

Para o advogado Theodoro Vicente Agostinho, do escritório Simões Caseiro Advogados e membro da Comissão de Seguridade da OAB-SP, o projeto poderá desafogar a Justiça. "Sendo o projeto aprovado em sua totalidade, causará o mesmo um grande desafogamento do Judiciário, pois hoje certamente aação de desaposentação é uma das mais recorrentes na Justiça Federal e trás uma vitória significativa para todos aqueles que defenderam a tese desde o início". Com informações da Agência Senado.

PLS 91/2010

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 4 de abril de 2013, 18h34

Comentários de leitores

2 comentários

Desaposentação

Maria de Fátima Almeida Cavalcanti (Administrador)

Acredito que o Governo vá nos dar essa oportunidade. Que também acredite no povo. Nós aposentamos muito cedo, na maioria das vezes, por falta de trabalho no mercado. O que nos castigou com um valor mínimo de aposentadoria para o resto da vida. Fim da vida com despesas altas com saúde e alimentação. É o que nos sobra... Mas estou confiante na Desaposentação. Estou trabalhando não sei até quando, para complementar a minha renda de aposentada.Darei entrada na justiça, o que já acho uma injustiça, quando isso deveria ser automático, acho que é um direito de todos. Mesmo assim fico grata pele entendimento do Senado, fazendo jus aos votos do povo brasileiro.

Assusta

Zé Machado (Advogado Autônomo - Trabalhista)

O que assusta é a lentidão que se faz jsutiça neste país. Levam séculos para se reconher injustiças perpetradas contra os cidadãos construtores da nação.

Comentários encerrados em 12/04/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.