Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Rapidez em julgamento

Rastreador de celular ajuda a encontrar assaltante

A Justiça de Brasília condenou, por assassinato, um jovem a 24 anos de prisão. Preso em flagrante, ele havia atirado em um homem de 31 anos durante um assalto a um bar. O processo foi concluído em quatro meses, no dia 22 de agosto. A notícia é do jornal Folha de S. Paulo.

O infrator foi pego rapidamente. Uma das vítimas, que teve o celular roubado, acionou pelo computador o rastreador do aparelho e descobriu a localização do autor do crime.

O juiz Frederico Ernesto Cardoso Maciel, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, destacou a importância da prisão em flagrante. "A materialidade do crime restou evidenciada pelos documentos acima referidos, em especial pelo Auto de Prisão em Flagrante", disse.

Segundo o diretor da Polícia Civil do DF, delegado Jorge Xavier, os rastreadores de telefones e computadores têm sido importantes na solução de roubos. "É uma ferramenta importante, mas não é a única", diz.

À época, a Polícia Militar do Distrito Federal estava em "operação tartaruga", por melhores salários.

Revista Consultor Jurídico, 24 de setembro de 2012, 15h16

Comentários de leitores

1 comentário

Terminologia...

marcelofandrade (Outros)

Não teria sido o elemento condenado por "HOMICÍDIO" ao invés de "ASSASSINATO" ?

Comentários encerrados em 02/10/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.