Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Contribuição jurídica

Escritórios responderão questionário sobre pro bono

A revista britânica Latin Lawyer lançou, no dia 29 de agosto, a 5ª edição do questionário sobre a prática pro bono em escritórios de advocacia da América Latina. A iniciativa tem como parceiro o Cyrus R. Vance Center for International Justice of the New York City Bar e contou com o apoio do Instituto Pro Bono (IPB) e demais entidades da América Latina engajadas em difundir esta cultura. Nesta edição, o KLA e Trench, Rossi e Watanabe Advogados também participarão do questionário.

O objetivo da pesquisa é acompanhar o processo de institucionalização do pro bono nos escritórios da região. Além disso, identificar medidas que tiveram resultados positivos e propor soluções para os impasses não resolvidos.

Tania Liberman, sócia do escritório KLA-Koury Lopes Advogados, diz: “Queremos ajudar o meio jurídico a ter um retrato mais fiel da prática pro bono no país e fazer com que os advogados do escritório percebam a importância da contribuição de cada um para o desenvolvimento do pro bono no escritório e no Brasil".

Alberto Mori, sócio do escritório parceiro do IPB, Trench, Rossi e Watanabe Advogados, acredita que a divulgação da pesquisa pro bono deve despertar o interesse da comunidade jurídica sobre as atividades já desenvolvidas no Brasil sob os padrões éticos existentes.

“A Latin Lawyer é uma publicação de grande alcance que goza de muita credibilidade no meio jurídico brasileiro. Por outro lado, a advocacia pro bono carece de divulgação. Além disso, a regulamentação torna a atuação dos profissionais do direito bem tímida, diante do temor de punições de natureza ética”, afirma Mori.

Segundo ele, a baixa adesão do escritório às edições anteriores da pesquisa se deu em razão do conservadorismo e da confusão em termos de regulamentação. “Apenas mais recentemente passamos a ter uma atuação em pro bono mais estruturada, com a ajuda do IPB”, disse ele.

Para o diretor executivo do IPB, Marcos Fuchs, “a advocacia pro bono é um importante instrumento de acesso à Justiça e contar com dados precisos e informações acuradas sobre essa realidade é uma boa forma de estimular sua prática”.

A pesquisa é aberta a escritórios de advocacia da América Latina, que são convidados a compartilhar informações sobre o progresso alcançado na implementação de um programa de pro bono em suas organizações. Alguns resultados serão publicados na revista Latin Lawyer até o final deste ano.

Os escritórios podem participar da pesquisa aqui e têm até o dia 27 de setembro, quinta-feira, para completar o questionário, cujo tempo estimado de preenchimento é de 45 minutos. Com informações da Assessoria de Imprensa do Instituto Pro Bono.

Revista Consultor Jurídico, 13 de setembro de 2012, 8h32

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 21/09/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.