Consultor Jurídico

Comentários de leitores

30 comentários

Recorde.

Directus (Advogado Associado a Escritório)

Nunca li tanta besteira de uma vez só. O sujeito abaixo deveria pleitear uma menção no Guinness Book.

Falta um hugo chavez no brasil

rodolpho (Advogado Autônomo)

Desde que Hugo Chavez foi democraticamente eleito na Venezuela, acabou a vagabundagem dos juízes naquele país. Na Venezuela juiz que falta ao trabalho e que julga contra a lei, como no Brasil, perde o cargo e vai para a cadeia. Vamos eleger um Hugo Chavez no Brasil, porque ai os juízes vão tremer de medo, trabalhar das 8 as 18, no fórum, e decidir rigorosamente de acordo com a lei, sob pena de serem sumariamente demitidos e pegarem de 15 a 20 anos de cadeia.

Concursagem

rodolpho (Advogado Autônomo)

Toda vez que surge bate-boca entre juízes e advogados, aqui no Conjur, os juízes chamam os advogados de analfabetos, que não conseguiram passar no concurso para juiz. Em entrevista na TV Justiça, o Ministro Veloso declarou que 80% dos juízes não têm vocação para a Magistratura, e que só fizeram concurso porque fracassaram na carreira de advogado. O advogado Marcio Thomaz Bastos recusou a nomeação para Ministro do STF, e isso porque o Marcio Thomaz Bastos não é um advogado fracassado. Ele é um super advogado, que, em uma única causa, recebeu 14 milhões. Qualquer juiz que ganhe 20 mil por mês leva 700 meses para ganhar isso, ou seja, 58 anos. Advocacia não é para quem quer, é para quem pode, para quem tem cultura, para quem tem vocação, e para quem trabalha 15 horas por dia, e não 15 horas por mês, como fazem os juízes. O concursinho mequetrefe para a Magistratura abre o caminho para ganhar dinheiro sem trabalhar e sem ter capacidade.

Controle

rodolpho (Advogado Autônomo)

A casa do juiz é inviolável. Ninguém pode entrar lá para saber se ele está trabalhando ou se está na vagabundagem. Já o fórum é público, e qualquer um pode entrar na sala do juiz e fiscalizar para ver se ele está trabalhando mesmo, ou se está na enrolação.

Reduzindo

Daniel André Köhler Berthold (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Acho que, para alguns que escreveram, depois de mim, em desrespeito à lei no trabalho em casa, meu comentário anterior ficou muito grande (oito linhas). Por isso, resumo (não posso debater com quem não ler nem isto): No meu Estado, a Lei prevê que o juiz tem que estar no Fórum todos os dias, num dos turnos; no outro, ele trabalha no Fórum ou em casa.

Quem é o Idiota? Aquele que está em todas, ora!

rode (Outros)

Quem não sabe abrir a boca senão para ofender, deveria ficar quieto. Mas não, são os que mais falam. Para quem fala demais o repertório de verdades encerra-se logo.
http://www.tudorondonia.com.br/noticias/magistrado-responde-comentario-desrespeitoso-sobre-rondonia-feito-por-advogado-paulista-no-consultor-juridico-,2216.shtml
*
http://rondineligonzalez.blogspot.com.br/2007/05/como-rapaz.html
**
http://www.blogdodecio.com.br/2011/07/14/apicum-acu-tj-confirma-prisao-para-cece-monteiro/

Carga horária descumprida

Budeu (Advogado Autônomo - Empresarial)

Acredito que além de ter que residir na comarca, o magistrado deve estar no fórum no período em que o Tribunal acredita que esteja. Logo, não deve estar dando aula, jogando tênis, bebendo whiskey por aí.. Senão será igual ao Min. Joaquim Barbosa que tinha problemas nas costas, faltando das sessões do STF. Mas, disseram que para ir aos botecos com amigos, estava em ótimas condições... que ironia hein!!
Para comprovar que os juízes não cumprem a sua carga horária, basta alguém da Corregedoria ir aos fóruns pela manhã. Duvido que encontre algum magistrado por lá. Certamente ao serem pegos fraudando sua jornada de trabalho vão dizer que estão cansados porque levaram processos para casa. Meus caros magistrados, Vossas Excelências não precisam levar processo para casa, basta cumprir a sua carga horária no fórum. Ali é o seu local de trabalho!! E deixe para jogar tênis e beber whiskey após cumprir a sua jornada de trabalho. Se quis prestar concurso e logrou a vitória em rigorosa seleção, cumpra a lei, até para que possa aplicar essa mesma lei com destemor em relação aos cidadãos.
Ontem mesmo eu precisei despachar um processo com um juiz da minha comarca, mas as 17hs ele já não estava... quem sabe aproveitou o horário de verão para sentenciar de sua casa, até alta hora da madrugada... D-U-V-I-D-O!!

Estulta e estultices!

Paulo Jorge Andrade Trinchão (Advogado Autônomo)

Esse de tal de "Rode(outro), se define por uma das duas, ou se trata de algum "juizinho" enrustido, ou o cara não passa de um tolo idiossincrático. Vá falar besteira assim lá no raio que o parta!" No entender desse autêntico idiota de plantão, já não bastando as extravagantes regalias que os magistrados têm, graças ao ingênuo do legislador de 1988, ainda vem com essa de defender o "trabalho doméstico" dos julgadores. como se com esta opção "caseira" fizesse, como um condão mágico, que os processos seriam incrementados com uma celeridade e justeza invejáveis!

Quem lê acredita

rode (Outros)

Quem lê os comentários de alguns advogados recalcados não pode acreditar que eles tenham conhecimento do trabalho do Juiz. Ora meus caros, vocês se formam nas mesmas faculdades dos Juízes e deveriam conhecer a realidade. O recalque pode estar prejudicando o intelecto de alguns. É lamentável não verem que o Juiz atua em pelo menos vinte vezes mais processos do que um advogado. Basta calcular, se é que sabem.

meus deus!

Ricardo T. (Outros)

Meu deus! Os juízes estão demais! Ainda bem que existe o CNJ! Graças a deus! Vou prestar concurso mesmo para MP, nem precisa ir na audiência e o juiz consta a presença e nenhum advogado se atreve a reclamar.

Analisem o trabalho feito e não onde se reside.

Justiça não é sinônimo de igualdade para desiguais (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

Falarei da minha experiência: como promotor de justiça atuando até hoje em pequenas cidades, já morei na comarca onde atuava e próximo a ela. Sinceramente, o fato de morar na comarca não melhorou em nada o meu trabalho lá. Pelo contrário. Ficava extremamente estressado, pois o promotor de cidade pequena, assim como o juiz e o delegado, estão nesta função 24horas. Ninguém se despe da sua roupinha. Só que nós somos seres humanos. Ninguém aguenta ser promotor, juiz e delegado 24 horas em uma cidade pequena e quem falar isto, me perdoe, mas estará sendo hipócrita. Também é comum a existência de plantões nos fins de semana nas cidades pólo e quando o promotor mora na cidade pequena, a atuação nestes plantões acaba prejudicada também. Aceito que me cobrem em relação a quantidade de ações que ajuizo, os inquéritos policiais que despacho, o atendimento ao público etc. Agora, creio ser demais querer regular até o lugar onde irei morar. É preciso parar com este ódio ao servidor público que existe no Brasil. Como disse, aceito demais que verifiquem o trabalho que faço e analisem se realizo ou não um bom trabalho, mas daí a querer impor onde irei morar é muito excessivo.

Chovendo no molhado

Slate (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Eu, assim como a IMENSA maioria dos juízes, sempre morei na comarca aonde judiquei, por mais distante e de difícil acesso que fosse.
Em meu Estado essa é a regra e o Tribunal faz questão de exigir seu cumprimento.
A OAB, para variar, reclama à toa, com o único fim de denegrir a imagem da Magistratura.
Os casos pontuais existentes, sempre são denunciados às corregedorias e rapidamente solucionados.
Por fim, cabe sempre lembrar que os concursos para a magistratura são abertos frequentemente e acessíveis a todos, basta passar.

Absurdo

Celso Santina (Advogado Autônomo - Tributária)

Só no Brasil acontece esse tipo de coisa!!Ora se a CF/88 determina que juizes devam morar na comarca em que atuam e comparecer ao forum (local de trabalho deles) porque tem que se fazer campanha? Isso é dever do magistrado não é um pedido e sim uma obrigação! o que eles querem que ponham tapete vermelho pra trabalharem? É assim que se forma um Juiz de Direito? Talvez pensem que são seres acima da lei...

Isso é obvio, e o nao obvio?

_Eduardo_ (Outro)

É evidente que os juízes tem que trabalhar todos os dias da semana. Isso é o óbvio e quem nao faz isso deve ser sim objeto de investigação.
E o não óbvio? O que fazer com o juiz que trabalha todos os dias, tem um volume colossal de processos, tendo que trabalhar nos finais de semana, a noite, as vezes de madrugada. Qual a contraprestação que se dá? O salário é bom? Sim, sem dúvida, mas isso não significa trabalho ilimitado.
Ao colocar todos no mesmo saco o corregedor rebaixa a magistratura, desprestigia aqueles que trabalham.
As regras são bem claras é nao é necessário nenhuma campanha.
Agora, quanto a atender advogados e partes o buraco é bem mais embaixo.
Primeiro que esse negócio de ficar atendendo partes é mais problematico do que se imagina. O que a parte tem pra falar com o juiz. Nao to aqui falando que ojuiz eh um ser superior e nao fala com partes, longe disso. Mas qual o conteudo dessa conversa, pra que a parte precisa falar com o juiz. Salvo casos de urgências, nao consigo enxergar.
O advogado é tambem a mesma historia do obvio e nao obvio. Ora, é evidente que diante de uma questão de urgência o advogado tem que procurar o juiz e este o receber. Disso não ha duvidas (sim, eu sei que ha juizes que não recebem).
Mas 90% das vezes os advogados procuram os juízes, especialmente nas instâncias superiores para embargos auriculares e somente para isso. O que acho engraçado é essa defesa ferrenha de um expediente processual não previsto em lei!!!
Tem advogado que peticiona e já quer falar com o juiz, sem que exista nada de relevante e urgente. Quer, por certo, dar aquela conversadinha, ver se passa a frente na fila ou se consegue convencê-lo do inconvencível.
O problema é que a própria classe defende esta conduta!

Brasil do impossível

M... W... (Servidor da Secretaria de Segurança Pública)

No Brasil, a realidade atual apresenta muitas áreas com sérias patologias, inclusive o Poder Judiciário, o qual em todos os Estados, muito provavelmente, demonstra o mesmo diagnóstico.
Não cabe indicar os magistrados como o fator determinante da morosidade judiciária, tampouco afirmar que não laboram cumprindo com sua carga horária. Na verdade, os responsáveis por toda a situação apresentada se constata pelo rateio da responsabilidade entre a sociedade civil, os servidores público (incluindo os magistrados) e principalmente o Estado (incluindo o Legislativo).
A sociedade está firmada no entretenimento fútil disponibilizado pelos meios de comunicação, não saindo do seu estado de comodismo.
Muitos servidores públicos buscam, tão somente benefícios próprios, não importando-se necessariamente com a devida prestação dos seus serviços com esmero. Ressalta-se as exacerbadas regalias disponibilizadas aos magistrados, que no meu subjetivismo, é imerecida.
O Estado, como sempre, “veda os olhos e tapa os ouvidos” para não tomar ciência dos fatos que o norteia. E, não é provocada pela sociedade para tomar as providências cabíveis, sendo muito requisitado pelas classes representativas dos servidores, os quais alcançam diversos benefícios.
Assim, uma das práticas resolutivas seria haver imposição aos magistrados para cumprir sua carga horária no local de trabalho. Mas de nada resolverá se a sociedade não deixar sua inércia e começar a provocar o Estado a realizar concursos para minimizar a falta de servidores, que por sua vez só buscam melhorias salariais e não diferem no desempenho de seu labor.

\"juízes são servidores públicos !!??\"

Flávio Haddad (Advogado Autônomo)

O Dr. Nelson Calandra deveria refletir sobre os limites do corporativismo. As teses defendidas pelo mesmo na defesa dos - nem sempre legítimos - interesses de seus representados, "data venia" em muitos casos não merecem o mínimo de respeito por ofenderem até o senso-comum. Não bastasse o tema tratado na matéria - Juízes não residentes nas Comarcas nas quais estão lotados, ressalto e quetiono sobre juízes que "conciliam" a profissão com a docência em faculdades e cursos vespertinos !! Será que o Dr. Calandra entenderá que os juízes que deixam de comparecer ao Forum para - no período vespertino - estarem nas faculdades também estão a serviço da sociedade que os remuneram !!??

TQQ

Alexs (Estudante de Direito)

A Constituição Federal (art. 93, VII) e a LOMAN (art. 35, V) preveem expressamente que o juiz deve morar na comarca, e, por inferência, nela estar durante o expediente forense. Portanto, não se deveria fazer uma mera "campanha" de incentivo a morar na respectiva compar, e sim exigir o efetivo cumprimento do que é determinado pela CF e pela LOMAN.
Ora, quem mora no interior, certamente pode testemunhar casos de comarcas onde o juiz faz um TQQ (terça, quarta e quinta), não sendo raros, inclusive, os casos de TQ (terça e quarta) ou de QQ (quarta e quinta). Se um mero servidor se atrever a fazer isso, dá para imaginar no que pode dar...

Cada qual no seu quadrado...

Deusarino de Melo (Consultor)

Certíssimo que os magistrados devem residir nas comarcas onde prestam serviço. Ou não?
Afinal, trabalho de casa deve ser feito em casa...

Corregedor infeliz

Olho clínico (Outros)

As palavras do Corregedor: "A grande maioria dos magistrados cumpre seu papel e mora nas comarcas. Mas há casos pontuais de juízes que só comparecem de terça a quinta-feira, e outros ainda que só aparecem às terças”.
Ora, se a grande maioria cumpre seu papel, do que ele está falando? Que apure a conduta da minoria, oras! e NÃO TENTE JUSTIFICAR UM EXCEÇÃO...Isso é coisa de estado totalitário. O próprio corregedor inicia dizendo que a GRANDE maioria faz correto. Postura lasmitável...

Juízes trabalham sim, apesar disso parecer estranho

Pefer (Advogado Autônomo - Civil)

Pode parecer estranho, mas mesmo que o juiz nunca esteja no fórum na sexta ou véspera de feriado pela tarde (e isso mesmo na Capital), eles trabalham sim. A carga de processos é imensa, há de reconhecer-se que o magistrado labora em altas doses sem horário, em casa.
.
Outro dia fui numa Vara Cível do RJ e havia mais de 80 pilhas de processos para irem à conclusão, cada uma com uns 20 e o juiz ainda estava acumulando varas e cumpria expediente na justiça eleitoral. Além de despachar tudo isso eles têm de sentenciar e fazer audiências. No RJ os juízes recebem anualmente 12000 processos.
.
O que fazer? É simples. Basta pararem de fazer concursos para a magistratura regrados na base da idiotia acadêmica, nos quais reflete-se a presunção de cultura que, conjugada com o Poder, é receita certa para a arrogância. Essa turma não quer mais juízes para não ter seus salários diminuídos e já se publicou que poucos recebem só o teto constitucional, havendo quem tenha recebido num só mês 160.000,00. Quando o Lula falou de caixa preta do judiciário estava certíssimo.
.
Então vemos que a história tem dois lados: juízes que recebem por mês comumente 40.000,00 mensais mas que ao mesmo tempo, para manter seu status, dificultam sobremaneira o ingresso na magistratura a pretexto de qualidade e ficam no fim sacrificados. Diga-se também que esta qualidade não se verifica em seus julgados, prenhes de toda sorte de desonestidade intelectual, laconismo, etc. Diga-se ainda que aqueles que ganham 40.000,00 como revelou-se numa publicação devida à lei de transparência, não têm direito de reclamar nada.
.
Juízes do RJ, permitam o ingresso de mais juízes, diminuam seus salários, aumentados pelo acúmulo de funções, com abonos e auxílios mil e a coisa melhora.

Comentar

Comentários encerrados em 7/11/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.