Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Investigação de Magistrados

Eliana Calmon segue "inspeção de rotina" com magistrados

Em reunião, na tarde desta quarta-feira (21/3), a corregedora nacional de Justiça, a ministra Eliana Calmon, irá apresentar ao presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Ivan Sartori, um diagnóstico sobre a situação dos precatórios em São Paulo, cuja investigação por parte do CNJ recomeçará esta semana.

“Tinha de reiniciar em São Paulo, não por revanche ou porque eu queira ver algo específico. Vou continuar uma inspeção de rotina deixando as informações do Coaf [Conselho de Controle de Atividades Financeiras] de lado porque elas não estão liberadas pelo Supremo, da mesma forma que eu inspecionei os outros tribunais. A diferença é que a corregedoria inspecionou tribunais pequenos e São Paulo é um grande tribunal”, explicou a corregedora.

No ano passado, o Supremo concedeu liminar que parou a inspeção do CNJ no TJ-SP. A ação foi protocolada pelas três maiores associações de juízes do país, que acusaram a corregedoria de fazer uma devassa usando dados sigilosos de magistrados e servidores de tribunais. No início deste mês, o ministro do STF Luiz Fux autorizou que a inspeção seja feita com base apenas nas declarações de Imposto de Renda e em dados das folhas de pagamento, sem uso das informações do Coaf.

A ministra negou que exista qualquer competição entre ela e o desembargador Sartori. “Embora a imprensa diga que está havendo uma rivalidade, que eu estou desagradando, isso não existe. Nós somos parceiros. Na questão dos precatórios, o desembargador Ivan Sartori conversou comigo, fomos ao TJ de São Paulo e fomos bem recebidos”, disse após abrir um curso de capacitação para juízes e promotores na sede do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Com informações da Agência Brasil.

Revista Consultor Jurídico, 21 de março de 2012, 16h58

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 29/03/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.