Consultor Jurídico

Artigos

Papel do Judiciário

Desconstrução da imagem será feita pelos magistrados

Comentários de leitores

15 comentários

FALHAS NO NASCEDOURO

João Szabo (Advogado Autônomo)

O bom magistrado, como, aliás, todo bom profissional, surge no concurso público. Basta fazer uma pesquisa no nível de pessoas intelectualizadas, e perquirir sobre o que acham do concurso público, principalmente para a magistratura, e um em cada dois dirá que as vagas para magistrados são preenchidas antes do exame propriamente dito, e que este é apenas para legalizar aqueles que foram adredemente escolhidos. Pode ser apenas uma impressão, ou apenas uma sensação, mas os sobrenomes dos nomeados demonstram isto. Como o Judiciário nada faz para desmentir tal impressão social, cria-se a imagem negativa do juiz, que lá está porque foi agraciado por ter tido mais Q. I. do que outros. E aí a própria sociedade se incumbe de fomentar a conduta inadequada daquele que, por ter sido lá colocado, sem qualquer compromisso, acaba por perder a credibilidade na sua atuação. E daí para a corrupção é apenas um passo. Somente os advogados que vão cotidianamente no Fórum sabem a quantidade de bobagens processuais que são cometidas por magistrados, que se agigantam quando está em jogo a liberdade do indivíduo como no caso das ações de alimentos, em que mandados de prisão são expedidos, como se espalham as folhas de outono.

Constrangimento

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

É algo um tanto constrangedor ficar dizendo publicamente que determinado juiz é bom. Gera-se uma impressão de que há um conluio entre advogado e juiz, e esse favorece ações patrocinadas pelo advogado em troca de bajulação. É uma pena, porque os bons juízes acabam não sendo valorizados, e como os ruins devem ser criticados, toda vez que se vai falar sobre os magistrados acaba restando sempre somente as críticas, que atingem todo o Judiciário como instituição.

Cálculos

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Olha, prezado FERNANDO JOSÉ GONÇALVES (Advogado Sócio de Escritório), eu me arriscaria em dizer que pelo menos a metade dos juízes com o qual eu atuo são bons profissionais, que conhecem bem o direito, são trabalhadores, imparciais, e geram bons resultados. Alguns outros já não cumprem bem esses atributos, e uns poucos, diria 10%, deveriam estar atrás das grades. Posso dizer que minha posição é privilegiada uma vez que atuo na área previdenciária, de competência da Justiça Federal, que se mostra em muito melhores condições do que a Justiça do Estado. Nessa, não me arriscaria em dizer se pelo menos a metade dos magistrados são bons, embora obviamente há também excelentes juízes de direito.

projeto de lei

Leneu (Professor)

sugiro projeto de lei no sentido de que magistrados jamais sejam submetidos a exames de toque retal, pois pelo intuito do texto, quer-se por apenas no de uns e nunca no de outros.

VERDADE SEJA DITA

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

Evidentemente que não são todos bandidos, vagabundos e corruptos. Claro que num universo de aproximadamente 16 mil juízes estaduais existem os honestos, probos e trabalhadores. Eu mesmo conheço vários e poderia citar, só para exemplificar, o Dr....... hum... esse não. Mas tem aquele, Dr......é, esse foi afastado. Tem também aquela juíza......Dra....., bem não sei no que deu o seu processo no CNJ. Bom , de toda a forma , que fique claro: Não são todos os juízes que não merecem o cargo que ocupam; só os normais e mais nenhum.

O povo não é mais bobo

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O povo brasileiro, em geral, mostra-se apático quando o assunto é discutir a coisa pública. Todos temem retaliações, e se calam. Quando porém nós advogados nos reunimos com nossos clientes para discutir os termos de uma demanda é o momento na qual o cidadão comum literalmente "despeja" todo o rancor (fundamentado) que nutre pelos magistrados. Há histórias sem fim de humilhações, abusos, e crimes diversos cometidos por juízes, confidenciados sob sigilo. Cabe a nós tentar convencer o cliente de que são casos isolados, e que apesar dos vícios, o melhor a se fazer é buscar solução junto ao Judiciário. É justamente por isso que nós advogados estamos sempre a criticar os diversos vícios e equívocos da magistratura. Não raro, ficamos ser argumentos para rebater as fundamentadas colocações dos clientes, narrando abusos sofridos por parentes, amigos e vizinhos quando postularam em juízo. Nós criticamos porque queremos que nossos clientes confiem no Judiciário, e possamos exercer bem nossa função de advogado.

Sem noção da realidade

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Devo dizer, prezado Slate (Juiz Estadual de 1ª. Instância), que se equivoca por completo. Nós que somos advogados, e ouvimos centenas de clientes todos os meses sob sigilo, sabemos muito bem o sentimento dos jurisdicionados sobre os magistrados. Se a população pudesse, enforcaria cada um dos juízes brasileiros com as próprias tripas, dado o rancor que é nutrido por esta classe, vista como fonte de atraso, subdesenvolvimento e injustiças. Não raro, sou acusado de criticar desmotivadamente a magistratura, ou nutrir rancor contra os magistrados, mas sou eu (ou melhor, nós advogados) que estamos a tentar convencer os clientes de que os magistrados não são todos bandidos e toga, e que há entre eles bons profissionais. Isso porque é preciso convencer o cliente, quando se vai dar início a uma ação, a confiar no Poder Judiciário e nos magistrados, missão que se torna cada dia mais difícil na medida em que a massa da população vai tendo melhores condições culturais, e melhor acesso à informação. Se o cliente não confia nos juízes, não vai querer ingressar com a ação, ou pagar os honorários, pois na visão deles "é dinheiro jogado fora".

ISSO SIM

Slate (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Parabéns, colega.
É exatamente isso.
E digo mais, a visão que a comunidade tem dos juízes é totalmente diferente da expressada pela grande mídia e pela Super Corregedora.
A grande maioria dos juízes tem o devido reconhecimento da comunidade acerca da seriedade, responsabilidade, retidão e imparcialidade do trabalho desenvolvido.
Talvez seja esse o motivo para essa campanha de desmoralização por eles perpetrada, ressaltando à exaustividade os raros casos de corrupção em nossa casa.
Mas seguiremos FIRMES e FORTES.

AMÉM !!!

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

ESTOU SEM PALAVRAS, COM OS OLHOS MAREJADOS DE LÁGRIMAS E A ALMA DILACERADA DIANTE DA VIDA DESGRAÇADA, LEVADA POR ESSES POBRES HERÓIS , 'ESCOLHIDOS PELA TOGA'. SOUBESSEM ELES QUÃO ÁRDUA A TAREFA QUE LHES SERIA IMPOSTA, CERTAMENTE ABDICARIAM DO CARGO DE 'DEUSES' PARA DESFRUTAREM DOS PRIVILÉGIOS DA CASTA INFERIOR DOS SIMPLES MORTAIS. NOITES EM CLARO; ALIJADOS DA FAMÍLIA; DISPERSOS NOS LONGÍNQUOS RINCÕES DESSES BRASIS, LABUTANDO INCANSAVELMENTE PARA A DISTRIBUIÇÃO ISONÔMICA DA JUSTIÇA.QUANTA DEDICAÇÃO EM TROCA DE UMA ÍNFIMA REMUNERAÇÃO. QUE VIDA ESSA O DESTINO LHES RESERVOU ? TAMANHA PRIVAÇÃO, SOFRIMENTO E DESPRENDIMENTO; QUANTA ANGÚSTIA. AMEAÇAS, HOSTILIDADES DE ADVOGADOS RANCOROSOS SEMPRE PRONTOS PARA ATACAR A CREDIBILIDADE INCONTESTÁVEL DESSES INCANSÁVEIS HOMENS E MULHERES QUE ENTREGARAM SUAS VIDAS EM HOLOCAUSTO NUM VERDADEIRO SACERDÓCIO QUE É A MAGISTRATURA. QUEDO-ME CONSTERNADO COM TAMANHO SOFRIMENTO E, SE UM DIA, AINDA QUE POR HIPÓTESE, TIVESSE EU OPTADO POR TAL ESCRAVIDÃO, (JÁ QUE, TENDO SIDO AVISTADO E ESCOLHIDO PELA TOGA, OUTRA OPÇÃO NÃO ME RESTASSE)O POETA MISSIVISTA HOJE EFETIVAMENTE ME TERIA CONVENCIDO DE QUE FORA VÍTIMA DO DESTINO. SORTE A MINHA, EM TER ME CONTENTADO COM O ANDAR DE BAIXO; EM NÃO TER SIDO AVISTADO PELOS OLHOS PERVERSOS DA TOGA IMPLACÁVEL, INFELIZMENTE HOJE MAL VISTA POR SE ALEGAR ACOBERTAR ALGUNS BANDIDOS (COMO SE ISSO FOSSE POSSÍVEL NESSE UNIVERSO DE ABNEGADOS JUÍZES). SINCERAMENTE HIPOTECO OS MEUS SENTIMENTOS A TODOS AQUELES QUE , TAL QUAL O MISSIVISTA, SOFREM CALADOS OS RIGORES DA FUNÇÃO. QUE DEUS, SEU CONCORRENTE, OS PROTEJA. AMÉM !!!

A CÉSAR O QUE É DE CÉSAR

Frederico Ramos (Advogado Associado a Escritório - Civil)

Este não é meu primeiro comentário no CONJUR com este título. Sempre uso quando vejo metralhadoras giratórias atirando para todos os lados. Não conheço o Poder Judiciário do do Pará, por isso me abstenho de discutir a respeito. Mas, como ex-Diretor de cartório judicial (10 anos) paulista e advogado há 15 anos, portanto com bastante experiência nos dois lados do balcão, posso assegurar ao articulista que não são todos os magistrados culpados pela atual situação de vergonha do Poder Judiciário de São Paulo, mas certamente não são apenas meia-dúzia os vagabundos e bandidos existentes na magistratura deste Estado.
Quando se verifica a prolação de uma sentença ou acórdão teratológico, quatro são as causas possíveis: a) ignorância (quanto à lei); b) incompetência (incapadidade funcional); c) tráfico de influência; e d) corrupção. Considerando que, em tese, todo magistrado conhece a lei e geralmente se mostra competente no exercício da função, o que sobra?

assim dizem os porcos

Leneu (Professor)

em "A revolução dos Bichos":
"Camaradas!", conclamou. "Não imaginais, suponho, que nós, porcos, fazemos isso por espírito de egoísmo e privilégio. Muito de nós até nem gostamos de leite e de maçã. Nosso único objetivo ao ingerir essas coisas é preservar a saúde. O leite e a maçã(está provado pela ciência, camaradas) contêm substâncias absolutamente necessárias à saúde dos porcos. Nós, porcos, somos trabalhadores intelectuais. A organização e a direção desta granja dependem de nós. Dia e noite velamos pelo vosso bem estar. É por vossa causa que bebemos leite e comemos aquelas maçãs."

Quanta presunção !

Le Roy Soleil (Outros)

"Somos nós os sustentáculos do livre exercício da democracia" (sic).
Será mesmo ? Onde estava o Judiciário durante os 21 anos de ditadura militar ? O que fez o Judiciário para obstar o arbítrio daqueles anos de chumbo, as prisões ilegais, a tortura, os desaparecimentos, o desrespeito escancarado aos direitos individuais ? Por acaso o Judiciário decretou a ilegalidade ou inconstitucionalidade do AI5 ? E do próprio golpe militar ? E por que não o fez ? Por que se omitiu durante vergonhosos 21 anos ?
O verdadeiro sustentáculo da livre exercício da democracia é a Constituição, a pedra angular de todo o direito posto.
Quanta presunção ... acham que são mais importantes que a norma primária, a Constituição da República.

Eles decidindo

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Fico a pensar como esses juízes que estão quase que diariamente a tentar a todo custo criar uma imagem distorcida da Ministra Eliana Calmon decidem as causas sob seus cuidados, notadamente quando se trata de ações de dano moral ou suposto crime contra a honra na qual o acusado é um "comum" e a suposta vítima é um magistrado.

Sem noção da realidade

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

E curioso como os magistrados acreditam que só eles possuem problemas ou dificuldades na profissão. Hoje é terça-feira, e já temos notícias de vários colegas advogados assassinados friamente por motivo ligado à profissão nesta semana. Quantos de nós ainda não estão com a cara mergulhada no processo a esta hora, e ainda vão estender a jornada até a meia-noite, com prazos que se vencerão amanhã? Quantos de nós não abdicam do convívio familiar, de amigos, preparando recursos contra as centenas de milhares de decisões abusivas prolatadas todos os dias, muitas vezes sem receber um único centavo de remuneração por anos? Os magistrados brasileiros, em comparação com os demais trabalhadores e profissionais que se dedicam com afinco ao trabalho, estão no céu e não sabem. Essa a verdade.

Balela

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Já vi frases idiotas, mas essa bateu os recordes: "Não se escolhe ser magistrado. A toga escolhe quem pode vesti-la, numa peneira invisível e diária." A grande maioria dos magistrados brasileiros são na verdade "concurseiros de plantão". São magistrados porque passaram no concurso, e nada mais do que isso. Tivessem sido aprovados em algum outro, melhor remunerado e com "mais moleza", não estariam na magistratura. E para aprovação no concurso tudo vale. Decorar toda a matéria do concurso; esquecer em absoluto toda espécie de militância, notadamente aquela que contraria as cúpulas dos tribunais; vender a alma para o diabo, se for preciso. Por certo que há alguns magistrados que são mesmo vocacionados, mas a maioria está ali tão somente em buscar de boa remuneração e poder de dominar os semelhantes.

Comentar

Comentários encerrados em 21/03/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.