Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Fraude armada

Grupo Opportunity se manifesta contra recurso da PGR

Depois de o Superior Tribunal de Justiça admitir, na última quinta-feira (8/3), que o recurso extraordinário da Procuradoria Geral da República contra a anulação da Operação satiagraha suba para o Supremo Tribunal Federal, o Grupo Opportunity, de Daniel Dantas, divulgou nota afirmando tratar-se de uma "operação clandestina".

O documento lembra que, em 2011, o STJ anulou a ação penal decorrente da operação, por considerar ilegal a participação de agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e de investigadores particulares na operação. Com a decisão, foi anulada também a pena de Dantas por corrupção.

Em comunicado enviado à revista Consultor Jurídico, a assessora do grupo afirma que a Operação Satiagraha "caracteriza-se por provas forjadas, crimes financeiros inexistentes e obtenção ilegal de provas". A nota também cita a condenação do ex-delegado Protógenes Queiroz por fraude processual e quebra do sigilo funcional, aproveitando para alfinetar o atualmente deputado, eleito "na esteira dos votos do palhaço Tiririca".

"O fato é que a operação Satiagraha foi uma fraude armada para atender a interesses privados e políticos. O objetivo era prender, mesmo após as investigações policiais constatarem a inexistência de crime por parte do Opportunity", afirma a representante do grupo.

Leia o comunicado:

Em relação à decisão do Superior Tribunal de Justiça de deferir o recurso do Ministério Público Federal, é preciso esclarecer que:

A Satiagraha é decorrente da Operação Chacal, que foi ancorada em provas fraudadas. Desde 2006, a Divisão Anti-Máfia da Procuradoria de Milão cuida de inquérito contra executivos e prestadores de serviços da Telecom Italia. Depoimentos e documentos italianos mostram que a Operação Chacal derivou de falsa denúncia da Telecom Italia no Brasil à Polícia Federal e à imprensa, em julho de 2004. Segundo os italianos, a Brasil Telecom, à época  sob a gestão do Opportunity, teria mandado ‘espionar’ executivos da Telecom Italia e integrantes do primeiro escalão do governo Lula.  A ‘denúncia’ era falsa. A Justiça de Milão reconheceu Daniel Dantas e o Opportunity como vítimas da Telecom Italia.

Em 10 de fevereiro de 2012, o juízo da 5ª Vara Federal Criminal de São Paulo proferiu sentença absolvendo Daniel Valente Dantas e outros no processo 2004.61.81.001452-5 da Chacal. 

A Operação Satiagraha, na esteira da Chacal, caracteriza-se por provas forjadas, crimes financeiros inexistentes e obtenção ilegal de provas. Na Satiagraha, a participação ilegal de agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) é sensivelmente superior que a participação de agentes da Polícia Federal. Tratou-se de uma operação clandestina realizada fora das dependências da Polícia Federal.

O ex-delegado Protógenes Queiroz foi condenado por fraude processual e violação de sigilo funcional por sua atuação na Satiagraha. O Ministério Público Federal entendeu também que ele deve responder pelos crimes de prevaricação e corrupção passiva. Em síntese, Protógenes Queiroz é acusado de ter “armado” a operação, de ter falsificado provas e de corrupção.  Vai ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal (em função de ter foro privilegiado já que foi eleito deputado na esteira dos votos do palhaço Tiririca).

O fato é que a operação Satiagraha foi uma fraude armada para atender a interesses privados e políticos. O objetivo era prender, mesmo após as investigações policiais constatarem a inexistência de crime por parte do Opportunity.

Atenciosamente,
Elisabel Benozatti
Assessoria de Comunicação do Opportunity

Revista Consultor Jurídico, 9 de março de 2012, 17h47

Comentários de leitores

6 comentários

IRRESPONSABILIDADE E Poder X Seres Humanos

CHORBA (Bancário)

Para não sofrer mais uma injusta ação, afirmo que nem todos os Investigadores agem da forma como comentei anteriormente. Muitos são pessoas sérias que tem RESPONSABILIDADE E na dúvida não seguem adiante e PROMOVEM A VERDADEIRA JUSTIÇA.
.
Jorge Alencar Chorba
chorbamatrix@gmail.com
http://chorbamatrix.blogspot.com/
(51)8248.7835

IRRESPONSABILIDADE E Poder X Seres Humanos

CHORBA (Bancário)

Senhores!
Por mais que busquemos justiça infelizmente nossos investigadores buscam vantagens pessoais, sejam financeiras por meio de corrupção (igualando-se a possíveis criminosos) e por uma VANTAGEM que entendo a mais cruel: PROMOÇÃO PESSOAL, pirotecnia e tudo mais que lhes possa trazer PROMOÇÕES PESSOAIS.
.
Nesta busca de PROMOÇÃO PESSOAL, não lhes importa o resultado, seja qual ele for: Prisão de inocentes em investigações muito mal fundamentadas sem PROVAS CONCRETAS e embasamento lógico.
.
Vidas jogadas na lama, pois os abalos morais e materiais são irreversíveis, mesmo que com a reparação final de sentença de inocente ou casos como este e outros tantos de "RÉUS" que não tem poder financeiro nem pessoal para se defender.
.
Jorge Alencar Chorba
chorbamatrix@gmail.com
http://chorbamatrix.blogspot.com/
(51)8248.7835

Jabiticaba

Helio Telho (Procurador da República de 1ª. Instância)

Operação clandestina?
Mas, não foi autorizada pela Justiça?
Não foi conduzida por um delegado de polícia?

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 17/03/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.