Consultor Jurídico

Entrevistas

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Livro Aberto

Os livros da vida do professor Arruda Alvim

Por 

Caricatura Arruda Alvim - 29/02/2012 [Spacca]

“O Brasil será uma potência e o Direito reflete a grandeza de um país”. O alerta é feito pelo professor, desembargador aposentado, autor e advogado José Manoel de Arruda Alvim Netto enquanto ele mostra uma ínfima parte de sua extensa biblioteca, que guarda mais de 25 mil títulos, a maioria jurídicos. Notório pelo largo conhecimento em Processo Civil, o professor conta ter dedicado mais de 40 anos ao Direito e aos livros. Somados, os livros de autoria exclusiva, organizados e obras coletivas somam 74 edições no Brasil. No exterior, tem outras 15 publicações de trabalhos e artigos especializados. 

Na vida acadêmica, Arruda Alvim também é um craque. É livre-docente e doutor em Direito Judiciário Civil pela PUC-SP e professor da disciplina na universidade, além de encarregado do mestrado e do doutorado em Direito Civil. Notívago, dorme só até a meia-noite, quando começa a trabalhar. Termina só às 6h da manhã.


Livros da Juventude
O gosto pelos livros começou com José de Alencar e Machado de Assis, de quem leu as obras completas. O livro mais marcante de Machado foi Memorial de Aires,Memorial de Aires [Divulgação]"talvez por ter sido sua úlitma obra", reflete o professor.

Quando o assunto é literatura estrangeira, duas obras são tidas com “lindas”, pelo desembargador. Trata-se de Os Três Mosqueteiros e a série de livros Memórias de um Médico, ambas do francês Alexandre Dumas. Para ele, a trilogia iniciada por Os Três Mosqueteiros é “charmosíssima”. Ele também se diz fã do filme norte-americano de mesmo nome coestrelado por Gene Kelly.

Cem anos de Solidão, de Gabriel Garcia Marquez

Arruda Alvim também gosta da obra O Pigmaleão, que originou a peça My Fair Lady. Uma coletânea sobre a mesa revela ainda admiração por Oscar Wild, em língua inglesa. 

Cem Anos de Solidão, que Pablo Neruda considera o segundo melhor livro escrito em castelhano depois de D. Quixote, também é muito lindo”, diz. A obra é do mundialmente conhecido escritor colombiano Gabriel Garcia Marquez.


Livros Jurídicos
Quando o assunto é Direito, o professor tem como referências as obras do italiano Giuseppe Chiovenda e de José Frederico Marques, na área de Processo Civil. "Frederico Marques tem grande significação para o Código de Processo Civil de 1939. Sua obra de cinco volumes trouxeram uma série de inovações para o Direito brasileiro."

O advogado está lançando seu mais novo livro, Comentários ao Código de Processo Civil, em coautoria com Araken de Assis e Eduardo Arruda Alvim. “Esse livro foi escrito ao longo de 20, 25 anos, e é uma compilação de casos interessantes, com linguagem curta, analítica e sintética.” 

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 9 de março de 2012, 8h43

Comentários de leitores

1 comentário

Os livros que marcaram a vida do Professor José Manoel de Ar

cerqueira césar (Advogado Assalariado - Empresarial)

O Professor Arruda Alvim, mestre de todos nós, é um
dos mais completos processualistas e um civilista por excelência. Os seus ensinamentos e os seus escritos são
clássicos na nossa formação estudantil. Ele poderá ser
chamado,sem modéstia, de: "Sua Excelência, o Professor!".
Joaquim Portes de Cerqueira César
advogado em São Paulo

Comentários encerrados em 17/03/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.