Consultor Jurídico

Comentários de leitores

8 comentários

Falta de ter o que fazer

JA Advogado (Advogado Autônomo)

É impressionante a visão vesga do MPF-RJ a respeito de um assunto encerrado como esse. Será que o MPF não tem outras coisas para fazer ? Mas se for para exumar cadáveres que façam a coisa bem feita, investigando, por exemplo, o sequestro brutal do embaixador Charles Elbrick, depois trocado por meia dúzia de desocupados. Esses sequestradores devem então pagar o preço do seu tresloucado ato. Alguém falou na Constituinte mas não foi ouvido, que dar tamanha autonomia ao MPF iria dar sérios problemas ao país, a começar pelo enorme custo dessa instituição abarrotada de privilégios salariais.

IRRESPONSABILIDADE

Valdecir Trindade (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Tenho que o MPF/RJ está adotando uma conduta irresponsável e ilegal ao formar o mencionado grupo de trabalho para investigar supostos crimes cometidos por ocasião da ditatura militar. Digo isso porque temos uma lei da anistia que com a sua edição sepultou de vez todas as possibilidades de qualquer das partes pugnar por direitos decorrentes daquele período. Creio que os membros do MPF que tomam essa decisão política sejam pessoas que conhecem a ditadura pelos livros, caso contrário não enveredariam por esse caminho. Eu, na época, ainda com pouca idade, tive a felicidade de enfrentar a ditadura através de organização de manifestações das mais variadas. Não é sem razão que mnha ficha no antigo SNI tenha 4 laudas. Ainda que eu não tenha ido para a luta armada, caso fosse, e com isso viesse a ser submetido a tratamento que na época era dispensado aos ditos revolucionários, o fato é que todos sabiam dos riscos. Era a regra do jogo. Participava quem queria participar e quem tinha convicção de estar fazendo o que era certo. Agora, porque alguns morreram ou foram torturados, virem, décadas após falar em crimes dos militares é no mínimo uma grande hipocrisia e falta de honestidade. Seria bom que o MPFRJ buscasse mais informações antes de enveredar por uma lida sem honra e muito menos legalidade.

Sexo dos anjos

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Discutir crimes da época da Ditadura, e sua responsabilização, é o mesmo que discutir o sexo dos anjos. No momento, no Brasil, de cada dez vezes que um homicida tira uma arma e estoura os miolos de seu oponente, mais das vezes à luz do dia e diante de várias testemunhas, em ao menos 9 vezes absolutamente nada ocorrerá. Sequer haverá um suspeito no inquérito, que se arrastará até ser arquivado. E não venham dizer que a culpa é do Judiciário, ou dos meios de defesa do acusado, porque em 9 vezes de cada 10 mortes sequer se acha alguém para acusar. Como um País nessa situação vai conseguir julgar e punir supostos crimes que ocorreram há 50 anos?

Oba!

Richard Smith (Consultor)

Agora fiquei feliz! Ganhei o dia!
.
Veremos então, os vagabundos responsáveis pela morte de mais de 120 pessoas, por sequestros, assaltos a bancos, a carros-forte, por TORTURAS, "justiçamentos e por conspiração para reduzir o Brasil a uma "Ditadura do Proletariado" serem presos, processados, julgados e condenados?!
.
Putz, se o trâmite for bem célere, como pode indicar a "sede de justiça" dos nobres membros do MP, acho que teremos de convocar eleições antecipadas, pois vai dar "ficha suja" a torto e direito, cacildis (como diria o saudoso Mussum)!
.
VIVA A JUSTIÇA, cada vez mais operosa, imparcial e firmemente focada nos desejos e interesses mais importantes da população que paga os seus nada insignificantes salários!!!

COMISSÃO UNILATERAL DA VERDADE E SOFISMA

themistocles.br (Advogado Sócio de Escritório - Administrativa)

A Lei de Anistia de 1979 foi ampla, geral e irrestrita, ou seja, anistiou integrantes de ambos os lados.
A recente Lei da Comissão Nacional da Verdade expressamente declara que não se poderá punir ninguém que já foi anistiado.
O STF declarou que a Lei de Anistia é válida.
Argumenta-se que apenas se quer apurar os crimes do Estado, e não pessoas.
Mas na verdade todo mundo sabe que isso é mera retórica, pois membros do governo atual já declararam que a intenção é punir apenas integrantes que apoiaram os Governos Militares. Nessa interpretação manifestamente unilateral, apenas integrantes da esquerda teriam sido anistiados. Na lei não consta essa distinção, isso é interpretação tendenciosa da esquerda.
Alegar que a Lei de Anistia de 1979 estaria conflitante com a Carta da OEA de Direitos Humanos é simplista, pois omite que a Declaração Universal dos Direitos Humanos, da ONU, também prevê o princípio da igualdade e da isonomia, de maneira que até agora não há argumentos relevantes para sustentar que apenas integrantes da esquerda foram anistiados, mas não militares.
Dizer que a Comissão Nacional da Verdade quer apenas apurar os crime do Estado brasileiro, e não pessoas, é mero jogo de palavras, pois na realidade é revanchismo contra pessoas já mapeadas pela esquerda.
Porém, a esquerda não aceita prestar contas de suas responsabilidades por crimes que eventualmente ocorreram.
Assim mais adequado seria denominar Comissão Unilateral da Verdade, pois a esquerda insiste em que essa história seja revelada apenas pela metade, omitindo sua conduta.

O BURACO É MAIS EM CIMA

olhovivo (Outros)

O MPF poderia aproveitar e investigar POR QUE o MPF - na época da ditadura, quando nada estava prescrito ainda - não promoveu investigação, muito menos propôs uma única denúncia, contra os torturadores e assassinos de então. Nem mesmo contra o mais baixo escalão de carcereiros. Por que será?

Só falta pendurar uma melancia no pescoço

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O Ministério Público Federal poderia criar um grupo de trabalho para investigar os crimes que foram cometidos ontém, e os que foram cometidos nas poucas horas de hoje (centenas), e parar de fazer demagogia barata.

Desperdício de dinheiro público.

Diogo Duarte Valverde (Advogado Associado a Escritório)

Como se o episódio do dicionário não bastasse, o Ministério Público decidiu inventar mais outra besteira que não irá fazer mais que desperdiçar dinheiro público. Antes que a patrulha diga algo, deixo claro que qualquer ditadura é monstruosa, demoníaca mesmo. Ditaduras merecem o maior repúdio possível. Entretanto, já existe uma Lei da Anistia e uma decisão do Supremo Tribunal Federal a respeito do assunto, então qualquer tentativa de persecução será mesmo uma gigantesca perda de tempo e dinheiro público. Pergunto: não há mais nada para se fazer?

Comentar

Comentários encerrados em 16/03/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.