Consultor Jurídico

Colunas

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Estante Legal

A estreia de um juiz na literatura policial

Por 

O juiz Aylton Cardoso Vasconcellos faz a sua estreia oficial, nesta segunda, como o mais recente integrante da chamada literatura policial. Segredos de Sangue, de sua autoria, será lançado logo mais à tarde, no auditório da Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro (Amaerj), no centro da cidade. O romance, que explora temas como corrupção, drogas, celibato e inclui uma abordagem sobre o meio jurídico, gira em torno de um detetive que decide investigar por conta própria o misterioso assassinato de um frade franciscano, que dirigiu um orfanato, onde ele, o detetive, passou parte da infância. Aos poucos, durante as investigações, vão surgindo os segredos acentuados no título, envolvendo o protagonista e sua família, formando um quebra-cabeça desconcertante.

É um livro de ficção, mas é inegável a influência do cotidiano vivido pelo autor, principalmente no desenvolvimento da trama e na construção dos personagens. "Toda obra de ficção exige um planejamento, um lado racional, mas você também escreve muito com o seu inconsciente", afirma o magistrado. "Os leitores que atuam na área jurídica, por exemplo, vão reconhecer muita coisa da nossa vivência." 

Segredos de Sangue começou a ser escrito há cerca de 10 anos, antes mesmo de o autor ingressar na magistratura, em 2005. A história, por sinal, precisou ser interrompida duas vezes. Na primeira, para estudar para o concurso que o levou ao Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Depois, já empossado, para concluir o mestrado em Direito Processual na UERJ, em 2006. A trama só deslanchou mesmo quando Aylton Vasconcellos foi transferido para Arraial do Cabo, na região dos Lagos fluminenses, onde encontrou mais tempo e elementos para formatar a história.

Mas a demora na conclusão do livro foi benéfica para os leitores. "Se eu tivesse concluído o livro lá atrás, não teria tantos elementos, não teria conseguido incluir tantas experiências", afirma o autor, ao explicar que boa parte dessas experiências decorre do fato de trabalhar em uma vara única, com múltiplas competências. "Atuar em uma comarca do interior proporciona um contato com o drama humano em todos os seus aspectos, que eu não teria em um grande centro urbano, o que foi bom para o romance", diz.

O livro é o primeiro de uma trilogia planejada por Vasconcellos, leitor voraz e confesso admirador de grandes nomes da literatura mundial, como Dostoiévski, Cervantes, Alexandre Dumas e Arthur Conan Doyle, o criador de Sherlock Holmes, entre outros que, segundo ele, influenciaram e continuam a influenciar não apenas a sua visão de mundo, mas a própria maneira de julgar.

"A literatura te leva a conhecer melhor o ser humano e ter acesso à psicologia dos personagens, algo muito difícil de obter em um texto técnico ou científico", explica Vasconcellos. Para ele, entender melhor a motivação das pessoas, aquilo que está por trás de suas ações, ajuda qualquer pessoa a fazer um julgamento melhor. "E não só ao juiz, pois, afinal, todos julgam, instintivamente, o tempo inteiro, sejam as atitudes dos outros ou suas próprias ações."

Serviço:
Título: Segredos de Sangue
Autor: Aylton Cardoso Vasconcellos
Editora: Multifoco
Lançamento: 5 de março (segunda-feira)
Local: Auditório da Amaerj — Rio de Janeiro
Horário: 17h30
Informações: (21) 3133-2315

 é jornalista.

Revista Consultor Jurídico, 5 de março de 2012, 9h16

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 13/03/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.