Consultor Jurídico

Comentários de leitores

39 comentários

É preciso não confiar nos políticos!

Roozevelt (Contabilista)

E explico: esse fundo tem muito congressista de olho nele! Esse fundo deve ser administrado por uma diretoria eleita pelos servidores federais e todo dinheiro deve ser aplicado com boa rentibilidade, a fim de evitar a aplicação em empresas falidas de políticos. Se essa diretoria fôr indicação política aí a vaca vai pro brejo.

É o que eles merecem

Valterci Sales Lima (Administrador)

Se o nosso judiciário fosse de melhor qualidade, sem juízes corruptos(BANDIDOS DE TOGA), a sociedade brasileira até que o apoiaria, mas com esse judiciário que temos, merece menos do que R$ 4.000,00(quatro mil reais), que para muitos não vai fazer muita diferença, haja visto o seu patrimônio incompatível com os seus salários, segundo denúncias da imprensa.
A Câmara fez a sua parte, agora esperamos que o Senado também faça a sua, mas para que isto aconteça, a sociedade brasileira tem que se mobilizar e estar vigilante, será apenas o início, já que o cidadão brasileiro que os sustenta com seus impostos, também espera pela fim dos privilégios para juízes tais como: aposentadoria compulsória(prêmio imoral); exoneração; férias de 60 dias, dos quais muitos negociam 30 dias; auxílio moradia e tantos outros.

Sou Servidor do Judiciário Federal, há 23 anos, com orgulho.

Claudio (Outro)

Concordo com os Srs. Sauer e Falcão. Quem não concorda desculpe, e um conselho: pesquisem sobre o RGPS e o PSS.
Há muito tempo fiz uma simulação no BB (só um exemplo): se comprasse um plano de prev priv, e pagasse com o excedente dos 11% que os da iniciativa privada pagam (relembrando: pago em cima de tudo que recebo, os colegas advogados que contribuem para o RGPS pagam 11% sobre R$ 3.916,00 - quer ganhar em cima de tudo, cara-pálida? pague um PGBL), já estaria aposentado com mais do que o que recebo hoje na ativa. Quando era diretor do sindicato falava - e ainda falo, que era - e sou, doido por isso - previdência privada: mas têm que me devolver o excedente do que paguei (11% sobre o que exceder o teto do RGPS; depositar meu FGTS de todo o tempo que trabalho aqui, etc...etc...).
Sabem quando esta devolução e este depósito do FGTS vão acontecer???? Eu não faço idéia. Forte Abraços, Luz e Fé. Felicidades.

Companheirada de olho nesse dinheiro

Sandro (Auditor Fiscal)

O pior mesmo é o olho gordo dos petistas e sindicalistas nas gestões desses fundos de pensão. Bandidos que venderam a alma para se manterem por cima da carne seca. NUNCA MAIS VOTO NO PT!!!!!

Somente o Judiciário?

bregafo (Assessor Técnico)

O Poder Executivo e o Legislativo irão ficar de fora desse achatamento salarial? São mais iguais que os outros ou não conseguiram manter suas mordomias com um salário de R$4.000,00? Como diz aquele popular ditado: PIMENTA NOS OLHOS DOS OUTROS É COLÍRIO.

Previdência II

Sargento Brasil (Policial Militar)

Para o INSS, seria muito bom o desonerassem das despesas que não são provinientes dos trabalhadores (que o sustenta), como pensões para jogadores de futebol que foram campeões do mundo, ex-exilados políticos, etc e que o teto das rendas mensais sejam realmente cumpridas em todos os casos, não só para trabalhadores. Esta é minha opinião.

O método

Sargento Brasil (Policial Militar)

Claro que ninguém é obrigado a concordar comigo sobre o que aqui vou postar. Me refiro ao método e não ao mérito. O reparo ou reforma começa pelo telhado ou andar de cima, onde haja vazamento e não pelo andar térreo como era de costume. Isso não quer dizer que estou de acordo como P.L. Com uma contribuição apenas de 11% o segurado do INSS, têm direito somente à aposentadoria por idade e co um S.M. Lógico que é diferente, pois, servidor público é regido por outra legislação. Políticos também, temos visto a auto-aprovação de aumento de vencimentos pelos que estavam de saída do cargo que ocupavam, deixando os que ingressavam com novos salários, antes mesmo de iniciar seus trabalhos. E aí? Aos que não entenderam o raciocínio, me desculpem.

Igualdade perante a Lei

Jajá (Contabilista)

Interessante. Arreia nos olhos dos outros, é colírio. Lembrem-se magistrados o que V.Exas., junto com os parlamentares fizeram com a Previdência Privada. Simplesmente jogaram no lixo nossos contratos. Somos todos iguais perante a Lei????????

Igualdade para todos os trabalhadores!

Proberto (Técnico de Informática)

Ao meu ver, já passou da hora acabarmos com os privilégios da casta de funcionários públicos, notadamente os do judiciário. Estes funcionários já gozam de estabilidade no emprego e não expõe seus gordos contra-cheques aos riscos da previdência social, onde habitam a esmagadora maioria dos trabalhadores brasileiros. Não se trata de uma proposta para nivelar por baixo, mas creio que cada um deve dividir responsabilidades de ganhos futuros com o mercado, uma vez que o Estado irá participar com até 8,5%. Acordem burocratas do judiciário!!!!!

MINISTÉRIOS É MOEDA DE TROCA...

Enos (Advogado Autônomo - Civil)

Acredito que quando esse tema foi abordado pela Rede Globo em “horário nobre”, em uma reportagem que pareceu encomendada pelos “interessados”, foi dito que o servidor público ainda se aposenta com o mesmo salário que recebe como se estivesse na atividade, mas isso é uma quimera e um engodo, pois ele receberá uma média das últimas 80 (oitenta) contribuições, haja vista que EC 20 de 1998 acabou com a paridade de remuneração (há poucas exceções), portanto, não se pode comparar alguém que se aposentou antes da vigência dessa emenda constitucional (trata-se de direito adquirido) com a realidade atual. O déficit da previdência pública está na sua administração, nos desvios, na corrupção, nos privilégios de membros de alguns poderes que recebem 15 salários por ano. A previdência não paga tão somente à aposentadoria de quem contribuiu pelo prazo legal, ela paga aposentadoria até para quem nunca contribuiu ou muito pouco contribuiu. O mal do Brasil não é o servidor público, mas do loteamento de cargos em comissão advindo da venda de “apoio político” em troca de ministérios... No Brasil só não acabam com a metade dos ministérios para servir de moeda de troca.

CORREÇÃO:

EDEMILSON (Advogado Autônomo - Trabalhista)

QUE OS MEMBROS DO CONGRESSO NACIONAL SEJAM ABRANGIDOS POR ESSA LEI (OU OUTRA SIMILAR), E OS MEMBROS DO EXECUTIVO TAMBÉM (COMO O PRESIDENTE DA REPÚBLICA). SE OS JUÍZES VÃO VIVER BEM COM R$ 4.000,00 (DE APOSENTADORIA), NADA MAIS JUSTO QUE DEPUTADOS FEDERAIS, SENADORES, PRESIDENTE DA REPÚBLICA, QUANDO APOSENTADOS, O VIVAM COM ESSA MESMA QUANTIA.
CHEGOU A HORA DO LEGISLATIVO PARAR DE LEGISLAR SOMENTE EM BENEFÍCIO PRÓPRIO.
JUSTIÇA!

APOSENTADORIA

EDEMILSON (Advogado Autônomo - Trabalhista)

QUE OS MEMBROS DO CONGRESSO NACIONAL SEJAM ABRANGIDOS POR ESSA LEI (OU OUTRA SIMILAR), E OS MEMBROS DO EXECUTIVO TAMBÉM (COMO O PRESIDENTE DA REPÚBLICA). SE OS JUÍZES VÃO VIVER BEM COM R$ 4.000,00, NADA MAIS JUSTO QUE DEPUTADOS FEDERAIS, SENADORES, PRESIDENTE DA REPÚBLICA O VIVAM COM ESSA MESMA QUANTIA.
CHEGOU A HORA DO LEGISLATIVO LEGISLAR SOMENTE EM BENEFÍCIO PRÓPRIO.
JUSTIÇA!

O respeito e os limites

JA Advogado (Advogado Autônomo)

A sociedade sempre teve o maior respeito e a maior reverência pelos Juízes, tendo-os como autoridades dignas. Mas o "sistema" corporativo foi incentivando e depois gostando dos privilégios ao longo dos anos, ampliando esse leque de benesses a ponto de jogá-los (os magistrados), hoje, na vala comum dos funcionários públicos em geral. E convenhamos que a própria magistratura não teve a sabedoria de sentir os limites, de colocar um freio nesse processo de aumento das benesses. Suas associações nunca pararam de reivindicar e pleitear, como se o Brasil fosse um país de nababos, uma nação rica a não saber mais onde colocar o dinheiro. E ao mesmo tempo os juízes transmitindo à sociedade a imagem de pessoas arrogantes e soberbas, como se fossem seres extraterrestres dotados de poderes quase divinos. E deu nisso. A contabilidade pública não tem ideologia - é matemática pura. O sistema quebrou e exige medidas corajosas, inclusive, ao extremo de precisarmos redefinir o que seja DIREITO ADQUIRIDO nessa matéria. Há aposentadorias tão escandalosas que jamais poderiam estar "protegidas" pelo conceito de direito adquirido. A magistratura está pagando o preço da ganância desenfreada e da soberba.

O direito de opção

Rui Costa Gonçalves (Juiz Federal de 1ª. Instância)

Você está correto, Edmilson. Se houver tratamento isonômico, os agentes públicos (os que ainda virão) deixarão de contribuir muito acima do que pagam os contribuintes do Regime Geral, regra geral sem usufruirem aqueles dos respectivos serviços, podendo custear com tranquilidade um plano privado com melhor cobertura. Hoje, são os agentes públicos que, no final das contas, mais custeiam o Sistema Previdenciário, entre as duas parcelas, em termos relativos, dado que grande parte também paga planos privados e usa seus (desses planos) serviços.
Mas não é essa a proposta em curso, ou seja, de igualar.
Resta saber que herança se pretende deixar sobretudo para os que não podem contribuir e necessitam do Sistema. Quem fará o desembolso que hoje os agentes públicos fazem, nas condições que explicitei?
O Governo já disse que pretende gastar menos.
Por fim, um lembrete: a proposta em curso se dirige a quem ainda vai ingressar no Serviço Público.

Aposentadoria dos Juízes

Phess (Professor Universitário - Civil)

NÃO sou funcionário público. Mas teço as seguintes considerações:
Os empregados da iniciativa privada ao se aposentarem levantam o FGTS que já é uma ajuda. Os funcionários não tem essa benesse. Porque não instituem também para eles o FGTS???
Privatizar a previdência pública corre um grande risco. Qual a segurança??? Meu filho contribuiu muitos anos para o AERUS. A União não fiscalizou (como não fiscalizará) os investimentos. Conclusão: Perdeu tudo e ficou a ver navios...No Brasil um investimento a longo prazo não tem garantia nenhuma é de altissimo risco.
Os empregados da iniciativa privada contam o tempo de contribuição de forma corrida independente se faltou ou não ao serviço. A contagem para aposentadoria dos funcionários é feita por dias trabalhados e não por mês corrido. Por que essa discriminação?????
Onde estão as entidades dos funcionários que não veem ou não querem ver as discriminações?????

País da Mediocridade

Sandro (Auditor Fiscal)

Somos um país de medíocres, de analfabetos funcionais, de gente sem cultura que não vê a sua posição como codadão. Somos do mesmo nível de uma Bolívia, que tanto depreciamos.
Não se consegue fazer nada nesse país. Não há competência nem honestidade. O povo deveria EXIGIR uma aposentadoria digna para todos e não impor um inexplicável teto que somente favorece ao AGIOTAS VERGONHOSOS (leia-se bancos).
Não dá para entender. Ou os nossos parlamentares são uns ignorantes ou bandidos. Aquele papo de gerar poupança interna, então.
Povo, abra os olhos. Temos potencial para ter qualidade de vida européia e estamos caminhando para sermos como chineses ou indianos, povos que possuem poucas conquistas sociais.

Aposentadoria ou Enterro???

Luiz Henrique da Silva Saraiva (Servidor)

A contribuição do Servidor Público nem precisa de investimento. Hoje se for colocado em uma poupança, em 22 anos de contribuição já daria para pagar o salário integral do Servidor + 3. Ou seja já estaríamos pagando a nossa aposentadoria e a de mais treis Servidores. Então a pergunta é.... pra onde está indo este dinheiro hoje já que não está "dando" para nos pagar??? e já que vamos receber menos ainda para onde irá o restante deste dinheiro???? ou a pergunta certa seria.... para o bolso de quem????

O Estado é covarde....

Edmilson_R (Outro)

Então que nos seja dada a opção entre um regime público ou um totalmente privado . Que o Estado dê o passo definitivo! Privatize a previdência mas não roube os servidores (eu sei que isso não é possível, ante o formato do nosso sistema previdenciário).
Aos desavisados: a contribuição mensal retida em folha é muito mais do que suficiente para custear a aposentadoria de qualquer servidor, com proventos "mais do que integrais" (com o perdão da expressão).
Já fiz a projeção em várias instituições bancárias. Se o que pago de contribuição previdenciária ao Estado pudesse ser aplicado em qualquer fundo de aposentadoria privada, daqui a 35 anos eu teria direito a muito mais do que o meu provento integral.

O desafeto de dentro

Sr. L (Outros)

Sem discutir a (des)valia do projeto, assusta-me a "festa" de alguns. Estou convencido que há indisposição contra os servidores públicos. Em especial, parece haver certo prazer em ver o juiz sem garantias, como se a função jurisdicional fosse igual a outros ofícios. Lembro de Willian Blake: "One law for the lion and the ox is opression". Há tanto tempo no Direito e concluo que a suma injúria é tratar todos como se fossem iguais.

Situações Distintas

Rui Costa Gonçalves (Juiz Federal de 1ª. Instância)

A exação previdenciária quanto ao agente público não é ou será, acaso se concretize a alteração em debate, igual ao regime privado. Naquele, há incidência sobre toda a remuneração; neste sobre um limite (teto) previamente fixado. Se igualados, deverá haver queda brusca de arrecadação, com os agentes públicos contribuindo bem menos. Sendo a proposta haver unificação de tratamento, que o seja integralmente.

Comentar

Comentários encerrados em 9/03/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.