Consultor Jurídico

Comentários de leitores

15 comentários

Em que rumo marcha o país

Edson Lustosa (Jornalista)

Marcha da Maconha, Marcha das Vadias... Que tristeza! Onde chegamos!

Convite a todos

Mário de Oliveira Filho (Advogado Sócio de Escritório)

Convido a todos, aos favoráveis e aos contrários à realização da marcha da maconha a visitarem o blog da Rádio Jovem Pan, "Campanha Jovem Pan contra as drogas em favor da vida", existente há dez anos, levando informação aos jovens pela voz dos jovens viciados em recuperação.
Serve para reflexão.

O relativismo. Ou: Justin Bieber é melhor que Sinatra.

Diogo Duarte Valverde (Advogado Associado a Escritório)

Eu apenas disse que a causa da maconha é menos importante que os movimentos que levaram ao Civil Rights Act of 1964 e ao caso Brown v. Board of Education. Acho difícil contestar isto.
.
Uma digressão: enquanto ao argumento do direito de reunião e livre manifestação do pensamento, é uma análise superficial, pois o próprio Supremo Tribunal Federal disse que o direito à livre manifestação do pensamento não é absoluto, e que estaria muito menos disposto a liberar, por exemplo, uma Marcha da Pedofilia. Logo, é errado dizer que qualquer um faz marcha para o que quiser, sendo que o próprio Supremo nega isto. O conteúdo importa, sim, embora o STF tenha liberado a defesa da maconha, em caráter específico. (Como disse, não liberou marchas para qualquer coisa)
.
Digressões à parte, eu tenho mais o que fazer que ser um apaixonado contra marcha de maconha. Apenas sei que ninguém conseguirá me convencer de que a maconha é mais importante que os movimentos que ensejaram o Civil Rights Act of 1964, e até mesmo os Occupy, do qual não sou fã. Se querem tentar liberar a fumaça, que o façam, não estou querendo impedir nada. A Suprema Corte já se posicionou a respeito, basta produzir os cartazes e mandar brasa (desde que sem produzir a fumaça em si, pois ainda é ilícito!). A questão é: poderiam estar fazendo coisa melhor. Se eu fosse organizar uma marcha, seria uma marcha em prol da saúde, da segurança pública, da educação pública, da moralização da política, e inúmeras outras coisas. Escolheram a maconha. Tá certo então, mas dizer que é prioridade é como afirmar que Justin Bieber é melhor que Sinatra.
.
Não sou eu quem julgo certas coisas mais ou menos importantes, é o bom senso. Relativismo demais leva ao caos absoluto. Pobre Sinatra.

Liberdade

George Rumiatto Santos (Procurador Federal)

Cada um faz marcha para o que quiser.
-
O comentarista Diogo parece apoiar apenas o direito de reunião e livre manifestação do pensamento em relação às causas que ele próprio julga "mais importantes".
-
Outros invocam aqui os "malefícios da maconha", à moda dos anos 30.
-
O fato aqui debatido, em verdade, é a pretensa proibição de uma manifestação pacífica. Não importa o conteúdo. A CF garante isso claramente.
-
No mais, parece ter o Sr. Prefeito incorrido em abuso de autoridade, previsto no art. 3º, h da Lei 4898 de 1965.
-
Mas preferem alguns comentaristas se entregarem às paixões de suas ideologias conservadoras, ignorando o mais grave problema: o arbítrio estatal na esfera de direitos fundamentais do cidadão.

se a moda pega

Leonardo Machado (Estudante de Direito - Criminal)

o stf liberou as marchas pela discriminalizacao, logo basta alguem ter coragem para criar a marcha pela liberacao do racismo, liberacao da pedofilia, liberacao do direito de esp andar mulheres etc etc.
se alguem fizer isso, o que podera o stf fazer a nao ser permitir?

Até que enfim uma decisão contrária à Prefeitura de Diadema.

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Evento quase inédito na Vara da Fazenda Pública de Diadema.
Será efusivamente comemorada (a decisão) pelos participantes da "marcha".

Então tá...

Richard Smith (Consultor)

E para quem, como muitos "libertários", tem dúvidas dos malefícios da maconha:
.
http://www.psicologiaesaude.com.br/dica19.htm

A Favor da liberdade de consciência.

Rossi Vieira (Advogado Autônomo - Criminal)

Sou sempre favorável a liberdade de consciência. Os psicoativos nasceram junto com o homem e essa é a verdade constante desde que estamos vivendo na terra, incontestável. Para alguns, inclusive, o uso de substâncias psicoativas são o alimento da própria consciência e alma. Não menos o álcool e tabaco estão à disposição livre de quem quiser consumi-los legalmente. A guerra contra as drogas, em si mesma, acaba por aniquilar mais vidas do que as próprias drogas consideradas maléficas. A guerra dura mais de 70 anos e a traficância é cada vez maior. Infelizmente, no Brasil não temos dados adequados a saber qual o efetivo consumo de drogas ilegais em número de pessoas. As cadeias estão lotadas de traficantes e no reflexo da populaçao das ruas, as drogas são consumidas livremente dentro das celas. Cada qual no seu quadrado, se um Grupo quer falar sobre o tema e alertar as autoridades sobre a liberdade de consciência, lembremos que estamos num país democrático e livre. Dar continuidade as proibições politicamente corretas continuaremos a chegar a lugar nenhum. Sou a favor da marcha da maconha em prol a segurança da liberdade e privacidade do corpo e alma.
Otavio Augusto Rossi Vieira, 45
Advogado Criminal em São Paulo.

Ah, mas é claro que tem...

Richard Smith (Consultor)

Ô caro Daniel das 10:56 hs., claro que sim!
.
Se o nosso preclaro e ínclito STF, uma vez mais interpretando ao lei de modo "sui generis" considerou que a marcha do fumacê não constitui apologia ao crime e nem tem consequências deletérias à Sociedade (como NADA ultimamente aliás!), proponho que, progressisticamente, encampemos certos movimentos lá do Hemisfério Norte e criemos o movimento pela descriminalização da PEDOFILIA, que tal?!
.
Afinal, são tantas as criancinhas em tenra idade, abandonadas por aí e tão carentes de "carinho" por parte de adultos, não acha?
.
E teremos, certamente, como saudáveis efeitos secundários, a experimentação precoçe das "delícias da carne" o que proporcionará àqueles infantes desfrutarem muito mais e melhor, futuramente, de todas as oportunidades de satisfação prometidas pela programação da TV, pelos anúncios em revistas, enfim, de toda a nossa Sociedade progressista e voltada para a mais ampla satisfação e realização do ser humano individual, não acha?
.
PEDOFILIA JÁ! Abaixo o "preconceito"!

Criminizar é preciso

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Os atos tendentes a infirmar os direitos e garantias individuais precisam ser criminalizados no Brasil. Porém, há uma Comissão de reforma do código penal, em plena atividade, e esse tem tem sido posto de lado, infelizmente, uma vez que o objetivo da Comissão é criar um código ditatorial, que será usado para constranger o cidadão frente ao poderio estatal.

É direta mesmo.

Diogo Duarte Valverde (Advogado Associado a Escritório)

Não é crítica indireta, é crítica direta mesmo, à falta de consciência política e à alienação. Podem ser também uns indignados com os mensalões, não sei, mas pelo que vejo, é só uma Marcha da Maconha, não tem nada a ver com corrupção.
.
Fico pensando aqui se, em vez dos movimentos pelos direitos das minorias nos Estados Unidos, tivessem sido organizados movimentos pela liberação da maconha. Em vez do Civil Rights Act of 1964, teríamos a maconha. Em vez de Brown v. Board of Education, teríamos a maconha. Não sou lá muito fã do Occupy, mas pelo menos é algo político, não estão tentando liberar a fumaça.
.
Há coisas mais importantes e coisas menos importantes. Eu posso achar que meu direito de andar nu pelas ruas é algo muito importante (é algo hipotético, não quero isso, não!), mas minha valoração nunca irá mudar a hierarquia de valores. A defesa do Estado Democrático de Direito é mais importante que a defesa da maconha.

Questão de alocação de prioridades

Alexandre (Advogado Assalariado)

Me espanta indivíduos que estão se preparando para se tornarem operadores de direito criticarem as prioridades de uma parcela da população. Oras, quer dizer que vc não pode se indignar com mensalão, cachoeiras E a proibição do uso de maconha? O que me parece é que, na falta de um argumento para criticar tal ato (ou pior, na falta de coragem em admitir sua posição retrógrada), parte-se para a crítica indireta.

não tem tema mais relevante para fazer marcha ?

daniel (Outros - Administrativa)

não tem tema mais relevante para fazer marcha ?
Marcha do Trabalho, Marcha contra os preguiçosos, Marcha contra a corrupção....

Resquícios de um tempo passado...

Ademilson Pereira Diniz (Advogado Autônomo - Civil)

Não; não é que certas pessoas não entenderam a decisão do STF, não vamos ser tão tolos para admitir que se trata de mero exercício de metencaptia: trata-se do exercício puro e simples do ARBÍTRIO!!! Eles querm demosntrar que QUEM MANDA, SÃO ELES...ELES SÃO A LEI...Recentemente o PREFEITO DE SÃO PAULO, esse tal de K.SABE, indeferiu a liberação de um imóvel -- apesar de todas as maniofestações TÉCNICAS já terem se manifestado pela regularidade da construção --, SEM QUALQUER FUNDAMENTAÇÃO LEGAL, tão somente porque "fi-lo porque qui-lo" (claro ele nao disse isso, mas é como se tivesse dito). Agora vem esse prefeito suburbano, alegando a lenga-lenga de sempre (a segurança pública, que é a panacéia usada pelo PODER para o cerceamento e o vilipêndio dos SIREITOS CIVIS)para impedir a MARCHA dos adeptos da maconha, pela sua liberação!!! O que é que pensam que são esses Prefeitos? Que são DONO da MORALIDADE PÚBLICA em "SEU" território? Eles são meros ADMINISTRADORES (e,aliás, para administrar SEGUNDO A LEI e não segundo sua vontade)da coisa pública, EM REPRESENTAÇÃO. Ora, um MEQUETREFE QUALQUER, casualmente eleito prefeito, logo quer DIRIGIR a consciência coletiva??? Às vezes é um sujeito que não sabe escrever um bilhete... Está faltando uma legislação para a CASSAÇÃO pura e simples de MANDATOS quando se constatar que o CHEFE DO EXECUTIVO agir escancaradamente CONTRA A LEI. É esse tipo de IMPUNIDADE que deve revoltar o cidadão...

Prioridades estranhas.

Diogo Duarte Valverde (Advogado Associado a Escritório)

É incrível o esforço quase sobrenatural que fazem para tentar liberar a fumaça, mas duvido que fariam o mesmo esforço para protestar contra os problemas reais do Brasil. Com tanta coisa para se preocupar e se indignar neste país, optam é pela maconha. Em vez de se indignar com os mensalões e os cachoeiras, querem o direito de fumar a erva mais do que qualquer coisa. Consertar "estepaiz" será uma tarefa muito difícil.

Comentar

Comentários encerrados em 2/06/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.