Consultor Jurídico

Entrevistas

Coragem para absolver

“Para o juiz, a covardia é tão nefasta quanto a venalidade”

Comentários de leitores

13 comentários

"A informatização exige a quebra de paradigmas"

Carlos Bevilacqua (Advogado Autônomo)

Efetivamente! Afinal, estamos em plena ere eletrônica. Porém devemos evitar o perigoso efeito colateral da generalização excessiva e falaciosa. Poupa-se muito tempo com o "copia e cola", mas a repetição prática encerra o risco de atribuir a casos atípicos ou excepcionais o mesmo parecer do MP ou decisão pertinente a casos corriqueiros, por deficiência de maior acuidade no uso do computador - o que tende a gerar efeitos nocivos, tais como pareceres perfunctórios e julgamentos insensatos. Dentre os quais pode pontificar o equívoco de considerar o falso como verdadeiro ou admitir inadvertidamente a mentira como fonte de direito aos que tiram proveito de simulações para pleiteá-lo. com consequentes perturbações à ordem jurídica, que desprestigiam e vulgarizam o uso indidcriminado do princípio constitucional da segurança e estabilidade jurídica como panaceia para resolver questões raras.

Graças a deus!

A.M.B. (Cartorário)

Todos os dias agradeço a deus por não ter o ministro sido nomeado ao stf, conforme ressaltou a imprensa especializada. Espero que termine a carreira no próprio stj.

Virtude de Juiz

Fábio Ferrario (Advogado Sócio de Escritório)

O medo é o maior inimigo da razão. Coragem no decidir com acerto, mesmo quando a publicidade opressiva reclama decisão contrária ao direito, é a cepa da excelência de um grande magistrado, característica reconhecida no entrevistado, cujas opiniões demonstram, sobretudo, a manutenção do compromisso e juramento firmados há vinte anos, quando da sua posse, com o ideal de Justiça.
Que essa entrevista seja um multiplicador de posturas acertadas e coerentes com a razão.
Parabéns pelos vinte anos de judicatura, que também em muito enaltecem o quinto constitucional.

Graças a deus!

A.M.B. (Cartorário)

Todos os dias agradeço a deus por não ter o ministro sido nomeado ao stf, conforme ressaltou a imprensa especializada. Espero que termine a carreira no próprio stj.

Vergonha

A.M.B. (Cartorário)

Pra quem não conhece, o citado Ministro Foi quem concedeu a suspensão de Segurança em um Agravo do TJRJ, que permitia aos IDOSOS do Estado do RJ o direito de viajar nos transportes públicos apenas com o Doc. de Identidade, conforme GARANTE A CF (norma de eficácia plena-art. 230, § 2o) e DETERMINA o Estatuto do Idoso, que proíbe a exigência de qualquer outro documento. Na visão do Ministro, o equilíbrio econômico financeiro dos contratos, deve transcender as partes que o firmam, mesmo que para isso tenha que atingir Garantias FUNDAMENTAIS da C.F., como o dever de AMPARO e PROTEÇÃO a pessoa idosa, e o direito de transporte público, que nada mais é do que a expressão do direito de ir e vir a quem, via de regra, não detém condições financeiras para tal. Somente uma interpretação VESGA e AUTISTA confere a lei o esvaziamento de seu sentido. Todos os contratos de concessão de ônibus do RJ foram celebrados ou renovados sob a égide da CF. Não se pode invocar uma garantia contratual entre concedente e concessionário para nulificar uma garantia fundamental da CF. Os empresário de ônibus alegam que sem o Cartão que eles mesmo fornecem, poderia haver fraudes ao sistema. Alegaram, mas NÃO apresentaram um Reg.Ocorrência envolvendo idoso que tivesse falsificado a Identidade para usufruir de Transporte Gratuito. É esse tipo de decisão que corroi a credibilidade do Judiciário, que em se tratando de STJ é bastante duvidosa, haja vista as decisões da Corte em prol do sistema financeiro, como a Sum. que diz ser licito a cobrança de juros pela Taxa Média do Mercado, ou seja, a LEGALIZAÇÃO DO CARTEL FINANCEIRO, pelo simples fato de que, ao contrário da baboseira dita na Sumula (296), o BC não estipula, apenas divulga algo que é estabelecido pelos próprios agentes econ.

Excelente.

Paulo Vítor Bezerra (Estagiário - Criminal)

Eu, como estudante do curso de direito e estagiário, fico muito contente ao ver que temos um Ministro com ideias jurídicas tão sólidas e claras. Programas como o "Justiça Aberta" dá, cada vez mais, a certeza de que a Justiça brasileira merece a confiança dos cidadãos.
Deixo aqui, meus parabéns pela entrevista e ao Ministro Asfor Rocha.

Ótima Perspectiva

Rafael Campbell (Advogado Associado a Escritório - Criminal)

Sabias palavras proferidas pelo Nobre Ministro.
É uma pena que nem todos os juristas leiam esta entrevista.
Parabéns pelo saudoso entendimento.

Evolução

Marcela Perillo (Advogado Associado a Escritório - Criminal)

Acredito que sua experiência com a advocacia é a grande responsável por suas decisões que o próprio Ministro denomina corajosas.

Parabéns!

Eduardo Martins (Advogado Sócio de Escritório)

Consoante Montaigne, “a mais honrosa das ocupações é servir o público e ser útil ao maior número de pessoas”; e Vossa Excelência, ao longo desses 20 anos, compondo o quadro de ministros do Superior Tribunal de Justiça desempenhou com seriedade, honradez e brilhantismo a condução e relatoria dos mais de 140 mil processos de vossa relatoria.
Um sonho, para ser concretizado, apenas precisa de alguém que acredite em sua realização; e Vossa Excelência, sabemos, soube fazer desse objetivo o que esperam da justiça os brasileiros: resultado que lhes satisfaçam os anseios.
Portanto, orgulhosamente, os advogados temos em sua majestosa figura a mais digna representação da nossa briosa OAB no Tribunal da Cidadania.
Que o vosso caminhar, doravante, continue iluminado e protegido por Deus onde quer que vá.

Evolução

Marcela Perillo (Advogado Associado a Escritório - Criminal)

Acredito que a experiência no mundo da advocacia tenha sido responsável por aquilo que o próprio Ministro denomina de coragem em suas decisões.

Virtude de um bom Juiz

Fábio Ferrario (Advogado Sócio de Escritório)

O medo é o inimigo mais poderoso da razão. Coragem de decidir corretamente, mesmo diante da publicidade opressiva contrária ao direito a ser seguido, é a cepa da excelência de um grande magistrado, característica reconhecida no entrevistado, cujas opiniões revelam, sobretudo, a manutenção de um compromisso com o ideal de justiça, que há vinte anos, quando da posse, solenemente jurou defender.
Que essa entrevista seja um multiplicador de condutas.

Parabéns pelo descortino de idéias e posição

Ruy Samuel Espíndola (Advogado Sócio de Escritório - Eleitoral)

Enquanto advogado militante, que acompanha, há mais de 20 anos a jurisprudência do STJ e do STF, e a evolução que tem ocorrido nas práticas forenses e nos temas judicializados, surpreendeu-me, muito positivamente, a voz e as idéias do Ministro Asfor Rocha.
Espero que suas idéias inspirem reflexões maiores no Judiciário, do piso às alturas.
Para mim, a feliz idéia de que, se no passado, era corajoso o juiz que condenava, hoje, é o que absolve, resume muito do clima de moralismo e ativismo contra constitucione que temos vivido e me preocupa.
Parabéns ao Ministro. Que siga em frente sua bela carreira judicante, e que ao fim de sua vida, que será muito longa, se Deus quiser, avalie, positivamente, o fato de ter, momentamente, largado a beca para, honradamente, vestir a toga.

Caricatura

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A entrevista é boa, mas a ilustração...

Comentar

Comentários encerrados em 28/05/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.