Consultor Jurídico

Comentários de leitores

13 comentários

conto

rode (Outros)

Que o referido conto existe, isso é verdade. A advocacia não é formada de santos e a podridão ali é muito superior proporcionalmente a da justiça. O STJ e o STF é formado mais por advogados do que por juízes. Então não culpem a magistratura pelas mazelas da justiça atual. Mas essa de GM não saber é hilária. Fazer o que? Ele é dono do conjur!
E o pintar (que pinta toda hora aqui) vai defender a sociedade como sem juízes independentes? Defensores da sociedade! Conta outra!

O mais curioso

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

Nessas 'folclóricas' 'estórias', o mais curioso é que sempre aparecem os mesmos protagonistas de 'causos' que dão margem a especulação. Interessante ! dentre os 11 Ministros do STF tem o 'carimbado', a vítima de todas as mazelas que envolvem aquele órgão. Antes dele também havia um outro que também foi citado, coincidentemente, tal qual o segundo, foi alvo de muita 'intriga' e 'maledicência'.

Subestimação de Inteligência! (Correção)

Cristiano Bessa (Advogado Autônomo)

No comentário de minha autoria, onde se lê: Substimação leia-se Subestimação.

Subestimação de Inteligência! (Correção)

Cristiano Bessa (Advogado Autônomo)

No comentário de minha autoria, onde se lê: Substimação leia-se Subestimação.

Substimação de Inteligência!

Cristiano Bessa (Advogado Autônomo)

Com o devido respeito, a matéria até de certa maneira substima a inteligência alheia, pois quis "dizer" o contrário do que suspostamente, em tese, estamos cansados, há tempos, de saber que tais 'coisas' podem estar ocorrendo! (tirem suas próprias conclusões) Vale aquela máxima! "Finge que me engana, que eu fingo que estou acreditando" Existem três Poderes, não tão independentes e muito menos harmônicos entre si! Também não se pode dizer que a 'podridão de corrupção' que impera nos Executivos e Legistalivos, tanto na União como também dos Estados e Municípios não possa se vislumbrar também no Poder Judiciário!!! Faça-me o favor!

O conto do vicário

ACSLogos - O rábula (Professor)

Todos sabem que os juízes, embora, lamentavelmente, não sejam eleitos pelo povo, são políticos profissionais. Não quero dizer que fazer política pressupõe falcatruas. Não isso! Mas, existem aqueles que vivem para política e os que vivem da política. No Brasil se sobressai o último tipo. Também sabemos que tal com a justiça, o direito e a lei, as decisões desses tribunais são apenas palavrinhas bem dispostas para beneficiar um grupo ou classe social. O STJ não é diferente. Agora, essa história do suposto “conto do vicário” (não é “vigário”) de venda de sentenças, lembra-me uma história, contada pelo jornalista Sebastião Nery ,sobre uma “socialite” que recebeu uma proposta US$ 500,000.00 para se deitar com um “ricaço” e aceitou imediatamente. Diante da imediata aceitação, o “ricaço” resolveu pechinchar e falou: - Pensando bem, posso lhe pagar US$ 5,000.00. A “socialite” ficou irada e retrucou: - O que o Sr. pensa que sou? E o ricaço lhe respondeu: - O que a senhora é nós já sabemos. Agora necessitamos ajustar o preço. E, não sejamos ingênuos, se um dia, no Brasil, resolvessem fazer uma investigação séria sobre as doações de campanha e sobre o poder da República que nunca é julgado pelo povo, provavelmente, teríamos um “apagão” de governança nesse país.

Substimação de Inteligência!

Cristiano Bessa (Advogado Autônomo)

Com o devido respeito, a matéria até de certa maneira substima a inteligência alheia, pois quis "dizer" o contrário do que suspostamente, em tese, estamos cansados, há tempos, de saber que tais 'coisas' podem estar ocorrendo! (tirem suas próprias conclusões) Vale aquela máxima! "Finge que me engana, que eu fingo que estou acreditando" Existem três Poderes, não tão independentes e muito menos harmônicos entre si! Também não se pode dizer que a 'podridão de corrupção' que impera nos Executivos e Legistalivos, tanto na União como também dos Estados e Municípios não possa se vislumbrar também no Poder Judiciário!!! Faça-me o favor!

Vergonha!!!

- Antonio Cesar - (Procurador Federal)

Mas que reportagem chapa branca descarada!!!!

Como é ?

João C. Blum Jr. (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

Com todo respeito ao jornalista, a matéria parece mais uma publicidade a favor dos magistrados citados do que qualquer outra coisa. Uma revista de tanto prestígio não pode se prestar ao trabalho de externar textos parciais! Expressem apenas os fatos, sem ficar conjecturando sobre a inocência ou não de tal ou qual Ministro ou pessoa. Mais atenção, por favor!

Artigo encomendado

Otávio Roberto Maciel (Procurador do Município)

O referido artigo coloca em xeque toda credibilidade da revista eletrônica Consultor Jurídico, construída ao longo de seus 15 anos de existência. É no mínimo estranho que o ilustre jornalista do alto de sua experiência na cobertura do jornalismo jurídico, publique um artigo com conteúdo tão desocupado. O referido artigo cheira notícia encomendada sem disfarce, além de ser um insulto aos leitores e um desfavor à sociedade. Ou o sr. Rodrigo Haidar é muito ingênuo ou equivocadamente subestima a inteligência dos leitores.

Barbas de molho

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Para o bom entendedor, a República Federativa do Brasil se esfacelou. A corrupção se encontra disseminada em todos os órgãos, com ramificações para a imprensa. Todos correm tentando colocar "panos quentes", de modo a que a massa da população não se aperceba que os órgãos republicanos vivem exclusivamente para a satisfação daqueles que exercem cargos e funções. Assim, nós advogados na condição de defensores da sociedade, e em condições de compreender e "digerir" isso tudo, pondo o cidadão comum a par do que realmente ocorre (sem os maquiamentos da imprensa), podemos colocar nossas barbas de molho porque na ânsia de manter tudo do jeito que está os agentes públicos não pensarão duas vezes em intensificar os ataques contra nós visando nos calar.

Cadê a verdade?

Armando do Prado (Professor)

Veja, Policarpo, Gurgel, Esposa do Gurgel, demóstenes (assim minúsculo mesmo)e outros precisam prestar contas à CPMI. É muita malandragem para pouca explicação.
Qto. ao malandro ladino do demóstenes, como ele mesmo disse: "sou um morto politico".

Tão querendo enganar quem?

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Entendi. Demóstenes dizia que influenciava decisões do Judiciário, e o "bobinho" do Cachoeira acreditava. Mais: é praxe entre advogados dizer que é preciso pagar o juiz para decidir a favor do cliente, embora já saiba de antemão a posição da Jurisprudência. E nessa historia toda, os juízes são santos, sendo que nenhum deles jamais se deixou influenciar de alguma forma, ou recebeu dinheiro para decidir. Ora, isso aqui é uma Revista de informação jurídica ou um panfleto publicitário da magistratura?

Comentar

Comentários encerrados em 23/05/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.