Consultor Jurídico

Notícias

Relato de ameaças

CNJ toma providências para proteger juízes

Comentários de leitores

6 comentários

Saindo em debandada

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Se o CNJ começar a passar a mão na cabeça de todo juiz que sai em debandada na primeira dificuldade que aparecer pela frente, embora deva ter obrigação de aceitar todos os desafios, como qualquer outro profissional, daqui uns dias teremos todos eles estarão batendo às portas do Conselho pedindo para viajar com a família para outro país porque uma criança lhes mostrou a língua. Sequer há comprovação de que houve ameaças concretas. O que se sabe, é que o processo envolvendo o Cachoeira é tão ou mais complexo do que o Mensalão, e qualquer falha do juiz vai se repercutir imediatamente na mídia e em cada canto do Brasil. Sem dúvida uma "bucha", que ninguém quer pegar, levando-nos a pensar: então se pode desistir assim de um processo?

Vai ser protegido por quem mesmo ?

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

O juiz terá proteção 25 horas por dia (1 hora e extra)a ser feita, via das polícias federal e estadual. Brincadeira. Deixar o galinheiro sob o comando das raposas ?

Instância subsidiária?

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Ué, mas e a importância dos tribunais regionais, que os magistrados tanto reclamam? Isso não seria assunto para o TRF1 cuidar?

Moção de apoio... ahahahahah

Leitor1 (Outros)

O CNJ ainda não se encontrou... Em alguns momentos parece querer ser um mini-Congresso. Os conselheiros atuam como se fossem 'mini-deputados', elaborando normas em caráter geral e originário sem maiores limites. Moção de apoio? Parece que isso virou moda, hoje em dia... Juiz agravando e desagravando juiz... Moção de apoio é tema de congresso em regime parlamentarista... Quer resolver? Mande - essa é a expressão - agentes de segurança para acautelar a família do magistrado. Simples assim.
-
Outra coisa: um dos argumentos utilizados pelo juiz para deixar o caso foi que estaria sendo 'desautorizado' pelo Tribunal, dado que suas decisões não estariam encontrando respaldo junto à corte regional. Fico imaginando se isso virar regra ... o juiz fica indignado pelo fato de um colegiado reformar suas decisões... que eu saiba, isso é da natureza das coisas. De qualquer modo, também é direito do juiz, querendo, mudar de vara, observados os requisitos para a remoção...

Mentira!

Ricardo T. (Outros)

"Ele sai porque ele quer, efetivamente, descansar disso tudo, dessa notoriedade”, afirmou a ministra."
O juiz não pode se afastar, para descansar, salvo as licenças permitidas por lei, em homenagem ao princípio do juiz natural. Ministra Eliana tentar maquiar as coisa. Lamentável!

moção?

Prætor (Outros)

As tais "providências" foram uma "moção de apoio"? Aliás, quando o Presidente do CNJ diz, com razão, que a função primordial do órgão é zelar pela autonomia do Poder Judiciário, o que foi feito pelo CNJ a este respeito - e indago desde a sua criação?

Comentar

Comentários encerrados em 28/06/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.