Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Dados de 2011

Agressões psicológicas a idosos predominam

Dados da Defensoria Pública do Distrito Federal revelam que a maioria dos casos de violência contra idosos é de natureza psicológica (53%), seguidos de negligência (33%) e exploração financeira (30%). A Defensoria Pública atendeu 336 casos de violência contra idosos no DF em 2011. Desse total, 66% foram agredidos pelos filhos, o que corresponde a 224 casos. As mulheres idosas são as que mais sofrem agressões (67,4%).

Nesta sexta-feira (15/6), a Defensoria promoveu, na Rodoviária do Plano Piloto, em Brasília, mutirão para oferecer orientação a idosos que sofreram algum tipo de violência. O mutirão faz parte das ações de comemoração ao Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa.

Segundo a coordenadora do Núcleo de Idoso da Defensoria Pública e também presidente do Conselho do Idoso, Paula Regina Ribeiro, o quadro é o mesmo nos últimos seis anos. “Ao longo desse período, não houve políticas públicas de combate à violência contra o idoso”, disse.

Para a psicóloga Fernanda Braga, da Central Judicial do Idoso do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, a classe econômica não é relevante nos casos de violência contra o idoso. "Não importa a renda do idoso, a violência acontece do mesmo jeito", disse. Segunda a pesquisa, a renda de 34% dos idosos que sofreram algum tipo de violência é de até um salário mínimo e 21% recebem mais que cinco salários mínimos.

Em relação à violência sexual, Fernanda acredita que o assunto ainda é tabu entre os idosos. "Apesar de a violência sexual ficar entre os últimos lugares da pesquisa, os dados não mostram a realidade. Os idosos não têm coragem de denunciar os agressores", disse Braga. Com informações da Agência Brasil.

Revista Consultor Jurídico, 16 de junho de 2012, 13h39

Comentários de leitores

1 comentário

agressões psicologicas a idosos

Renato de Barcelos (Auditor Fiscal)

Os tres principais agentes de agressão psicológica aos idosos são o Governo, os políticos e a justiça ao não repararem o crime gerado pela criação do fator previdenciário. Embora as inconstitucionalidades já demonstradas nas instâncias inferiores o assunto não anda. O Governo e os políticos ficam ensaiando acabar com o fator apenas para induzir quem está próximo de se aposentar a ficar na espera para continuar a tirar de quem contribuiu para finalidades eleitoreiras (bolsas de todas espécies). Quem já contribuiiu com os 35 anos precisa fazer as contas se vale a pena esperar considerando o quanto deixa de receber enquanto espera cair o fator e quanto tempo levaria para recuperar estes recursos em função de um pequeno acréscimo na renda. Ao diminuir os ganhos desta forma imoral e criminosa usurpando os direitos de quem levou uma vida inteira contribuindo para ter vida digna e no momento em que é mais necessário representa umá das piores agressões sofridas pelos idosos.

Comentários encerrados em 24/06/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.