Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Relações com Cachoeira

Relator de CPI pede processo contra Protógenes

O deputado Amauri Teixeira (PT-BA) apresentou, na última quarta-feira (6/6), parecer pela a abertura de processo no Conselho de Ética da Câmara contra o deputado Protógenes Queiroz (PCdoB-SP). Ele é acusado de quebra de decoro, pois, em interceptações telefônicas da Polícia Federal, foi flagrado em diálogos com Idalberto Matias de Araújo, conhecido como Dadá, suspeito de ser um dos principais colaboradores no esquema de Carlinhos Cachoeira.

“Encaminhamos nosso parecer pela admissibilidade. Não quer dizer que estamos concluindo pela quebra de decoro ou não. Apenas aceitamos que a representação obedece aos pressupostos normais, está de acordo com o Regimento Interno da Câmara e do Conselho de Ética”, afirmou Teixeira, relator do pedido de investigação contra o deputado.

Protógenes é membro titular da CPMI do Cachoeira e, também por isso, os diálogos motivam preocupação. “Um parlamentar não pode agir como, ao que tudo indica, tem agido o deputado Protógenes Queiroz, mantendo relacionamento próximo com um notório contraventor e, pior, o auxiliando diante das investigações levadas a cabo pela Polícia Federal”, disse Teixeira no parecer.

A representação contra Protógenes foi elaborada pelo PSDB. Em reunião, marcada para a próxima terça-feira (12/6), o Conselho de Ética decidirá se aprova ou não a abertura de processo. Em caso afirmativo, o relator terá 90 dias para aprofundar as investigações e apresentar seu veredicto.

De acordo com Teixeira, mesmo com a abertura do processo, Protógenes não será obrigado a deixar a CPMI do Cachoeira. O Regimento da Câmara, explica, prevê o afastamento do parlamentar apenas das atividades do Conselho de Ética enquanto perdurarem as investigações. Com informações da Agência Brasil.

Revista Consultor Jurídico, 7 de junho de 2012, 7h06

Comentários de leitores

7 comentários

Protogenes Queiroz?

Pek Cop (Outros)

Não foi ele que rejeitou uma propina milionária para não autuar o banqueiro Daniel Dantas? Xiiiiiiiii,quando falaram e li que o ex-delegado era manipulador e queria ser Deputado eu não quis acreditar...mas começo a mudar de opinião.

Com a palavra a PETRALHADA patética...

Richard Smith (Consultor)

.
Mas O SILÊNCIO ENSURDECEDOR DA PETRALHADA em situações como estas e outras (como a escandalosa e ditatorial intervenção do PT nacional nas prévias do Recife com a destituição sumária do vencedor e a indicação à "dedaço" do candidato oficial pela "Anta lambançeira" Sem-dedo) pelo é absolutamente hilário e patético!
.
O que será que foi? O redator do boletim com a "Verdade" semanal do diretório do partido demitiu-se? Ou será que internou-se por algum surto de esquizofrenia agudo?
.

Atraso cultural

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O que eu acho mais curioso nisso tudo, analisando o fenômeno sob o aspecto sociológico, é a memória curta do brasileiro. Qualquer cidadão dotado de cultura mediana sabia, desde o início de toda aquela novela envolvendo Daniel Dantas, que os agentes envolvidos na fanfarrona operação, usada durante meses como combustível de audiência para as organizações Globo, praticavam reiteradamente delitos. Não faltou, durante anos, outros bandidos que os defendessem publicamente, como se todos esses agentes públicos envolvidos com crimes graves fossem os salvadores da Humanidade, heróis que lutavam contra a maldade representada pelo banqueiro (leia-se: concorrente dos amiguinhos do PT). Como o tempo é a mãe da verdade, bastou se esperar para que toda a quadrilha fosse desmascarada. Mas, a despeito de tudo o que ocorreu, e que em outros países seria extensamente discutido, narrado, e transformado em livro e em filme, aqui tudo já foi esquecido. O Juiz Federal envolvido até o pescoço com a quadrilha, mesmo tendo descumprido ordem da Suprema Corte, foi absolvido e jogado ao TRF3 com uma manobra. O Delegado, mediante verdadeiro "estelionato eleitoral", foi para o Congresso Nacional. Os demais, estão por aí "batendo ruela" e trocando favores com outros bandidos para obterem impunidade. A imprensa não acompanha, e quem cair de paraquedas no Brasil hoje sequer vai saber do episódio. Essa a diferença fundamental entre buracos dominados por bandidos, como é o Brasil, e verdadeiras democracias. Em países civilizados, tudo é estudado, catalogado, difundido e comentado, enquanto aqui está na boca do povo e na ordem do dia o que interessa aos bandidos que se revezam no poder, e nada mais do que isso.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 15/06/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.