Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Dívida Trabalhista

Disputa entre Zetti e Guarani se arrasta há 6 anos

Por 

O ex-goleiro Zetti foi técnico do Guarani por apenas dois meses em 2004, mas até hoje não recebeu nenhum centavo por sua passagem pelo time campineiro. Apesar de ter ganhado na Justiça a batalha judicial com o clube, transcorridos quase cinco anos do trânsito em julgado do processo, a novela terá ainda mais um capítulo na próxima terça-feira (12/6), quando ocorrerá nova audiência de conciliação entre as partes.

Zetti foi contratado pelo Guarani em maio de 2004 e deveria receber, mensalmente, um salário de R$ 5 mil, mais R$ 47,5 mil em direitos de imagem. Pelo acordo, ele comandaria o time até dezembro daquele ano. O técnico, entretanto, deixou o clube antes disso. Em julho, a diretoria do Guarani demitiu o ex-goleiro do São Paulo e da seleção brasileira, sem ter pago nenhum mês de salário, segundo consta da sentença de março de 2007.

Cerca de dois anos após ser demitido, o ex-jogador decidiu entrar com uma Reclamação Trabalhista na 4ª Vara do Trabalho de Campinas e abriu processo contra o Guarani em maio de 2006. O clube foi condenado a ressarcir o ex-técnico em valores que giravam inicialmente em torno R$ 335 mil —além de salários atrasados, o juiz determinou o pagamento de FGTS, férias proporcionais, multa e indenização. Mas a conta pode ser maior. Segundo a advogada de Zetti, Gilda Figueiredo Ferraz, o valor corrigido deve chegar a R$ 700 mil.

A advogada afirmou que tentou inclusive a penhora da arrecadação dos jogos do Guarani na final do Campeonato Paulista deste ano, mas não obteve sucesso. Segundo consta em termo de audiência, o clube não apresentou proposta de conciliação com a alegação de estar em dificuldades financeiras. Na última terça-feira (5/6), a audiência que seria realizada entre as partes foi suspensa porque a juíza Daniela Macia Ferraz Giannini declarou-se suspeita por ser amiga íntima da advogada do Guarani.

Procurado pela Conjur, o departamento jurídico do clube disse que não iria comentar o processo e que preferia aguardar o resultado da audiência da próxima semana.

Leia aqui a setença

0079000-38.2006.5.15.0053

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 7 de junho de 2012, 6h06

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 15/06/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.