Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Mania de perseguição

Jarbas Vasconcelos exige punição por pesquisa eleitoral

Por 

No próximo dia 8, o presidente da seccional paraense da OAB, Jarbas Vasconcelos, vai protocolar um pedido para que o Conselho Federal da entidade investigue e puna quem encomendou a pesquisa do Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), divulgada recentemente sobre a aprovação dos presidentes das seccionais e as intenções de voto para as próximas eleições da entidade.

O advogado é o presidente de seccional pior avaliado na pesquisa, que apontou que 21% dos advogados do estado o desaprovam, enquanto 49% o aprovam e 31% não sabem ou não responderam. Segundo o Ipespe, 200 pessoas foram ouvidas no Pará.

Os dados, segundo Vasconcelos, são uma fraude. Ele diz já ter encomendado outras pesquisas eleitorais em seu estado e que essas apontam aprovação de seu mandato por 84% dos eleitores. “Quem é impopular no Pará é o presidente do Conselho Federal da OAB” diz ele, fazendo referência a Ophir Cavalcante, que presidiu a seccional paraense de 2001 a 2006.

O atual presidente da OAB-PA diz que a pesquisa parece ter a intenção de avaliar mal as seccionais cujos presidentes “são desafetos do presidente do Conselho Federal [Cavalcante]”. Entre estes, abertamente, Jarbas Vasconcelos se inclui.

O pedido que Vasconcelos vai protocolar no Conselho Federal tem como base o Provimento 146 da OAB, que regulamenta as eleições. O artigo 12 do provimento diz que é vedada a “divulgação pela chapa, sob sua responsabilidade, antes das eleições, por qualquer meio de comunicação, de pesquisa não registrada previamente na Comissão Eleitoral”.

Vasconcelos não descarta a possibilidade de não ser um advogado o responsável por encomendar a pesquisa. “Se o Ipespe fez por conta própria, eu só tenho como proibi-lo, mas se algum advogado é responsável por fazer e divulgar essa fraude, ele vai responder a processo disciplinar, seja presidente de seccional ou do Conselho Federal”, ameaça.

Com a liminar obtida pelo presidente da seccional fluminense da OAB, Wadih Damous, que obriga o Ipespe a divulgar quem encomendou a pesquisa, entre outros dados, é possível que, até o dia 8 de junho, Vasconcelos já tenha o nome do responsável para pedir a abertura do processo.

Damous é, inclusive, citado pelo presidente da OAB-PA como um dos desafetos de Ophir Cavalcante, bem como Cláudio Lamachia, da OAB-RS, que, na pesquisa, é apontado com 93% de aprovação.

Desavença histórica
Em outubro de 2011, o Conselho Federal da OAB determinou o afastamento de Jarbas Vasconcelos e dos membros de sua diretoria de suas funções em razão de acusações de irregularidades na venda de um terreno da subseção de Altamira, no interior do estado.

Foi a primeira vez na história da OAB que o Conselho Federal determinou a intervenção em uma seccional.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 2 de junho de 2012, 3h08

Comentários de leitores

3 comentários

A que aproveita a pesquisa?

futurae visionis (Advogado Autônomo - Civil)

Respostas pratica, basta ver quem é candidato as eleições municipais deste ano.

Sem credibilidade

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Nunca vi aqui no Estado de São Paulo algum advogado independente dizer que está contente com a administração atual da OAB/SP. No entanto, a pesquisa indicou elevado índice de aprovação. Tem sentido uma pesquisa dessas?

Jarbas Vasconcelos exige punição por pesquisa eleitoral

Sérgio Frazão do Couto (Advogado Autônomo)

MAS MEU DEUS DO CÉU!!!
ONDE NÓS CHEGAMOS!!!
Eu havia ficado feliz com a atitude de se cobrar responsabilidades do Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), que divulgou uma pesquisa (a meu ver enganosa) sobre as eleições deste ano nas seccionais da OAB, Brasil afora.
Agora, assisto o próprio Jarbas Vasconcelos, em entrevista ao Conjur, cometendo o mesmo ilícito: divulgando que mandou fazer uma pesquisa onde sua administração aparece com 84% (oitenta e quatro por cento) de aprovação.
Em nome da seriedade e da honestidade de propósitos, desafio publicamente ao Jarbas informar , o mesmo que ele pede que o Ipespe faça: qual a metodologia dessa pesquisa que ele diz ter mandado fazer? Quem pagou por ela? Onde ela está registrada?
Diante de tudo, fico a me indagar, acabrunhado: será que as eleições deste ano na OAB-Pará, vai virar palco de bandidagem e de mentiras?!
NINGUÉM MERECE TANTA DESFAÇATEZ !!!
Principalmente nós, ADVOGADOS, cuja matéria prima profissional é a boa fé!

Comentários encerrados em 10/06/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.