Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Sob suspeita

PF acusa mulher de Cachoeira de tentar subornar juiz

Suspeita de tentar subornar um juiz federal, Andressa Mendonça, mulher de Carlos Augusto de Almeida Ramos, conhecido como Carlinhos Cachoeira, foi levada nesta segunda-feira (30/7) para prestar esclarecimento à Polícia Federal, em Goiânia. De acordo com a PF, ela teria oferecido dinheiro ao juiz Alderico Rocha Santos, responsável pelas investigações sobre a organização criminosa supostamente liderada pelo empresário. As informações são do Jornal Brasil.

Andressa não está presa, mas foi conduzida de forma coercitiva para prestar depoimento na sede da PF. Ela chegou ao local às 9h30. "Ela pode ficar presa em caso de descumprimento de uma das duas determinações cautelares determinadas pela Justiça. Ela está proibida de entrar em contato, inclusive por telefone, com qualquer um dos investigados pela Operação Monte Carlo", afirmou o delegado Sandro Paes Sandre, que executou o mandado de condução coercitiva, ao JB.

A outra determinação se refere ao pagamento de uma fiança no valor de R$ 100 mil, que seria um "gesto de boa-vontade" de que Andressa não irá fugir. Só depois que o dinheiro for pago, ela será liberada.

De acordo com nota divulgada pela PF, Andressa teria incorrido no artigo 333 do Código Penal, que trata do crime de corrupção ativa. O suborno seria para obter do juiz uma decisão favorável ao marido, que está preso desde o dia 29 de fevereiro. Além da condução dela, a PF também cumpriu mandado de busca e apreensão em sua casa. Foram recolhidos dois computadores, documentos e dois tablets.

Andressa também foi convocada a depor na CPMI do Cachoeira no próximo dia 7 de agosto. Será o primeiro depoimento a ser prestado após o recesso parlamentar. Com informações da Agência Brasil.

Revista Consultor Jurídico, 30 de julho de 2012, 14h30

Comentários de leitores

2 comentários

Muito estranho tudo isso.

acs (Advogado Assalariado)

Já que os magistrados não tem bom senso, está na hora de criar-se uma legislação proibindo magistrados de atender a parte,em especial, sozinho.Como disse muito bem o saudoso Jânio Quadros,excesso de intimidade só gera filhos e mal entendidos.

A musa da cpmi

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

Essa mulher não pode ser presa de forma alguma e seu depoimento na CPMI certamente será o mais importante (pelo menos o mais agradável, visualmente falando). Quanto a tentativa de corrupção do Juiz, talvez fosse melhor sem o uso do vil metal, mas apenas valendo-se dos atributos que a natureza gentilmente lhe conferiu. "Há coisas na vida que não tem preço. Para toda as demais, existe MASTER-CARD".

Comentários encerrados em 07/08/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.