Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Grave erro

Para PM, tensão em SP influiu na morte de publicitário

Nesta semana, o Ministério Público deverá oferecer denúncia à Justiça contra os três policiais militares que participaram de ação que culminou na morte do empresário Ricardo Prudente de Aquino, na Zona Oeste de São Paulo. Segundo um PM, que não quis se identificar, seus colegas cometeram um grave erro, mas o memento de tensão na cidade — oito policiais foram mortos e cinco bases da PM foram atacadas desde junho — precisa ser considerado.

Leia a reportagem do jornal Folha de S.Paulo:

"Achamos que o satanás ia sair do carro", diz policial

"Foi uma tragédia, mas a gente achou que o satanás ia sair de dentro do carro." A frase é de um dos policiais militares que participaram da ação que culminou na morte do empresário Ricardo Prudente de Aquino, 39, no dia 18, após perseguição por ruas de Alto de Pinheiros, na zona oeste de São Paulo.

Antes de morrer, Aquino, segundo a polícia, não obedeceu a uma ordem de parada de um PM e trafegou em alta velocidade em seu Ford Fiesta com películas escuras nos vidros laterais.

Esse PM que falou à Folha pediu para não ser identificado, pois não tem autorização da corporação para conceder entrevistas. Ele não é um dos três policiais que foram presos sob a acusação de homicídio doloso (intencional).

O cabo Robson Tadeu Paulino, 30, e os soldados Luis Gustavo Teixeira Garcia, 28, e Adriano Costa da Silva, 26, ficaram nove dias presos. Eles foram soltos anteontem por decisão judicial.

À Folha, o policial afirmou que o publicitário agiu de maneira errada ao fugir da polícia e seu comportamento era similar a de um criminoso.

"Se tivesse parado, nada de errado ia acontecer."

Na opinião do policial, a morte de Aquino deve ser avaliada dentro do seguinte contexto:

1) oito policiais foram mortos e cinco bases da PM foram atacadas desde junho;

2) o cabo Robson, um dos policiais envolvidos na ação, foi baleado em junho do ano passado numa tentativa de roubo na avenida Pacaembu

3) a ação aconteceu em uma rua com pouca iluminação, e Aquino, agitado, fez um movimento brusco com o celular na mão, o que levou os PMs a acharem que ele estava armado e iria atirar.

"Vivemos um momento de tensão muito grande", disse.

Mesmo assim, ele conclui que a ação foi um erro. "Foi uma 'cagada'. O cerco foi correto. Errado foram os tiros. Bastou um policial atirar para os demais o seguirem."

O advogado da família de Aquino, Cid Vieira de Souza Filho, disse que nada justifica a ação dos policiais.

"Ainda que o Ricardo estivesse fugindo, a ação dos policiais foi errada. Se não estão preparados psicologicamente, não deviam ser PMs."

Sobre o movimento brusco, o advogado disse que essa tese não está comprovada.

"O celular dele estava há quase duas horas sem bateria. Ele não tinha para que pegar o celular", afirmou.

O processo foi relatado pela Polícia Civil e está agora com o Ministério Público, que deverá oferecer a denúncia (acusação formal) à Justiça nos próximos dias.

Nesta semana, o Tribunal de Justiça deverá decidir se os três PMs aguardam o julgamento presos ou livres.

(Afonso Benites)

Revista Consultor Jurídico, 29 de julho de 2012, 14h31

Comentários de leitores

14 comentários

Policiais assassinos e covardes! Até quando?

Antonio de Assis Nogueira Júnior (Serventuário)

O famigerado cidadão comum, denominado de BANDIDO, é covarde por natureza. E o agente do Estado? NÃO PODE SER COVARDE! Acho que queriam matar mesmo, executar mesmo, é como fazem alguns dos covardes cidadãos comuns cognominados de BANDIDOS. Se o Policial, especialmente o militar (Já repararam que temos POLICIAS DEMAIS: civil, militar, federal, florestal, rodoviária etc. etc.), não for literalmente com as feições do cidadão comum (nós)em algum momento, acho que estamos mortos, ou melhor, seremos suicidados. Quer matar cidadão comum honesto, decente e íntegro e ficar impune, seja policial! Aliás, as penas no Brasil são uma piada. E as policias dos outros Estados brasileiros são piores que as de São Paulo? Ou é tudo igual? Elas se equivalem? A verdade é uma só: o cidadão íntegro e honesto poderá sofrer a PENA DE MORTE a qualquer momento, seja por BANDIDOS (Na essência, este é sempre covarde, exceto para os defensores dos direitos humanos. Por que estes defensores estão sempre ESQUECENDO DAS VÍTIMAS? Por que?), seja por POLICIAIS. A Constituição cidadã impede a PENA DE MORTE e a PENA DE PRISÃO PERPÉTUA com o devido processo legal, o contraditório e a mais ampla defesa seja dos crimes praticados pelos BANDIDOS (Estes sempre covardes, é bom não esquecer!) e pelos POLICIAIS (Agentes do Estado não podem ser covardes!).Policiais condenados e cumprindo alguma pena, pode até acontecer, porém são penas brandas e logo, logo, estarão novamente na ativa para nos defender dos BANDIDOS! Acho que o Brasil (não) tem solução! A minha solidariedade aos familiares da vítima, covardemente morta por POLICIAIS MILITARES (Às vezes acho - e também acho que acho demais! - que vivemos e tentamos SOBREVIVER em um Estado policial).Como a PM e o PT são parecidos?

Policiais assassinos e covardes! Até quando?

Antonio de Assis Nogueira Júnior (Serventuário)

O famigerado cidadão comum, denominado de BANDIDO, é covarde por natureza. E o agente do Estado? NÃO PODE SER COVARDE! Acho que queriam matar mesmo, executar mesmo, é como fazem alguns dos covardes cidadãos comuns cognominados de BANDIDOS. Se o Policial, especialmente o militar (Já repararam que temos POLICIAS DEMAIS: civil, militar, federal, florestal, rodoviária etc. etc.), não for literalmente com as feições do cidadão comum (nós)em algum momento, acho que estamos mortos, ou melhor, seremos suicidados. Quer matar cidadão comum honesto, decente e íntegro e ficar impune, seja policial! Aliás, as penas no Brasil são uma piada. E as policias dos outros Estados brasileiros são piores que as de São Paulo? Ou é tudo igual? Elas se equivalem? A verdade é uma só: o cidadão íntegro e honesto poderá sofrer a PENA DE MORTE a qualquer momento, seja por BANDIDOS (Na essência, este é sempre covarde, exceto para os defensores dos direitos humanos. Por que estes defensores estão sempre ESQUECENDO DAS VÍTIMAS? Por que?), seja por POLICIAIS. A Constituição cidadã impede a PENA DE MORTE e a PENA DE PRISÃO PERPÉTUA com o devido processo legal, o contraditório e a mais ampla defesa seja dos crimes praticados pelos BANDIDOS (Estes sempre covardes, é bom não esquecer!) e pelos POLICIAIS (Agentes do Estado não podem ser covardes!).Policiais condenados e cumprindo alguma pena, pode até acontecer, porém são penas brandas e logo, logo, estarão novamente na ativa para nos defender dos BANDIDOS! Acho que o Brasil (não) tem solução! A minha solidariedade aos familiares da vítima, covardemente morta por POLICIAIS MILITARES (Às vezes acho - e também acho que acho demais! - que vivemos e tentamos SOBREVIVER em um Estado policial).Como a PM e o PT são parecidos?

Policiais assassinos e covardes! Até quando?

Antonio de Assis Nogueira Júnior (Serventuário)

O famigerado cidadão comum, denominado de BANDIDO, é covarde por natureza. E o agente do Estado? NÃO PODE SER COVARDE! Acho que queriam matar mesmo, executar mesmo, é como fazem alguns dos covardes cidadãos comuns cognominados de BANDIDOS. Se o Policial, especialmente o militar (Já repararam que temos POLICIAS DEMAIS: civil, militar, federal, florestal, rodoviária etc. etc.), não for literalmente com as feições do cidadão comum (nós)em algum momento, acho que estamos mortos, ou melhor, seremos suicidados. Quer matar cidadão comum honesto, decente e íntegro e ficar impune, seja policial! Aliás, as penas no Brasil são uma piada. E as policias dos outros Estados brasileiros são piores que as de São Paulo? Ou é tudo igual? Elas se equivalem? A verdade é uma só: o cidadão íntegro e honesto poderá sofrer a PENA DE MORTE a qualquer momento, seja por BANDIDOS (Na essência, este é sempre covarde, exceto para os defensores dos direitos humanos. Por que estes defensores estão sempre ESQUECENDO DAS VÍTIMAS? Por que?), seja por POLICIAIS. A Constituição cidadã impede a PENA DE MORTE e a PENA DE PRISÃO PERPÉTUA com o devido processo legal, o contraditório e a mais ampla defesa seja dos crimes praticados pelos BANDIDOS (Estes sempre covardes, é bom não esquecer!) e pelos POLICIAIS (Agentes do Estado não podem ser covardes!).Policiais condenados e cumprindo alguma pena, pode até acontecer, porém são penas brandas e logo, logo, estarão novamente na ativa para nos defender dos BANDIDOS! Acho que o Brasil (não) tem solução! A minha solidariedade aos familiares da vítima, covardemente morta por POLICIAIS MILITARES (Às vezes acho - e também acho que acho demais! - que vivemos e tentamos SOBREVIVER em um Estado policial).Como a PM e o PT são parecidos?

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 06/08/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.