Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

Quero ser polícia, mãe! Mas, sou fiscal...

Dr. Tércio Caldas (Advogado Autônomo - Administrativa)

Essa palhaçada da Receita Federal do Brasil, a chamada “Super Receita” que unificou os cargos de fiscais previdenciários e auditores da antiga Receita Federal, mas parece com ação de quem quer ter a função de polícia fazendária, que por natureza constitucional e da PF, assim como a função de polícia aduaneira é da PF.
Estes fiscais tributários e antigos fiscais previdenciários deveriam entender que as funções deles são de fiscalizadores das atividades fazendária e aduaneira, devendo agir administrativamente para evitar a evasão fiscal e, em havendo ilícito tributário, passar a bola para a PF, inclusive nas ações policiais preventivas de tais ilícitos. Cada macaco no seu galho!

SONEGAR é se subtrair a ALGO de BOM e NÃO a ALGO de MAU!

Citoyen (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

Tenho insistido nesta tecla, porque é mister que se coloquem os pingos nos iis.
No Brasil em que vivemos temos a SONEGAÇÃO legalmente institucionalizada e aquela que, por força da INEXISTÊNCIA de força dos INTERESSADOS, não foi legitimada.
As duas sonegações são economicamente OCULTAÇÕES.
Mas, como a nossa CONSTITUIÇÃO, no Artigo 37, abriga e contempla as atitudes MORAIS, aquela SONEGAÇÃO que não foi legalizada é TÃO IMORAL quanto a outra e, pois, NÃO PODERIA o SONEGADOR, que não teve respaldo do Poder, ser tratado como se fosse um criminoso.
Raciocinemos: por que as INDENIZAÇÕES aos TERRORISTAS dos anos sessenta-setenta deveriam ser pagas, se eram compensações remuneratórias (salários atrasados, bonificações não pagas, etc.), sem IMPOSTO de RENDA e sem PREVIDÊNCIA SOCIAL?
Como Advogado, já atuei na reivindicação de tais "direitos", a quem foi acusado ou tratado como terrorista.
Todavia, JAMAIS pude me conformar com tal privilégio.
Portanto, quando vejo ou ouço um ato de DESOBEDIÊNCIA CIVIL, que é a exata designação que se deve dar a ocorrências em que a ocultação ainda não foi legalmente reconhecida, NÃO OUSO e NÃO POSSO dizer que há sonegação.
Está, aquele que investiu, na realidade, valorizando o DINHEIRO que gerou emprego, pagou salário, fez a economia circular, com a compra de materiais de construção.
NÃO CORROMPEU!
Quem recebeu a remuneração pela obra realizada, pelo serviço prestrado, construiu mais um tijolo para a sua casinha; comprou um terreninho, ou, simplesmente, conseguiu botar na mesa da sua Família arroz, feijão e carne que, de outra maneira, não poderia.
Por que os que ganham os BENEFÍCIOS PÚBLICOS estão, também isentos das contribuições que recebem, quando são inúmeros os exemplos do trabalho que realizam, sem emprego?

Leäo Voador II

Luiz Carlos Munhoz (Bacharel - Criminal)

O exemplo da honestidade em nosso país está extinto, entäo o Fisco busca desesperadamente em todos os setores da nossa economia, seja formal ou informal, uma forma magica de taxar e sobretaxar os cidadöes do país, neste caso foi um helicóptero, qdo for a colheita da cana será um jegue no meio dos canaviais exigindo do cortador de cana o recibo da declaraçäo do IR, idem na colheita de laranja, café,etc...
Enquanto isto a saúde está a beira do caos,transporte público,educaçäo,...etc.
E vamos sediar a copa do mundo em 2014.

Leão Voador

J. Cordeiro (Advogado Autônomo - Civil)

Sabemos que em matéria de sonegação se não somos os maiores, estamos entre os primeiros. Dai o rigor do Leão, de apetite terrível. Pena que a corrupção consuma boa parte do que é arrecadado. E esta corrupção que arrebata boa parte dos tributos é a mesma que também sonega o que lhe compete pagar ao fisco. Campos do Jordão é um dos paraísos propícios para sonegar e corromper. Que o sobrevoo do helicóptero da Receita Federal não seja um mero passeio de fiscais, à busca de fortes emoções. Pois ai sim teremos o sucesso da corrupção na gastança do dinheiro nosso, contribuintes.

Comentar

Comentários encerrados em 31/07/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.