Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Punição na magistratura

CNJ aposenta desembargador goiano por assediar parte

O desembargador Hélio Maurício de Amorim, do Tribunal de Justiça de Goiás, sofreu a pena de aposentadoria compulsória. Ele é acusado de ter assediado uma mulher, que era parte em um processo referente a dissolução de união estável e guarda de filhos, quando ainda era titular da 1ª Vara de Família de Goiânia. A decisão do Conselho Nacional de Justiça aconteceu nesta terça-feira (3/7). As informações são do Jornal do Brasil Online.

O processo foi aberto em 2010. De acordo com o relator do caso, conselheiro Jorge Hélio Chaves de Oliveira, Hélio Amorim, quando juiz, feriu a honra, a dignidade e o decoro exigidos pela magistratura. O magistrado já havia sido absolvido pelo TJ-GO por oito votos a quatro.

Amorim foi acusado de ter ido à casa de Junia de Freitas, parte no processo, e tentado abraçá-la na cozinha, convidando-a para “tomar um vinhozinho. Amorim ligou diversas vezes para a mulher e para a sua filha. Ele disse que a história não é bem essa. Admite ter ido à casa da mulher para melhor informar-se sobre a situação de sua filha, Ana Paula, formada em Direito, e que pretendia uma colocação no tribunal ou estágio no Juizado.

“O tribunal desconsiderou o fato de que ele esteve na casa da parte. Não há controvérsia acerca disso”, anotou o conselheiro. Segundo ele, pouco importa a justificativa do juiz. O fato é que ele, como responsável pelo processo daquela parte, não poderia visitá-la.

Revista Consultor Jurídico, 4 de julho de 2012, 14h29

Comentários de leitores

3 comentários

Fica mais fácil

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

Com a aposentadoria compulsória, remunerada, o desembargador agora terá mais tempo para as tais visitas à parte. Afinal,a árdua tarefa diária no Tribunal tomava-lhe tempo precioso para dar cabo do propósito de seduzir a vítima. Como vemos , uma baita punição ao "Dom Juan" da terceira idade.

\"punição exemplar"

João Szabo (Advogado Autônomo)

Continuamos a vier num mundo de fantasia, onde o Poder Público irresponsável e descompromissado, querem nos impingir o conceito que a fantasia da "aposentadoria compulsória" é uma punição. Não posso exigir muito, pois, também, o meu sonho de transformar o Brasil num país sério, é uma fantasia. Quem sabe no próximo CARNAVAL!

Sociedade perdeu o rumo do certo e errado

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O que é mais curioso e contraditório nisso tudo é que, se ao invés de ter "tentado" dar um abraço naquela senhora o juiz tivesse determinado ilegalmente seu encarceramento por 20 anos, baseado em qualquer pretexto, nada lhe aconteceria.

Comentários encerrados em 12/07/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.