Consultor Jurídico

Notícias

Processo Arquivado

Corpo de ex-dona da Daslu é enterrado em SP

O corpo da empresária Eliana Tranchesi, ex-dona da butique de luxo Daslu, foi enterrado pouco antes das 16h desta sexta-feira (24/2) no Cemitério do Morumbi, na Zona Sul de São Paulo. Cerca de 300 pessoas, segundo a segurança do cemitério, participaram da celebração. Eliana tinha 56 anos, morreu em decorrência de um câncer pulmonar, complicado por pneumonia. Ela lutava contra o tumor desde 2006. As informações são do site G1.

O velório aconteceu no Hospital Albert Einstein, também na Zona Sul, e foi até às 12h. Às 15h, houve uma missa no cemitério, que deixou a capela lotada.

A consultora de moda Constanza Pascolato, que esteve no cemitério, definiu Eliana como uma mulher "corajosa". "A maior importância dela foi ter inventado o varejo de luxo personalizado no país", disse. "Ela identificou o gosto da mulher brasileira na hora certa." Também marcaram presença na cerimônia Sofia Alckmin, filha do governador Geraldo Alckmin, que trabalhou na Daslu, o empresário João Paulo Diniz, o publicitário Nizan Guanaes e o estilista Ricardo Almeida, entre outros.

Lojas
As duas lojas da Daslu - uma em São Paulo e outra no Rio de Janeiro - não abriram nesta sexta-feira em razão da morte da empresária.

Eliana comandava a empresa fundada há mais de 50 anos por sua mãe, Lucia Piva. Em março de 2009, Eliana foi condenada a 94 anos e meio de prisão por crimes como descaminho, formação de quadrilha e falsidade ideológica. Os crimes foram descobertos na operação Narciso, da Polícia Federal. Ela chegou a ficar presa logo após o julgamento, mas foi solta por meio de um Habeas Corpus.

Quando Tranchesi estava presa, sua defesa apresentou um relatório médico informando sobre o tratamento contra o câncer que ela fazia, alegando que a empresária não devia permanecer em uma prisão comum, sendo recomendada a prisão domiciliar. O processo que a condenou pelos crimes de descaminho, formação de quadrilha e falsidade ideológica será arquivado.

Revista Consultor Jurídico, 24 de fevereiro de 2012, 22h10

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 03/03/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.