Consultor Jurídico

Crise de asma

Filho de Flávio Dino morreu nesta madrugada

Morreu às 6 horas da manhã desta terça-feira (14/2), em Brasília, Marcelo Dino Fonseca de Castro e Costa, de 13 anos, filho mais novo do presidente da Embratur, Flávio Dino. O menino teve uma crise de asma, que levou a uma parada cardíaca.

Um inquérito policial foi aberto para apurar a morte do garoto. Amigos da família registraram ocorrência nesta manhã pedindo investigação da morte. Eles suspeitam que houve demora no atendimento no Hospital Santa Lúcia.

Marcelo era filho de Flávio Dino, que foi juiz e deputado federal, e da professora da Universidade de Brasília (UnB) Deane Fonseca, ex-mulher do presidente da Embratur. O casal teve outro filho, Vinícius, que tem 17 anos.

O velório acontece nesta terça, a partir das 19h, na capela do Cemitério Campo da Esperança, em Brasília. O corpo será sepultado nesta quarta-feira (15/2), às 10 horas, no mesmo cemitério.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 14 de fevereiro de 2012, 12h50

Comentários de leitores

5 comentários

retificação

Aline Maria Pessoa Cunha Gadelha (Servidor)

Sou prima da mãe do Marcelo e o nome dela é Deane e não Adriana Fonseca! Favor retificar matéria o mais rápido possível, pois é constrangedor para a família.
Grata,
Aline

DEVE SER A PIOR DOR DO MUNDO

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

A vida nos ensina que a 'ordem natural' é filhos enterrarem os pais. Quando essa lógica é quebrada a perda parece mesmo insuportável. Em contrapartida o "tempo", que é o unguento para todos os males, se encarrega de suavizar, ao menos em parte, tamanha dor. Essa , sem dúvida, é a maior desgraça que um ser humano pode suportar.

Pêsames pelo passamento

Balboa (Advogado Autônomo)

Infelizmente a medicina nos hospitais deixa a desejar, e muito. Perder um filho em uma circunstância absurda como essa é desesperador. Meu filho desmaiou e o levei para um hospital, onde após mais de quarenta minutos para preencher uma ficha, ele foi levado para dentro. Levou mais meia hora para alguma enfermeira chegar perto. Médico então, levou mais de duas horas.... Isso porque tenho convênio Sul Ámérica! Em uma emergência seria o fim. Esse caso em tela só aparece por ser Dino um homem público, imagine o que acontece por ai todos os dias com os cidadãos comuns...

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 22/02/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.