Consultor Jurídico

Comentários de leitores

7 comentários

ao colega autônomo

Leneu (Professor)

apenas lamento que o colega de advocacia não queira ouvir as palavras de um homem já canoso, e combalido pelo mercado do mundo livreiro, onde interesses escursos também pautam a obra legislativa mais do que se imagina.
quanto ao novo cpc, também não sou a favor, mas não me tranvisto de motivos técnicos para disfarçar a desesperança psicológica.

críticas sim, interesse não

Leneu (Professor)

de fato o projeto novo´e aberto a críticas e talvez não seja boa hora, só não aceito que seja criticado por interesses editoriais de se manter o seu próprio código comentado vivo no mercado.
e outra coisa, é tão impossível assim fazer um código melhor que o de Buzaid? (não que o do projeto o seja)

A iniludível autoridade de um mestre!

Paulo Jorge Andrade Trinchão (Advogado Autônomo)

Sem dúvida alguma, o lúcido e inteligente artigo além de pertinente, ilumina graves defeitos na confusa redação do famaliá projeto. Nesse desiderato,contudo, com as devidas vênias soa ininteligível o comentário do professor Leneu(de direito?). A propósito, o nobre articulista quando entrevistado na oportunidade pela Revista Veja(páginas amarelas!), em verdade emitiu opinião técnica a respeito do sofista projeto do CPC. Em outras palavras, o incomparável Código Buzaid, necessitaria, no máximo, de algumas intervenções pontuais, em razão da sua reconhecida suficiência técnica por parte da maioria dos operadores do direito, chegando, inclusive, a contemplar uma - indiscutível - perfeita obra jurídica. Ademais, não se olvidando que o excelente e prático Código Buzaid ao longo do tempo foi submetido a hodiernas alterações que o deixou induvidosamente compatível com a própria higidez da modernidade. O questionável projeto "Fux" que propõe um "novo CPC" já nasceu combalido, eis que na jaez miopia de que o maior entrave para a dinâmica e celeridade processual se verte, supostamente, nos "recursos interpostos". No revés, verdadeiramente não passa de um engodo, com a - má - intenção de proporcionar mais tempo a julgadores que têm incrível "disposição" para lecionar em faculdades, cursinhos para concurso, para exame da OAB, e, também, não se esquecendo, para receberem homenagem da sociedade patrocinada por políticos no melhor(e pusilânime) estilo puxa-saco!

Interesses do articulista???

Leneu (Professor)

por mais que seja bem escrito temo que haja interesses do douto articulista, a ponto de dar entrevista em páginas amarelas, no sentido de desaprovar novo código de processo civil.
como o dito articulista já possui obra de comentários ao atual CPC no mercado - razoavelmente boa por sinal -advoga contra um novo Codex para não ter que iniciar uma obra do zero - e sabemos quanto tempo leva para se comentar um código artigo por artigo.
aliás, sabe-se que o supracitado mantém tanto tempo a atualizar sua obra que inclusive nunca abriu uma vaga de orientação para mestrado e doutorado na universidade de são paulo, a despeito de colocar como título primeiro o fato de lá ser professor.
Daí eu pergunto: há interesse editorial?

Bom Projeto

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Dei uma olhada rápida no Projeto mencionado pelo articulista, e de fato a estrutura básica do processo civil de hoje é nele mantida, com algumas modernizações importantes. Há alguns equívocos pontuais de redação, que irá permitir que os juízes driblem a essência do Código (coisa que sabem fazer de melhor), mas são coisas fáceis de concertar. O Projeto porém, como já atestado centenas de vezes por vários especialistas, não resolverá sozinho os problemas do Judiciário, já que são necessários investimentos e reformas que atingem também a magistratura como carreira, ante a defasada LOMAN da época da Ditadura, feita para blindar os juízes de modo a que eles pudessem, naquela época, acobertar os delinquentes da Ditadura e os crimes que cometerem.

Novo CPC

Bia (Advogado Autônomo - Empresarial)

Também parabenizo o articulista por divulgar tais informações, às quais a mídia em geral deveria dar maior ênfase. Afinal, NÃO ADIANTARÁ reforma processual alguma, MUITO MENOS dar poder ilimitado aos juízes de primeiro grau (nem sempre corretamente preparados para seu mister, pois aqueles muito novos na magistratura, que passaram os últimos anos de suas vidas apenas ESTUDANDO para um dos concursos mais difíceis do país AINDA NAO possuem EXPERIÊNCIA de VIDA, nem o necessário bom senso para julgar, pois não basta o excesso de teoria), enquanto os seus próprios cartórios levarem SEIS (sim, senhores, em média SEIS) MESES para juntar uma simples petição, mais cerca de 3 meses para ir à conclusão, mais o tempo que o juiz quiser pra despachar (sei que ainda existem os de boa vontade, mas a imensa maioria não conseque sequer se impor perante seus próprios cartorários) e mais 6 meses para PUBLICAR! NISTO RESIDE O INCOMENSURÁVEL problema da Justiça Brasileira - infelizmente a paulista é uma das piores, devido ao maior número de processos - que, enquanto não devidamente equacionado, de NADA ADIANTARÁ tentativa alguma de modernização de nosso CPC!

Divulgação

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Parabéns ao articulista por divulgar esse Projeto paralelo, que poucos de nós conhece.

Comentar

Comentários encerrados em 16/02/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.