Consultor Jurídico

Pechincha da Justiça

Avião e sucatas da Vasp vão a leilão na segunda

Serão leiloados na próxima segunda-feira (6/2), em São Paulo, um avião Boeing 737-200 da Vasp e quatro lotes de sucatas resultantes do desmonte de quatro aviões da ex-companhia aérea. O leilão acontece às 14h, na Casa de Portugal, que fica no bairro da Liberdade, e será conduzido pela 1ª Vara de Falências de São Paulo, onde tramita o processo de falência da empresa. As informações são da Agência Brasil.

A aeronave, avaliada em R$ 100 mil, está inteira, mas não tem mais licença para voar. Cada lote de sucata — referente ao desmonte de um avião inteiro — está avaliado em R$ 30 mil. Mais detalhes sobre o leilão podem ser obtidos no site www.leiloesfreitas.com.br.

Tanto o avião inteiro que vai a leilão quanto os que já foram desmontados estão parados no aeroporto de Congonhas (SP) desde a decretação da falência da empresa, em 2008. Restam ainda no aeroporto quatro aeronaves da Vasp, que devem começar a ser desmontadas nas próximas semanas.

A partir do dia 14 de fevereiro começam a ser vendidas também cerca de 80 mil peças de Boeings e Airbus que pertenciam ao parque de manutenção que a Vasp mantinha em Congonhas. Há desde arruelas de vedação e parafusos aeronáuticos até mesas de refeição, asas e turbinas. Nesse caso as peças não serão vendidas em lotes. Para ter acesso ao parque de peças, os interessados devem cadastrar-se na 1ª Vara de Falências de São Paulo, no Fórum João Mendes Júnior.

O desmonte e leilão dos aviões e a venda das peças fazem parte do programa Espaço Livre – Aeroportos, da Corregedoria Nacional de Justiça. O programa tem como objetivo remover dos aeroportos toda a sucata de aviões pertencentes a empresas aéreas que faliram nos últimos anos e que ainda ocupam espaços nos terminais.

De acordo com o titular da 1ª Vara de Falências de São Paulo, o juiz Daniel Carnio Costa, o dinheiro obtido com a venda será revertido para pagamento dos credores da Vasp, principalmente trabalhistas. 




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 3 de fevereiro de 2012, 19h17

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 11/02/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.