Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Cenário de mudanças

Santander demite quase 3 mil funcionários no Brasil

O banco Santander demitiu 1.280 funcionários no Brasil em dezembro, segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro, a Contraf. A entidade conta que recebeu os números por meio de informações prestadas por representantes dos trabalhadores de todo o país.

Segundo o portal Terra, a Contraf emitiu nota afirmando que os desligamentos foram em massa e só não atingiram número maior de trabalhadores por conta das pressões dos sindicatos. A entidade criticou a forma com que os cortes foram feitos, sem combinação prévia com os sindicatos e sem explicações diante do lucro de R$ 4,7 bilhões apurado entre janeiro e setembro deste ano. A Contraf quer a reversão de todas as demissões de dezembro.

Durante audiência no Ministério Público do Trabalho, o secretário de Relações do Trabalho da pasta, Manoel Messias, também propôs a suspensão das demissões e pediu a abertura de processo de negociação coletiva.

Procurado pelo Terra, o Santander disse que as demissões chegaram a mil pessoas de seu quadro de funcionários no Brasil, o que representa 2% de toda sua força de trabalho no mundo inteiro, de 55 mil pessoas. O banco acrescentou ainda que as demissões foram necessárias em meio ao cenário de mudanças do sistema financeiro nacional, e que seguiram o que manda a lei nacional.

Revista Consultor Jurídico, 15 de dezembro de 2012, 14h54

Comentários de leitores

5 comentários

Os Hernán Cortez de hoje

Armando do Prado (Professor)

Qual a diferença entre Pizarro, Hernán Cortez, Almagro e Marcial Alvarez Portela? Nenhuma. Os 3 primeiros barbarizaram contra astecas e incas e o último além de tirar as riquezas do Brasil, "assassina" aos milhares os trabalhadores brasileiros que geram os melhores resultados desse banco espanhol em todo o mundo.
.
É preciso que MPT, Justiça e o Governo coloquem um basta a tanta audácia ao Herná Cortez atual, o insensível Marcial Alvarez Portela, testa de ferro do Dom Botim, que não se perca pelo nome.

Humilhação espanhola: até quando?

Chico Bueno (Advogado Autônomo - Civil)

Cada vez mais me convenço de que os espanhóis vêm para o Brasil com o único propósito de obter lucro fácil, explorando, sem dó nem piedade, os trabalhadores brasileiros. Pelos lucros que o Santander vem obtendo desde que comprou o Banespa pela bagatela de R$ 7 bilhões, não há dúvida de que Fernando Henrique Cardoso e sua turma, no dia 20.11.2000, jogaram no lixo o bem mais precioso que o Estado de São Paulo possuía. Já passou da hora do atual governo pôr um ponto final na arrogância desses espanhóis, que, ao que tudo indica, são totalmente desprovidos de bom senso.

Pilhagem

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Não se deve confundir "investimento" com liberação de atividades em favor de mercenários. O Banco Santander, desde que chegou ao País, mais não faz do que sistematicamente violar o ordenamento jurídico nacional, em uma verdadeira atividade de pilhagem acobertada pelo Executivo e Judiciário. Vieram para cá justamente em busca disso, após passarem a sofrer com a concorrência dos bancos alemães na Espanha.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 23/12/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.